Pode sim.

Mas pode brincar o carnaval?
Pode beber cerveja?
Pode viajar sozinha?
Pode tocar tamborim?

Pode.
Pode sim!

Por mais que se imagine que não pode um monte de coisa, a gente pode sim.
A vida com a doçura é cheia de questionamentos, cheia de dúvidas. No começo, tem alguns 'não pode'. Eu também tive, era preciso colocar algumas coisas de volta ao seu devido lugar... Depois, aos poucos fui aprendendo que com adesão ao tratamento, conhecimento, aprendizado, conversas e esclarecimentos com a minha endócrino e assumindo a responsabilidade de docinha no dia a dia, a gente pode sim.

Pode porque eu decidi ficar de bem com essa condição.
Pode porque eu decidi entender como cuidar desse tal diabetes tipo 1, que chegou chegando.
Pode porque eu tenho uma super endócrino que banca, junto comigo, a minha rotina.
Pode, porque todas as pessoas à minha volta também assumiram essa condição e cuidam de mim e da minha doçura com amor e dedicação.

Pode.
Pode sim!

Pode ser que o dia seja tranquilo.
Pode ser que eu nem precise corrigir a glicemia.
Pode ser que eu tenha que aumentar a dose de insulina.
Pode ser até que eu esqueça o glicosímetro em casa...
E pode ser que vez ou outra eu acorde com preguiça desse diabetes.

Pode.
Pode sim!

Pode ser que o almoço seja um pratão lindo e colorido.
Aí, pode ser que a sobremesa seja daquelas que mereciam ser capa de jornal!

Porque pode.
Pode sim!

A gente que é doce pode.
A gente conta - as histórias e os carboidratos.
A gente aprende.
A gente divide.
A gente escolhe.

Porque pode.
Viver bem com o diabetes pode.
Ser feliz dividindo os dias com a doçura pode.
Pode sim!

A única coisa que não pode e não vai poder nunca é o descaso com tanta gente doce. É a falta de medicamentos e insumos. A falta de respeito por quem convive com essa condição e precisa da insulina para viver. Insulina não é luxo... glicosímetro não é luxo! Luxo é ter recursos e a garantia de que não faltará tratamento para garantir os tantos 'pode sim' de cada dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MiniMed 640G: Cena 7 - A decisão de parar...

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

MiniMed 640G: Cena 1 - Bombando!