Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

09 junho, 2015

Ingredientes: conhecimento e moderação!

Logo na época do meu diagnostico, fui a uma consulta com Nutricionista e como comentei algumas vezes, absorvi bem pouco. Na minha cabeça ficaram duas coisas: não poderia comer açúcar de qualquer maneira; não poderia comer uvas, caqui, melancia, melão e fruta do conde.

Depois, por minha conta, restringi também a água de coco.

Um dia, comentando com a minha Super sobre essa última, ela me perguntou por quê. E eu respondi: porque eu acho que não pode.
- Quem falou?!
- Não sei!!

Mas pirei mesmo e levei as restrições - todas! - a sério.

O fato é que consumir açúcar refinado, industrializado, não é necessário. Mas um produto, um prato legal num restaurante ou uma sobremesa que tenham açúcar, pode sim.

A questão é saber equilibrar e apostar em uma refeição balanceada, que tenha carboidratos, fibras, proteínas e até gorduras - daquelas que fazem bem (peixes, nozes, castanhas, sementes de girassol, algumas frutas, como o abacate...).

Sobre os carboidratos, que são os que mais interferem na nossa glicemia, é importante também entender a diferença e saber identificar quais são os simples - que atingem a corrente sanguínea em até 15 minutos após a ingestão - e os complexos, que levam entre 15 minutos e 2 horas para chegar na corrente sanguínea.

Eles são facilmente identificáveis no dia a dia... Alguns exemplos:
Simples - massas e pães preparados com farinha branca, doces, leite, iogurte, biscoitos;
Complexos - massas e pães preparados com farinha integral, legumes, leite e iogurte desnatados, aveia, grãos em geral...

O mito sobre as frutas que haviam sido restringidas caiu por terra. Não é que não possa comer, basta consumir nas porções corretas (duas ou três unidades uma determinada fruta pode ter impacto na glicemia).
Até a água de coco já voltei a beber, mas também com moderação, como tudo deve ser.

Minha endócrino, sabendo que sou uma apaixonada por brigadeiro, quando vê bons resultados nos meus exames me dá até uma colher de chá: "pode comer um brigadeiro, não tem problema".
Mas a resposta é sempre a mesma: - não tem necessidade.

E isso não é hipocrisia, é verdade. Mas olha, não me faço de rogada, viu... quando realmente a vontade aparece, como meu brigadeiro feliz!

E você? O que sente vontade de comer?
Vá em frente, sem exageros.
Com conhecimento, tudo fica mais fácil!









Nenhum comentário:

Postar um comentário