Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

Pense como um pâncreas!

Imagem
O hormônio que é produzido pelo pâncreas, desde que suas células não fiquem preguiçosas, é essencial para qualquer um de nós. Nos docinhos tipo 1, ele passa a circular no organismo de uma outra maneira: se não é produzido, precisa ser colocado lá. E apesar de algum desconforto nas aplicações das injeções, ainda bem que existe esta alternativa! Mas o problema é que esta variável não é constante. As minhas doses até que permaneceram, por um bom e longo tempo, as mesmas. Mas em maio deste ano acabei ajustando a de jejum e ontem a noite ajustei a da ceia. Apesar da sensação de culpa ou de estar fazendo alguma coisa errada que vem juntos com estes ajustes, no fundo sei que é normal. Preciso é que manter o foco e aprender a usar a ferramenta que tenho - a insulina - a meu favor. Buscando informações e lições aprendidas por aí (além de já ter me comunicado com a minha Super), descobri uma instituição e um livro que me chamaram a atenção e trouxeram um baita interesse. Um de

Um passo atrás...

Imagem
No início deste ano um tema bem importante foi colocado sob consulta pública : a utilização, pelo SUS, das insulinas análogas, que trariam alem de mais uma opção em termos de medicamentos, uma melhor qualidade de vida aos pacientes. A consulta foi motivada por constantes casos de hipoglicemias que vinham sendo registrados e reportados com o uso das insulinas NPH e outras regulares. Coordenada pelo Ministério da Saúde com assessoria do CONITEC - Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias, a Consulta foi encerrada e o parecer final emitido . Infelizmente, ainda não foi desta vez que o bem estar se sobrepôs ao custo... Os parâmetros avaliados foram "eficácia, segurança, custo-efetividade e impacto orçamentário para o SUS". E por fim, não foi aprovada a incorporação das análogas. De acordo com o posicionamento da CONITEC, "considerou-se que as evidências científicas disponíveis não comprovaram a superioridade desses medicamentos em relação às insulinas rec

Sobre a polêmica dos adoçantes...

Imagem
O zum-zum-zum segue... Adoçante pode? Não pode? E quem não pode (ou não deve) consumir açúcar? Para acalmar os ânimos e esclarecer o que pareceu uma condenação aos adoçantes artificiais, a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) publicou um comunicado que reproduzo na íntegra a seguir:  ESCLARECIMENTOS SOBRE A POLÊMICA DOS ADOÇANTES ARTIFICIAIS Quarta, 24 Setembro 2014 Publicação online vem causando polêmica ao sugerir a possibilidade dos adoçantes artificiais de induzir à intolerância à glicose e mesmo ao diabetes e à obesidade. A revista  Nature  publicou em 17 de setembro a última versão online de um estudo que vem causando polêmica em todo o mundo  [1]  ao sugerir a possibilidade dos adoçantes artificiais de induzir à intolerância à glicose e mesmo ao diabetes e à obesidade. Em resumo, os seguintes tópicos reproduzem as conclusões do estudo: 1  - O estudo foi conduzido em ratos e em 7 humanos saudáveis e não usuários de adoçantes artificiais, dos quais a

Pra quebrar o tabu!

Imagem
Um tratado sobre o 'não' para acabar com o tabu do 'não sei'. - Tem açúcar no preparo? - Não. Se todas as respostas negativas fossem de fato verdadeiras, o mundo dos docinhos seria de possibilidades infinitas pelos restaurantes, bares e cafés afora! Por que as pessoas tem dificuldade em dizer que não sabem ou que não tem certeza? Se não puderem verificar, tudo bem. Nestes casos, cabe a mim decidir se arrisco. Já passei pelas situações mais curiosas por causa desta perguntinha curta e objetiva! Perguntando se o chocolate do Capuccino e puro cacau ou se já é adoçado: "É aquele da Nestle, não tem açúcar não." ( você pode confirmar? acho que tem sim... ) "É 50% cacau." ( ok, isso e ótimo... mas você pode ver se não tem açúcar, alem do cacau? ) "Tem só um pouquinho." ( um pouquinho significa 'sim'... uma vez ou outra até passa, mas esta decisão também é minha. ) Reforçando o pedido de uma limonada suíça

Tô te explicando pra te confundir?!

Imagem
Como se não bastassem as dúvidas causadas pelo consumo de adoçantes - fazem ou não mal à saúde? - agora uma polêmica ainda maior: eles aumentam o risco de diabetes! Esta é a conclusão da p esquisa realizada por cientistas israelenses e publicada recentemente na revista Nature. Os testes realizados com três tipos de adoçante (sacarose, aspartame e sucralose) trouxeram uma resposta muito preocupante: intolerância à glicose! Consequentemente, algumas pessoas podem acabar desenvolvendo o diabetes... A pesquisa foi feita com ratos e testada em apenas 7 pessoas. Ou seja, muito ainda deve ser estudado para confirmar que realmente existe um impacto dessas proporções. Por outro lado, o uso deliberado do açúcar também não é recomendado para nós, docinhos. O ideal é seguir com equilíbrio e em caso de dúvidas, nada de decisões ou substituições por conta própria... seu médico é quem mais pode ajudar a decidir o que pode ser alterado na dieta regular. Orientação e informação

Pra ser reação!

Imagem
Todo diagnóstico médico que leve a gente para uma condição crônica, uma doença (não gosto de usar esta palavra, mas é assim que a medicina define o diabetes) séria e, até onde se saiba, irreversível em alguns casos, traz um primeiro momento de pânico e negação. Comigo não foi diferente... a parte do pânico veio de imediato.  A negação nem tanto - tive mais uma fase de ter a certeza que iria reverter esse DM1 (ainda acredito que isso possa acontecer, mas tenho o pé no chão e me pego nas pesquisas e estudos bem avançados de hoje). O que fez com que eu não me apavorasse foi a informação.  Junto com ela, a decisão de me cuidar, já que eu tinha a opção de um tratamento. No artigo que a Dra. Mônica Amaral Lenzi (Educadora em Diabetes) escreveu, ela coloca de uma forma direta esta questão: " Diabetes: Crise ou Oportunidade? ". A abordagem dela é direta quando sugere que o DM pode ser a chance de transformar sua vida e viver de maneira saudável - "Este é o es

Pra ser de atitude!

Imagem
14 de Novembro está logo ali e já tem algumas coisas acontecendo pelo Brasil! Na página da Campanha  é possível acompanhar tudo, entender os objetivos e ainda baixar gratuitamente o material da Ação . A camiseta deste ano estimula você a avaliar as suas atitudes, destacando o que te ajuda a manter o docinho sob controle.  Achei a ideia muito bacana! Faz repensar no que precisa / pode ser ajustado e estimula outros a se empenhar e participar mais ativamente do seu tratamento. Qual é a minha atitude? Minha saúde em primeiro lugar!! Me informo, aprendo e cuido todo dia.

Receitinha pro jantar!!

Imagem
Sou fominha - sempre fui! - e este foi um dos motivos inclusive para eu não ter percebido logo um sintoma do diabetes (fome incessante, mesmo comendo em intervalos bem mais curtos que o habitual). Hoje, com a glicemia sob controle e sem riscos, sigo no mesmo ritmo: se estiver mau humorada, pode acreditar que é fome!!  Então, volta e meia me pego pensando no jantar já no momento em que saio do trabalho. E como quero manter a alimentação equilibrada e saudável, fico buscando alternativas para não ficar todos os dias na saladinha com grelhado e arroz integral. A opção de hoje foi o cuscuz.  Fácil de fazer, fica pronto bem rápido e você pode complementar com o que quiser. Eu fiz com palmito pupunha no azeite, abobrinha, cebola roxa e carpaccio de salmão. Para complementar, um toque de limão (meio limão espremido). Para o jantar funciona bem. Fica gostoso, leve e não deixa qualquer peso na consciência!

Pra ser parte da solução.

Imagem
Já falei por aqui que uma das coisas que me fizeram logo de cara simpatizar com a minha endocrinologista e ganhar uma baita confiança desde o começo foi o fato dela não ter me jogado no colo um monte de 'ordens' relacionadas ao meu tratamento sem nem saber como era o meu dia a dia, como era a minha vida real. Isso é muito importante num cenário onde o novo chega sem avisar e já causando alarde. E vejo que hoje os médicos e profissionais de saúde tem buscado cada vez mais se aproximar dos pacientes, avaliando cada um individualmente. Horários, alimentação, exercícios, trabalho... entender com funcionava a rotina dos pacientes é fundamental para adequar o tratamento. Dois anos e meio depois da primeira vez que abordei esta questão no IP, vejo que isso deu frutos. Na ultima semana a SBD publicou um artigo de duas psicólogas que trabalham em grupos de Educação em Diabetes na Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP, onde elas apresentam resultados positi

Pra incluir no Calendário - ADJ em Setembro

Imagem
Aí vão as ações e atividades previstas na ADJ, em Sampa, no mês de Setembro: GRUPO DE CRIANÇAS E PAIS 06/09 - Sábado 3 a 6 anos – 9:00h 7 a 11 anos – 10:30h (Grupo de convivência com foco na importância do auto cuidado e autonomia no tratamento das crianças com diabetes.)                              GRUPO DE ADOLESCENTES E PAIS 13/09 – Sábado – 10:00h GRUPO DE ADULTOS 17/09   Quarta-feira – 14:00h Compartilhe suas vivências e obtenha resultados positivos para suas dificuldades, sempre com orientação psicológica.   GRUPO DE JOVENS MAIORES DE 16 ANOS   20/09 – Sábado – 14h00 Sempre um novo tema é disparado gerando a discussão, interação e troca de ideias entre os jovens. DIA-A-DIA COM DIABETES TIPO 1 e 2 Grupos: 6 a 11 anos / 12 a 17 anos e adultos Todas as terças e quintas. ARTE TERAPIA Todas as sextas -  9:00h ADJJUR – ATENDIMENTO JURIDICO Todas as terças e quintas MAPAS DE CONVERSAÇÃO EM DIABETES (Atividade interativa