Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

11 setembro, 2015

De 1 pra 2: o prato recheado de saúde!

Lá vamos nós ressaltar mais uma vez a importância de uma boa alimentação - nunca é demais!
Mas hoje o foco são os docinhos que convivem com o tipo 2 do diabetes.

A diferença principal entre um tipo e outro, como explicado pela Sociedade Brasileira de Diabetes aí embaixo, é que o tipo 1 é uma doença autoimune, que leva à interrupção na produção de insulina pelo organismo. O tipo 2 acontece quando o organismo não produz insulina suficiente para combater a quantidade de açúcar e/ou gordura ingeridos:
Com atenção e o comprometimento no tratamento, o diabetes tipo 2 pode ser controlado com uma boa rotina de atividades físicas e, claro, com uma alimentação adequada.

Para ajudar nessa tarefa, quem dá as dicas e as orientações é a minha amiga querida Flavia Marques de Castro que, além de ser Nutricionista, é Educadora em Diabetes.
"Características da Alimentação Para o paciente com Diabetes Tipo 2, visando buscar as melhores opções e garantir um prato saudável: 
O consumo de alimentos com carga glicêmica reduzida deve ser sempre priorizado. Esses alimentos elevam a glicemia de forma mais lenta, ajudando a manter o diabetes sob controle. 
Mas que tipos de alimentos são esses? São as frutas, verduras e alguns legumes. 
Isso não quer dizer que os cereais devam ser excluídos da dieta, mas para evitar picos hiperglicêmicos, devemos valorizar o consumo dos integrais - arroz, pães, massas, biscoitos, que possuem mais fibras e elevam a glicemia mais lentamente.  
As fibras solúveis presentes na batata yacon e na aveia ajudam no controle glicêmico. Por isso, recomenda-se o consumo desses alimentos no seu dia a dia. As leguminosas (feijões, vagens) também ajudam no controle da glicemia, pelo seu teor de fibras solúveis. A combinação arroz integral com feijão é excelente! 
Outro cuidado importante envolve o consumo da frutose, que é o açúcar das frutas. Ela se transforma em glicose no organismo e sabemos que quando há excesso de glicose no sangue e a mesma não é absorvida, essa situação está associada à resistência insulínica. Ou seja, a insulina funciona de forma mais lenta e a glicose demora a ser absorvida. A glicose, nossa maior fonte energética, transforma-se então em energia excedente, que passa a ser acumulada no tecido adiposo (obesidade), e no fígado (esteatose hepática).  
Isso significa que é para restringir o consumo de frutas? Não! Quando consumimos as frutas, principalmente com a casca, as fibras auxiliam na absorção dessa frutose e ajudam para que a glicemia não fique tão elevada. 
Mas é importante ressaltar que a frutose também está presente em produtos industrializados. Ela tem sido adicionada no xarope de milho, que por sua vez é utilizado em refrigerantes, sucos de caixinha, ketchup, mostarda, frutas enlatadas, bolos e pudins. Então, ação número um: olho no rótulo! 
Quanto às carnes, ovos e peixes, por não terem proteína podem ser consumidos à vontade? Não. Esses alimentos têm gordura em sua composição e essa gordura em excesso interfere na glicemia também. O excesso de gordura na alimentação pode favorecer a formação de radicais livres e acabar gerando uma resposta inflamatória. Quando isso ocorre, é mais difícil controlar a glicemia. Aqui vale então lembrar das gorduras saudáveis, que são as presentes no abacate, azeite, nozes e nas castanhas."  
Parece difícil, dá a impressão que são muitas regras para serem cumpridas. Mas na verdade, o que está apresentado aqui são recomendações para melhores hábitos alimentares. A melhoria na saúde, principalmente para quem convive com o diabetes, é certa!

A substituição pode ser aos poucos... 
Em vez do arroz branco, amanhã experimente o integral. Em vez de um prato de massa branca caprichado no molho, uma salada de entrada seguida de uma porção de macarrão integral. 
O copo de suco pode ser trocado por uma fatia de fruta. 
O arroz com feijão pode vir acompanhado por um bife (sem gordura!) e espinafre refogado.

Um dia de cada vez e os novos hábitos vão sendo incorporados, garanto! Quando você menos esperar, vai perceber que a alimentação mais equilibrada só traz melhores resultados de glicemia e um melhor controle do diabetes. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário