Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

07 março, 2015

Direto no ponto!

O papel da insulina é compensar o açúcar no organismo, fazendo com que entre nas células para se transformar em energia. 
Normalmente, esta compensação é feita o tempo todo em pessoas que tem o pâncreas trabalhando. 

Em quem convive com o diabetes e precisa tomar insulina diariamente, um dos desafios é manter a glicemia controlada. Isso porque a insulina age por certas horas (varia conforme o tipo e o uso) e algumas vezes a dose injetada não compensa tudo o que foi ingerido (é uma matemática!!).

Algumas pesquisas já trouxeram soluções que melhoram bastante a forma de manter esta conta com saldo positivo (bomba de insulina, pâncreas artificial, insulinas de longa e longuíssima duração).
E - ainda bem que eles não pararam por ali - os estudos seguem!!

Agora o foco vem para uma insulina classificada como 'inteligente'.
Também de longa duração, o que faz dela diferente das demais é que, uma vez injetada, ela atua cada vez que há a ingestão de alimentos, durante um período de aproximadamente 14 horas. 
Os especialistas bioquímicos da Universidade de Utah, que estão liderando este estudo, chamam o medicamento de "derivado de insulina" e garantem que ele controla a glicemia "melhor do que qualquer outra coisa disponível para pacientes com diabetes".

Os testes em ratos mostraram bons resultados, mas seguirão por mais um tempo, com a expectativa de que os primeiros testes em humanos ocorram entre dois e cinco anos!

Avanços a passos largos...
E que sigam neste rumo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário