Quem tem saúde tem tudo?!


Muito se fala pelos quatro cantos do mundo sobre a saúde: Come isso que faz bem, mas aquilo não porque faz mal. Isso engorda. Isso ajuda a ter uma boa memória. Esse chá é ótimo para o equilíbrio do organismo. Correr deixa o coração mais forte. Pegar sol é importante. E por aí vai... 

O fato é que pra onde se olhe há algum alerta ou alguma informação destacando benefícios e malefícios de determinadas ações para a nossa saúde. E na maioria das vezes, a gente só se dá conta de que tudo tem uma razão quando a gente "perde" alguma parte dessa liberdade.

Não precisa ser nenhum expert pra saber que sem saúde a gente não vai à lugar nenhum.

A definição da Organização Mundial de Saúde (OMS) para este "bem" é motivo de controvérsia até hoje: "um estado completo de bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças" (fonte: Wikipedia).

O que gera a discussão é justamente a inclusão do 'mental' e do 'social': "definir a saúde como um estado de completo bem-estar faz com que a saúde seja algo ideal, inatingível (...)".

Discordo do inatingível.
Honestamente, uma boa condição social com o mínimo que cada cidadão deve ter - boas condições sanitárias, água tratada, esgoto tratado e não à céu aberto, acesso à alimentos 'não-industrializados' ... - influencia diretamente no mental e no físico!  




Que esse 'inatingível' seja desconsiderado. 

Que se busque cada vez mais atingir os 3 pontos que garantem a completa condição de boa saúde.





E para que, como eu, tem uma condição que precisa de atenção diariamente, que se tenha a consciência de que isso não significa não ter saúde. 
Significa só ter que ser mais atento à ela.

Faça por onde...


...o retorno é garantido!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...

Pelos caminhos da vida doce...