Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

31 outubro, 2012

Para ser Nobel!


Há algum tempo escuto falar de estudos com células tronco visando a melhoria das condições de saúde dos pacientes com diabetes e, porque não, a cura desta doença crônica!

No Brasil, o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto avançou bastante nestas pesquisas e já realiza alguns tratamentos neste sentido. 


Mas esse é um assunto que está no centro das atenções de todo o mundo. Por conta disso, este ano dois pesquisadores foram contemplados com o Prêmio Nobel de Medicina.

A pesquisa realizada por eles (individualmente) teve o mesmo tema: as células IPS: Induced Pluripotent Stem Cells, ou Células-tronco Pluripotentes Induzidas.

Como descrito na matéria da SBD, o que as diferencia das células tronco embrionárias é o fato delas serem formadas a partir de células adultas. Assim têm, entre outras, a vantagem de serem consideradas "fonte praticamente inesgotável de células-tronco" e por não utilizarem embriões, "driblam problemas morais, éticos e religiosos".

E qual é a importância disso tudo no tratamento do DM?

Conforme descrito pelo Dr. Carlos Eduardo Barra Couri, "este tipo de pesquisa passar a ser útil como fonte inesgotável de células beta com a vantagem de ter o DNA do próprio paciente. Estas células então poderão servir de fonte de ilhotas nos estudos de transplante de ilhotas pancreáticas (...)"

Como resultado, pacientes tanto de DM1 como de DM2 poderiam ter, respectivamente, o repovoamento e a regeneração das células beta, que são as grandes responsáveis pela produção da bendita insulina no organismo!

Pois então, meus sinceros agradecimentos a estas pessoas, que trabalham para tornar realidade o que a gente tem como esperança e fazem com que a nossa confiança só aumente! 
Um viva!


30 outubro, 2012

Saúde x Vaidade??


Antes de descobrir que estava com diabetes, emagreci uns 8 quilos em menos de 1 ano. E isso sem fazer esforço... Acreditava que era porque estava viajando muito a trabalho e assim acabava não comendo bem. E ainda tinham meus ensaios... Juntei uma coisa com a outra e deixei passar. 

No geral, estava me sentindo bem e não imaginei que pudesse ser o sinal de que alguma coisa estava errada. 

Uma amiga super querida que é psicóloga (excelente, diga-se de passagem!) e já trabalhou com distúrbios alimentares me disse uma vez que se eu tivesse engordado esses mesmos 8 kg, sem mais nem menos, era bem provável que tivesse procurado um médico.

Nunca me preocupei em estar magrinha ou gordinha e menos ainda com o que as pessoas achavam. Mas quer saber: ela tem razão.

Hoje em dia a preocupação com a estética, em ter um corpinho violão e de acordo com os padrões exigidos pela sociedade é tão grande que as pessoas deixam a saúde em segundo plano se for preciso...

Por isso, recomendo o artigo da Dra. Marlene Merino Alvarez (Nutricionista do Departamento de Nutrição da Sociedade Brasileira de Diabetes e da Universidade Federal Fluminense) que foi publicado na página da SBD semana passada.

O que ela sugere é que a alimentação a que estamos acostumados já é o primeiro passo no caminho de uma alimentação mais balanceada e saudável:

"(...) outras culturas como a brasileira também possuem vantagens nutricionais, como nossa tradicional mistura "arroz com feijão" que possui a combinação perfeita de aminoácidos (proteínas) (...)."


"O cardápio saudável brasileiro inclui muitos itens tradicionalmente consumidos, por exemplo o tradicional cafezinho (com adoçante), que pode ser misturado ao leite (desnatado para adultos) e acompanhado pelo pão francês com margarina (...)."

Na verdade, logo que comecei a ler o artigo me remeteu a esta situação e, uma coisa leva à outra, ao assunto deste post.
Mesmo nunca tendo me preocupado, tenho que admitir que não engordar mesmo comendo muito bem (sempre fui "boa de garfo", mas estava comendo além da conta - outro sintoma que na época passou despercebido) era confortável...

Hoje em dia, presto atenção em qualquer detalhe. E, embora nunca tenha feito isso, não abro mão da minha saúde por nada!

29 outubro, 2012

Big Blue Test: segundo balanço...


Como eu já previa, nesta última semana não fiz exercício algum!

Viajei na segunda-feira cedinho e fiquei a semana toda fora a trabalho. Foi bem cansativo, não deu para ver a hora passar! Mas bem produtivo também. E foi importante para retomar o fôlego: olha só como está minha usina:


Depois emendei uma viagem de final de semana para ir ao casamento de uma amiga.

 Com tudo isso, não pude contribuir com o Big Blue Test...

Mas de qualquer maneira, a campanha continua. 
E o status é de 4.101 registrados até agora.
Ainda está um pouco longe da meta, mas ainda temos 2 semanas pela frente!





26 outubro, 2012

Azul de céu!

E já que hoje passei a maior parte do dia voando, o azul vem do alto!


Uma coisa que curto em voar é estar sobre as nuvens e poder olhar tudo lá de cima!

Estava em Porto Velho desde segunda-feira e hoje, depois de uma semaninha bem puxada (e que parece ter durado mais tempo que os 5 dias úteis), voltei.

Cansada, ainda com uma lista de tarefas de trabalho interminável, mas na Ilha da Magia!
Casamento de amigos, matar a saudade da família... Compensa até o fato ter acordado no meio da madrugada para viajar e ter tomado um cházinho de cadeira no aeroporto antes de embarcar, por conta de mau tempo onde nossa aeronave estava!

Primeiro trecho foi ok. Conexão em BH no horário (corrida, por causa do atraso do primeiro voo), um pouquinho de turbulência no caminho até o Sul (desnecessário!)... mas agora pés no chão de Floripa!

"Portas em manual: desembarque autorizado".

Agora é só curtir o final de semana!


25 outubro, 2012

Meu Prato Saudável


Olha que legal: o Hospital das Clínicas em parceria com o Instituto do Coração (InCor) lançou este mês o Programa Meu Prato Saudável.

O programa (que pode ser consultado pela internet ou baixado como aplicativo de celular) visa "garantir que todos os nutrientes essenciais ao organismo estejam presentes no seu dia a dia" e "mostra de maneira visual e facilitada as porções de alimentos que compõem a pirâmide alimentar (...)".

Os alimentos estão divididos em 12 categorias: Cereais, pães, tubérculos e raízes; Carnes e ovos; Frutas e hortaliças; Leguminosas; Leite e derivados; Óleos e gorduras; Açúcar; Sal; Sal light; Adoçante; Líquidos; Sucos; Café; Chás; Cerveja e vinho; Refrigerantes.

Além de apresentar a porção ideal de cada um, ele descreve os benefícios e, quando é o caso, alerta para o que não deve ser consumido.
O programa também indica como montar um prato equilibrado e apresenta uma sugestão de cardápio semanal para as principais refeições do dia.

Para complementar, tem dicas para levar uma vida mais saudável e tranquila e para a prática de exercícios e os benefícios que os acompanham!

Claro que não substitui a orientação médica, mas na prática pode facilitar bastante!


22 outubro, 2012

Big Blue Test: primeiro balanço.

1 semana de testes desde o lançamento da campanha e a minha primeira parcial:


(sem atividades no dia 21/10/12)

De acordo com o site do Big Blue Test, do início da campanha até hoje foram registrados 2.069 testes (lembro que a meta é chegar em 20.000).

A não ser pelos meus ensaios da batucada, não estou praticando nenhuma outra atividade física atualmente. Parte porque o tempo está curto e parte porque quando pinta um tempinho extra, vem junto uma preguicinha mais a vontade de ir a uma sessão de cinema ou ver alguma coisa da casa nova...

O fato é que me propus a participar e aproveitei que uma parte do meu trajeto de casa até o trabalho dá uns 15 minutos andando para usar isso como exercício e assim poder participar. De certa forma, foi bom para comprovar que mesmo sendo um tempo curto, já faz efeito sob a glicemia.

No primeiro dia achei esquisito, pois além de não ter reduzido, ficou um pouquinho acima da primeira medição (assunto para a próxima consulta com a minha Super Endócrino). 
Nos outros dias, a redução é clara!

O bacana é que pelo que eu tenho acompanhado no blog do Big Blue Test, também tem sido bem positiva a resposta dos demais participantes.

E confesso: os resultados me empolgaram para voltar a praticar alguma outra atividade regularmente.

Mas por hora, viagem de trabalho já no início da semana com previsão de não ter tempo nem para respirar e com 2h de fuso-horário!! 
Cuidado redobrado e vamos nessa!

19 outubro, 2012

"... essa cor que azuleja o dia ..."


Eu sei que já devo estar ficando chata com esse tal 'Dia Mundial do Diabetes'... campanha pra cá, divulgação pra lá... Mas, me desculpem, se é pra levar informação à quem não tem e prevenir que outras pessoas desenvolvam o DM ou então que não o levem a sério, vou ser insistente! 

Nesse caso, como dizem por aí, acho mesmo que "o que abunda não prejudica".

A não ser pela evolução de saúde e pelo meu tratamento, não sou de falar muito de mim... E aí, quem não me conhece bem não sabe o quanto eu curto música (viveria só de música! Adoro!!)

Dito isso... porque não unir o útil ao agradável? 
Aproveitando que hoje é sexta-feira e que agora as minhas sextas são azuis (se quiser deixe as suas assim também!), a dica para começar bem o dia é uma música linda do Djavan que se chama, nada mais nada menos, 'Azul'!




"... Se acaso anoitecer
E o céu perder o azul
Entre o mar e o entardecer

Alga marinha, vá na maresia
Buscar ali um cheiro de azul
Essa cor não sai de mim ..."


Foco no objetivo... Ainda que seja através de uma boa canção!

18 outubro, 2012

Eu me rendo!!


Logo que fui diagnosticada com DM1, fui a consulta com uma nutricionista e, confesso, não assimilei muito do que foi falado na porque ainda estava sob efeito do susto.

Mas uma única coisa me incomodou e eu não consegui esquecer: a sugestão para substituir o leite integral pelo desnatado! 

Eu gosto de leite. Fato. Bebo puro. Sem adoçar nem nada... acho o desnatado ralo... Foi um choque!

Sempre comi bem. Já usava os integrais (arroz, massas) em substituição ao brancos, sempre comi bastante salada, legumes. 
E meu leite integral. 
Daí o motivo de ter ficado tão chateada.

E segui em frente com as alterações na alimentação, deixando mais equilibrada, prestando atenção desde então na quantidade de fibras, carboidratos, gordura... mas o leite eu não consegui. 

O tempo passou, fiz 'n' exames cujo resultados estavam bons (triglicerídios e colesterol lindos!), fui a uma nova nutricionista e o conselho pela alteração do tipo de leite "esquecido".

Eis que, como mágica, de um dia para o outro me rendi e resolvi adotar o leite desnatado.

Há uma justificativa (na verdade, duas): minhas glicemias andavam esquisitas (repetidas vezes) e isso vinha me deixando incomodada... Em paralelo, a última lata que eu tinha em casa do integral (usava o Ninho instantâneo) acabou! Optei pelo desnatado em pó nas compras da vez (Elegê)...  

(Só para registro: bebo leite no café da manhã diariamente e praticamente toda noite na ceia)

Resultado: em somente 2 dias foi incrível a diferença na glicemia medida.
Cerca de 25mg/dl menor em jejum!!

Eles tem praticamente a mesma quantidade de carboidratos, mas como o integral tem muito mais gordura que o desnatado e nessa conta gordura = açúcar, acaba influenciando diretamente na glicose.

Ufa!


Equilíbrio de volta, vida que segue!






17 outubro, 2012

O cara!



Sir Frederick Banting. 
Sabem quem ele é? 
Médico e um dos principais responsáveis pela descoberta da insulina e suas funções, em 1921.

Isso significa que por causa dele, aproximadamente 25% das pessoas que tem diabetes no mundo e que precisam tomar insulina diariamente (de acordo com estimativa da Diabetes Hands Foundation) tem a possibilidade de se tratar!
Por causa dele, uma doença fatal, para a qual não havia solução, pôde ser "promovida" à crônica, tratável e possível de ser combatida.

Não é por acaso que o Dia Mundial do Diabetes é celebrado no dia 14/11: era a data do seu aniversário.

Apresentações feitas, acho que todo mundo já reparou que o Google cria desenhos, imagens ou vídeos sobre as letras que forma a palavra da página principal em datas representativas: uma comemoração importante, aniversário de alguma celebridade da música e das artes, datas históricas ou festivas e por aí vai. Isso se chama doodle.

E agora, com a proximidade do dia 14/11, foi lançada uma nova mobilização online (em 2011 também aconteceu, mas não deu certo) para tentar colocar esse 'tal' cara num doodle especial, para fazer jus a tudo o que foi alcançado e conquistado desde então.

Pode não parecer nada demais, mas o fato é que a gente ganha mais uma chance de difundir as reais possibilidades de uma boa (con)vivência com o diabetes.

Para participar basta assinar colocando seu nome e e-mail no site da petição e torcer!





16 outubro, 2012

"... meu docinho de coco, tá me deixando louco ..."


O brigadeiro de chocolate com castanha fez sucesso... levei para as amigas do trabalho e depois de um pouco de propaganda cumpri a promessa e fiz o de coco para elas provarem.

Já tinha feito outras vezes mas não tinha colocado a receita aqui ainda porque este tem uma particularidade: não tem medidas certas! 
A ideia surgiu um dia que bateu a vontade de comer um docinho diferente, que não fosse de chocolate (apesar de amar!). 

Comprei os ingredientes, testei e deu certo:
Leite condensado diet (uso um vidro grande ou dois pequenos)
Leite de coco e coco ralado sem açúcar (à gosto!)
1 colher de sobremesa (rasa) de margarina

Para fazer, coloco o leite condensado, a margarina e o um pouco do leite de coco juntos na panela e deixo misturar com o fogo baixo. Vou acrescentando o coco ralado e mais leite de coco - e quando digo que é à gosto, é porque vou colocando e provando... adoro leite de coco e ele dá um sabor delicado - mantendo o fogo baixo para ir cozinhando bem, sem correr o risco de queimar. 


O ponto é o mesmo do brigadeiro comum: quando a começar a se soltar do fundo da panela está pronto! 

Vale comer de qualquer maneira... direto da panela, servido num prato, ou - para ficar mais charmoso - como feito numa festa de criança!



15 outubro, 2012

Big Blue Test

E o desafio está no ar: A Diabetes Hand Foundation, uma instituição americana sem fins lucrativos, lançou a campanha do Big Blue Test como parte das ações para o Dia Mundial do Diabetes.

Funciona assim: você se compromete, em um período de 30 dias (o mês que antecede o grande dia!) a fazer exercícios físicos e medir as glicemias antes e depois. Você divulga seus resultados - que devem ser de redução nas taxas de açúcar no sangue em até 20%! - no site do programa e  a partir daí contribui com o objetivo, que é encorajar outras pessoas mostrando que o controle do DM fica mais viável com a prática de exercícios. 

E mais: Para cada teste compartilhado, a instituição irá doar medicamentos e auxílio no tratamento para pessoas que não tem condição financeira de bancar. 

Este ano a meta é atingir 20.000 testes registrados, que se transformarão em USD 100 mil para 5 projetos nos EUA e 2 internacionais (estou tentando identificar onde e quais são, mas ainda não consegui maiores informações...).

Pois o fato é que eu vou participar!

Não sei se vou conseguir cumprir o propósito e fazer diariamente, mas prometo que vou me empenhar ao máximo e vou divulgando as parciais ao longo do mês (as minhas e as da campanha).

Foi dada a largada!!



14 outubro, 2012

Keep Calm e foco: falta 1 mês!

Falta 1 mês para o Dia Mundial do Diabetes.
Em 2012 o tema é 'Educação e Prevenção'.

  • Incentivar os governos a implementar e fortalecer políticas para a prevenção e controle do diabetes e suas complicações;
  • Disseminar ferramentas para apoiar as iniciativas nacionais e locais para a prevenção e controle do diabetes e suas complicações;
  • Destacar a importância da educação baseada em evidências na prevenção e controle do diabetes e suas complicações (grifo meu);
  • Aumentar a conscientização dos sinais de alerta do diabetes e promover ações para incentivar o diagnóstico precoce;
  • Promover ações para reduzir os principais fatores de risco para o diabetes tipo2;
  • Promover ações para prevenir ou retardar as complicações do diabetes (grifo meu).

O destaque no terceiro tópico foi, sem querer 'puxar sardinha' pro meu lado, porque eu acredito mesmo que é possível controlar o diabetes. 

Se aplicar a fórmula [alimentação + exercícios físicos + tratamento correto], não tem erro!
Está sem fazer exercícios por um período, capricha na alimentação. Relaxou e comeu um pouquinho além da conta ou não resistiu a um doce que é seu ponto fraco, aumenta a dose dos exercícios!
A única parte fixa é a do tratamento. Esse é inegociável e qualquer alteração só com devida recomendação médica!!

O último tópico também vai de encontro a essa questão.
Primeiro porque o controle adequado já é, por si só, um grande desvio do caminho das complicações.
Segundo porque, vide este blog, sou uma super entusiasta de que quanto mais forem divididas as experiências pessoais, maior a chance de outras pessoas acreditarem e se empenharem nos seus respectivos tratamentos.
E infelizmente (ou, felizmente...), tanto para o lado positivo como para o negativo.

Neste sentido, acho muito importante focar não só na prevenção do DM, mas principalmente na prevenção das sérias complicações que a falta de cuidados por gerar.

E assim como a Operação Lei Seca trabalha com vítimas de acidentes causados pela mistura de álcool e direção, ou como as campanhas anti-tabagismo que divulgam nos maços de cigarro imagens dos problemas decorrentes do fumo, penso que pegar no ponto fraco pode chamar a atenção até dos mais resistentes em assumir sua condição de paciente com diabetes...

De uma forma ou outra, o que importa é a ação!
Minha, sua, do Governo, dos órgãos responsáveis, dos médicos, dos amigos, da família... 

Seja como for:





12 outubro, 2012

Tudo azul!


E uma das ações da Sociedade Brasileira de Diabetes para a campanha deste ano é a Sexta Azul, baseada numa iniciativa da International Diabetes Federation (IDF).


Basta vestir azul!
Escolha um modelito que você curta, capriche em algum acessório, num tênis ou um sapato bacana... 
Seja como for, capriche no azul.

Use e abuse!

Parece uma coisa pequenininha, mas basta que uma única pessoa pergunte porque do 'azul'...
O foco é chamar atenção mesmo. Para a prevenção, para a informação.

Quanto mais divulgado, mais compartilhado, melhor!

11 outubro, 2012

Só quero chocolate!

Ontem tive um encontro de amigas queridas e na hora da sobremesa ganhei esse esse chocolate (delícia!) da anfitriã!


Não conhecia a marca (Nugali) e adorei o chocolate! Fui buscar maiores e informações e descobri só coisas boas: eles são fabricados em Pomerode / SC, de uma maneira super especial: eles utilizam a baunilha natural e amêndoa do cacau para fazer a massa de cacau, que é base de todos os produtos.

Outro ponto alto: as opções 'zero' não contém glútem, lactose, glicose, sacarose e nem frutose! Eles são adoçados com o edulcorante taumatina (outra novidade para mim...): não achei nenhuma publicação específica sobre esse tipo de adoçante, mas consegui saber que é produto de uma mistura de proteínas extraídas de uma planta da África, totalmente natural.

Além da barrinhas sem açúcar, tem o Fondue de chocolate ao leite zero açúcar!

Pelo site vi que as lojas são só no Paraná e em Santa Catarina, mas é possível comprar pela loja virtual também (R$ 31,20 o frete). 
Aqui no Rio minha amiga fofa comprou no CADEG.

Vale a pena provar!

10 outubro, 2012

É de brincadeira!


E mais uma vez a tecnologia vem a favor!

Engenheiros americanos desenvolveram um brinquedo que ajuda crianças com Diabetes tipo 1 a entender um pouco mais sobre os cuidados que demandam diariamente.

O nome dele é Urso Jerry (Jerry The Bear) e ele também tem DM1. Este é o propósito: as crianças precisam cuidar dele... Monitorar os níveis de glicose e até aplicar insulina! Assim, elas aprendem brincando e entendem com mais facilidade o que precisam fazer para se manterem saudáveis e bem.


Ainda não está a venda no Brasil, mas a compra pode ser feita diretamente pelo site do produto e entregue aqui (atenção para aqueles que optarem pela compra: sobre o valor do produto já convertido em R$ será cobrado 60% de taxas / impostos de importação!). 
O amigo custa 200 dólares. 

Se um adulto nem sempre consegue manter o foco no tratamento e cumprir as devidas restrições, imagina para uma criança como deve ser complicado entender porque todas as demais podem comer uma bala ou um doce e ela não. Mais: porque ela precisa tomar injeção (injeções...) todos os dias!?

Com uma brincadeira deve ser bem mais tranquilo administrar estas questões!





09 outubro, 2012

Blog de Educação em Diabetes


Já tinha citado aqui o blog Educação em Diabetes quando fiz um post sobre o pâncreas artificial
Mas - não sei porque - nunca falei sobre o blog especificamente!

Eles sempre, SEMPRE, tem uma notícia interessante e atual, uma receitinha prática, saudável e gostosa, informações importantes sobre quais cuidados os pacientes precisam ter, como ter uma vida saudável de maneira mais tranquila gerenciando bem o DM, como família e amigos podem interferir e ajudar...

Vale muito a pena uma consulta frequente para ver o que tem de novidade e informação.
Seja na medicina seja em termos tecnológicos, o avanço na prevenção e no tratamento do diabetes acontece e bem rápido.
Por mais que em alguns casos um medicamento específico ou uma nova maneira de monitorização só estejam disponíveis fora do país, acho bem legal ver o que está acontecendo around the world, até porque hoje em dia em curto (no máximo médio) prazo vai chegar aqui.


Ler, estudar, pesquisar e me manter atualizada, buscar outros exemplos...
O fato é que se tornar mais sabido e conhecer o problema, ajuda bastante na solução.

Eu tenho plena consciência das consequências que um mau comportamento no dia a dia pode me trazer futuramente. 



E honestamente acho que não vale a pena!

Já disse aqui mais de uma vez que nada é tão fácil, mas é viável e absolutamente possível.
E tendo plena noção de como esse tal diabetes funciona, em como ele interfere no meu organismo e nas complicações que ele pode causar (fica a sugestão pro Xexéo incluir o DM entre os candidatos a mala do ano em todos os anos!!) penso duas - ou três, ou quatro, ou cinco... - vezes antes de fazer uma estripulia ou uma bobagem!

O mais bacana é que o blog é feito por especialistas e pacientes, ou seja, que conhecem e sabem de fato como é conviver com esse cara que na maioria das vezes chega sem ser convidado.

08 outubro, 2012

Troca-troca!



O foco eram corredores, esportistas profissionais ou de final de semana, visando um melhor aproveitamento da energia que cada um dos alimentos pode oferecer.

E o interessante é que parte do que foi apresentado pode ser adotado por quem tem diabetes...

No total foram 30 propostas, cada uma com a sua devida justificativa!

Alguns exemplos:

TROQUE Amendoim
POR Amêndoa, castanha-do-pará e castanha de caju
QUANDO? No lanche das 11h

POR QUÊ? A troca de um pacotinho de amendoim pela mesma quantidade dessas outras oleaginosas é bem melhor para regular os níveis de glicose no sangue ao longo da primeira metade do dia. "Quando consumidas juntas, as três são mais completas em termos proteicos e são uma fonte de energia mais duradoura que açúcar e carboidratos", diz a nutricionista australiana Simone Laubscher.


TROQUE Batata
POR Batata-doce
QUANDO? Quando precisar de um almoço farto
POR QUÊ? Essa parente doce da batata tem menor índice glicêmico. "Isso quer dizer que esse carboidrato é processado mais lentamente pelo organismo e não induz picos nos níveis de açúcar ou na liberação de insulina", explica Price. Ela também contém mais antioxidantes para fortalecer o sistema imunológico.

TROQUE Cereal de flocos de milho açucarado
POR Aveia
QUANDO? Antes de sair para o trabalho
POR QUÊ? Por ser repleta de carboidratos de liberação lenta (que mantêm seus níveis de energia por mais tempo), ao contrário dos cereais matinais cheios de açúcar. "Ao mesmo tempo, a aveia tem menos fibras que os cereais integrais industrializados — ou seja, diminui as chances de você ter um desconforto intestinal", afirma Price. Vale misturar com um pouco de amêndoa, morango picado e xarope de agave.

TROQUE Macarrão branco
POR Macarrão integral
QUANDO? No jantar na véspera de uma prova
POR QUÊ? "Se a ideia é praticar exercícios de resistência, é importante reduzir o índice glicêmico das suas refeições", diz Price. "Quanto mais estáveis os níveis de açúcar no sangue, mais consistente a energia durante a corrida." O macarrão integral, além de baixo índice glicêmico (libera glicose no sangue aos poucos), contém mais fibras e vitaminas que o branco. O macarrão instantâneo integral Mãe Terra tem 250 calorias e 8 g de fibras.


TROQUE Alimentos brancos
POR Alimentos coloridos
QUANDO? Para toda a eternidade
POR QUÊ? "Nas frutas, verduras e legumes, o colorido é sinal de mais fitoquímicos, substâncias que reduzem a inflamação muscular", afirma Price. "No caso das fontes de proteínas, a cor significa menos gorduras e açúcares e mais nutrientes essenciais, como o ferro." E sim, infelizmente o que chamamos de alimentos brancos são delícias como pão francês, pão doce e outros produtos de padaria, que possuem alto índice glicêmico: causam picos e consequentes quedas bruscas nos seus níveis de glicose e, também, de energia. Resultado: você logo fica com fome novamente.


Mas vale sempre ressaltar que cada um deve consultar seu(s) médico(s) especialista(s) antes de colocar em prática o que a revista sugere. E além disso: as substituições devem se adequar à sua dieta, considerando seus demais hábitos alimentares e de atividades físicas, assim como os horários das refeições.

03 outubro, 2012

Castanheira de pacote!

Já tinha comprados alguns dos cookies diet da marca VITAO - morango com chocolate, laranja... Gosto mais que os da marca Jasmine. Mas nunca tinha provado os de castanha do pará.

Ontem a noite abri um pacotinho pra comer uns no lanche da noite (ou, como formalmente chamada, na ceia) e me surpreendi! 
Pensei que seria só o sabor, mas não:


Castanha pura!! 

E o melhor: cada 5 unidades (e são caprichadas) tem 21g de carboidratos e 3,4g de fibras.

Adorei!


02 outubro, 2012

Por que??


Por que todo iogurte natural light em garrafa é sem açúcar mas tem mel?

Por que as opções de iogurte diet são sempre nos sabores morango, ameixa ou mamão?

Por que as geléias diet servidas em hotéis são apenas no sabor goiaba?

Por que os restaurantes te respondem com "tem fruta" quando você pede uma sobremesa diet?

Por que quando você pede uma torta ou bolo diet em um café ou lanchonete, a opção é somente no sabor chocolate?

Por que as grandes marcas de sorvete só tem chocolate e creme como sabores diet?

Por que??



Nada de reclamações, somente um monte de fatos comprovados e que foram me chamando a atenção desde que descobri o DM1!

Impressionante.
O da geléia de goiaba então é certo!!

É claro que eu realmente tenho vontade de entrar em uma confeitaria e dar de cara com uma torta de limão ou bolo de cenoura, por exemplo, e poder escolher.
Mas é claro que eu entendo absolutamente a falta de outras opções.
Apesar do número crescente de pessoas com diabetes no Brasil (o que é uma constatação bem ruim...), ainda somos minoria. 

E economicamente falando, não vale a pena para estes lugares, sejam restaurantes, fabricantes e etc, colocar no mercado uma gama de opções que não teriam tanta saída e acabariam sendo perdidas.

Uma vez perguntei em uma sorveteria porque não tinha a casquinha sem açúcar, já que tinham uma boa variedade de sorvetes diet. E a resposta do dono reflete bem a situação: eles trabalharam um tempo com a casquinha diet, mas tinha pouquíssima saída. Com isso, eles acabavam tendo que jogar a maior parte no lixo, porque passavam do prazo de validade! E fazer em menor quantidade não era viável pela quantidade de tempo e material dispendida...

As poucas opções que são oferecidas se mostram suficientes para estas instituições, já que de uma forma ou de outra nos apresentam variações dos seus produtos na condição sem açúcar.

De qualquer forma, voto pela diversidade, pela criatividade!
Possibilidade de mais sabores e cores existem sim!
E atualmente, nem só quem não pode consumir açúcar se interessa pelos produtos sugar free...

Já dá pra repensar a estratégia, hein... 

01 outubro, 2012

Nem tanto e nem tão pouco...

Quando a gente tem uma doença crônica (o tipo de doença mesmo e não o estado de saúde) sempre tem  alguém que se aproxima e conta uma história, um caso de amigos ou parentes que também têm... e com isso já escutei várias vezes comentários sobre a monitorização da glicemia. 

Em sua maior parte, comportamentos no sentido de não medir a glicemia mais de uma vez por dia ou até por semana, para não correr o risco de ficar nervoso(a) se a glicose estiver alta (o que fazer com ela aumente ainda mais). Ou então, justificando que medir apenas eventualmente é o suficiente.

O fato é que o exagero ou a "fuga" podem trazer problemas!

Posso fazer o que for - comer além da conta, pular ou não dar o devido intervalo entre as refeições - mas sempre conto para a minha endócrino e/ou registro as variações das taxas medidas e quando for o caso as correções necessárias com a insulina de ação rápida.

Isso ajuda a avaliar meu comportamento e colocar os pezinhos de volta no chão! 
Contando ou não contanto, foi feito e influencia na minha saúde (e de todo paciente diabético) e pode interferir na tão falada e perseguida qualidade de vida!


Já percebi que hoje é bem mais fácil encontrar em restaurantes e mercados opções de alimentos sem açúcar, refeições melhor balanceadas... Mas em termos de informação sobre a seriedade do diabetes e principalmente em como preveni-lo (de novo a tal da prevenção!) não vi progresso.

Por mais que se realizem congressos, workshops e seminários específicos sobre o assunto, falta divulgação clara e objetiva em massa. 

Não vejo uma campanha em TV, rádio ou jornal! 

A não ser na época do Dia Mundial do Diabetes, não há ações e campanhas quer sejam da SBD, do Ministério da Saúde ou das Secretarias de Saúde Estaduais / Municipais...

E aí... o que falta pra fazer com que a educação em diabetes saia do papel e alcance a população?