Crônicas do Isolamento -- Ainda...

Quarentena, dia 551.
Até aqui, quinhentos e cinquenta e um dias evitando exposição que traga riscos. 
Até aqui, ainda esperando por dias melhores, mas sem deixar de reconhecer a sorte de estarmos bem e com saúde.

Ainda não acabou.


Ainda não tem vacina suficiente.
Ainda questionam a ciência. 
Ainda tentam convencer o povo sobre remédios com ineficácia comprovada.
Ainda insistem em dizer que máscaras não protegem.
Ainda tem quem ignore a importância do distanciamento.
Ainda tem hospital lotado.

Ainda tem uma CPI tentando provar que o presidente é culpado.
Ainda tem desdém pelas mortes ocorridas.
Ainda tem quem acredite em conspiração chinesa.

Ainda tem escolas sem condição de voltar a receber seus alunos. 
Ainda tem - muitos! - desempregados. 

Ainda tem luto.
Ainda tem luta! 

Ainda dói pensar em tudo que poderia ter sido evitado se os governantes desse Brasil continental fossem sérios e tivessem trazido as vacinas logo que elas foram oferecidas. 
Se eu não consigo mudar isso, eu ainda acredito que é tirando essa corja do lugar que eles ocupam que a dignidade de toda uma nação pode ser recuperada. 

E ainda tem o diabetes...
Porque esse é companheiro diário, na alegria e na tristeza. 
No todo dia de quem tem que ver se ainda tem insulina, se ainda tem sensor, se ainda tem tirinha para fazer a ponta de dedo, se ainda tem agulha.
Porque ainda tem quem não tem acesso aos insumos. 
Ainda tem quem não consegue marcar uma consulta. 
Ainda tem quem não sabe que a educação em diabetes é um direito.

Ainda tem muito a fazer.

Pelo fim da pandemia.
Pelas pessoas com diabetes.
Pelos direitos em saúde.
Pelo respeito. 
Porque aqui, respeito ainda é condição inegociável!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crônicas do Isolamento -- A vida de viés...

É preciso estar atento e forte!

Crônicas do Isolamento -- A fantasia lá na terra plana...