Crônicas do Isolamento -- Eu sinto muito...

Lanço aqui um desafio para você: e se você dependesse de uma 'vacina' diariamente para sobreviver?

Imaginou? Sentiu na pele? 
 
Substitua a vacina por insulina, adicione mais algumas doses ao dia e pronto:
prazer, essas somos nós, pessoas com diabetes.

Temos no Brasil um grande histórico de sucesso com campanhas de vacinação e erradicação de doenças endêmicas. Agora, por conta de tantos absurdos e notícias falsas que seguem sendo espalhadas, as pessoas têm uma resistência em encarar de frente o único recurso que salva conta a covid-19, a vacina. 

Não entendo. 
Medo de reações? Todas as vacinas são passíveis de reação. 
Medo de que seja inserido um chip de controle em você? Sério, não me dou nem ao trabalho de comentar... 
Medo de virar jacaré? "Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega".

Gente, eu sei que nem nos piores pesadelos alguém podia imaginar que viveríamos uma pandemia. Até então, isso era uma história de ficção que lotava os cinemas. 
Mas a realidade está escancarada todos dias desde o início do último ano. Agora já sabemos que existem três recursos eficazes: distanciamento, máscara e vacina! O resto, guardem para os roteiros de filme.

E, ainda assim, o que vemos todos os dias são notícias de aumentos nos novos casos diagnosticados. 

Por que?
Eu, honestamente, não consigo entender. 

Por que é tão difícil entender que não é para fazer festinhas ou shows? Não me venham com essa tese de que os eventos "seguem os protocolos de segurança". Isso é praticamente impossível. 
Você não vai conseguir manter um metro e meio de distância de outra pessoa em um show. 
Não vai. É simples assim.

Lembro quando o Brasil alcançou o número de 5.000 vidas perdidas. 
Me assustei, não conseguia acreditar que a gente não tinha, até ali, uma campanha concisa de conscientização sobre os cuidados necessários para tentar prevenir a disseminação do vírus. 

E aí, o Brasil alcançou a absurda marca de quase 5.000 mortes por dia. 
Mais uma vez o susto me dominou. Não era possível que isso ainda não causasse uma mobilização em massa de governantes de norte a sul. 

Agora, foi registrado o número absurdo de  q u i n h e n t a s   m i l   v i d a s   p e r di d a s   no país. 

No total, mais de 16 milhões de casos registrados no Brasil, praticamente o mesmo número de pessoas com diabetes que temos, de acordo com o último Atlas da Federação Internacional de Diabetes. 

A vacinação segue em passos mais lentos do que o necessário. 
Não têm doses para todos, não tem distribuição adequada em todos os municípios, não tem informação com clareza sobre que grupos estão sendo vacinados a cada dia. 

Em paralelo a isso, outros tipos de absurdos:

- O presidente faz firula por aí em passeio de moto (e sem máscara)
- O Ministério da Saúde continua completamente desestruturado 
- A CPI da COVID revela que foram pelo menos 11 negativas à ofertas de vacinas 
- Uma profissional de saúde respeitada e honesta é afastada mesmo antes de começar a atuar na equipe de saúde do Governo, porque conscientemente não concorda com as orientações do Presidente
- A falta de responsabilidade e de planejamento segue deixando pacientes sem medicamentos e leitos...

A lista é extensa, incansável e dura. 
Enquanto temos essa comissão parlamentar de inquérito em andamento, só consigo pensar e desejar que todos os irresponsáveis sejam apontados, identificados e que paguem pelos seus atos. 

Já se sabe que o que vai trazer o mínimo de 'normalidade' de volta aos dias é o alto índice de imunização das pessoas. 50% pelo menos... 75% torna o cenário ainda mais seguro. 100% é a meta que deveria ser buscada com a máxima urgência! 

Mas, enquanto isso, temos um campeonato de futebol sendo recebido em terras brasileiras, indo contra toda e qualquer recomendação de órgãos sérios de saúde no mundo todo.

Que tristeza. 
A gente sabe da capacidade de executar bem e com sucesso uma campanha nacional de vacinação. 
A gente sabe que devia ter sido diferente. 
A gente sabe que essas 500 mil histórias não deveriam ter se encerrado por falta de gestão e ação frente à pandemia. 

Não consigo nem pensar sobre a essa coisa de que 'nenhuma vida foi em vão'.
Nesse caso, foi sim. 
Foi, porque poderia ter sido diferente. Tinha que ter sido diferente!
Com atitudes corretas e que prezam pela saúde e pela vida da população, esse caos teria sido evitado.

Eu sinto muito. 
Sinto tudo! 
Raiva, decepção, vergonha, impotência. 

Sei que estamos todos cansados. Saturados. Esgotados. 
Mas eu também sei que, mesmo assim, o que nos cabe é continuar agindo pelo bem coletivo.

Quarentena, dia 461.
Vai passar. 
Mas ainda não passou...

Usem máscara. 
Só saiam se for absolutamente necessário
Se cuidem e cuidem dos seus, como puderem. 
E se vacinem! Essa é a nosso melhor e maior recurso. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crônicas do Isolamento -- O Bem do Mar

Crônicas do Isolamento -- Do lado de lá do portão...

Crônicas do Isolamento -- Um tanto de quarentena...