Autoestima e autocuidado: doçura na medida!

Diabetes não é uma ciência exata. 
Apesar de saber que por muitos anos o tratamento era definido considerando o gênero, o peso e a idade do paciente, sabemos que isso já evoluiu e hoje temos o tratamento individualizado.

Atualmente, o tipo e a quantidade de insulina são estabelecidos para cada um. Nessa fórmula, são consideradas as atividades do dia a dia, o tipo de trabalho, alimentação, se praticam atividade física ou não... tudo é levando em conta.

Então, a gente também consegue entender que não existe tratamento melhor ou pior, existe aquele que melhor se adequa e está ao acesso das pessoas com diabetes. 
Por isso é tão complicado quando alguém quer comparar resultados. 

- Minha glicemia não fica estável igual a sua. 
- Se eu comer isso, minha glicemia vai explodir. 
- Por que meu médico me passou mais insulina que o seu?

As dúvidas são genuínas e não devem ser descartadas. Ao contrário, faz parte do aprendizado questionar!
Só que nem sempre o que funciona para um serve para o outro. 

Assim é também para a forma como a gente se vê, como a gente encara um desafio, como a gente pensa e reage em uma situação adversa e como a gente acredita - ou não - no nosso potencial.
Não tem certo e errado, tem um pacotinho de fatores que podem interferir nesse resultado. 
Isso tudo aí é a nossa autoestima. 
E agora, de volta àquele papo de comparações, pode ser muito afetado quando a gente acha que o do outro é ou está sempre melhor.

Cada um é de um jeito.
Cada um vivenciou experiências distintas.
Cada um teve apoio (ou não) com uma intensidade diferente. 

- Ah, mas então o que eu faço para aumentar minha autoestima? 
Não existe fórmula.
Mas, se eu puder dar um conselho em relação ao diabetes, a informação e a educação em relação à condição estão diretamente ligadas ao autocuidado que, acreditem, interfere doretamente na nossa autoestima. 

É tão gostoso ver um resultado de glicemia esperado depois de um esforço para entender melhor a contagem de carboidratos! 
É tão legal acompanhar a evolução das glicemias quando mantemos os horários de aplicação de insulina organizados... 

É possível! 
Requer esforço e dedicação, mas é possível. 

Esqueçam a pressão por ter que acertar sempre e ter que ter sucesso sempre. 
Comemore cada conquista, das pequenininhas às enormes. 

E só mais uma coisa: cada um tem o seu tempo de aceitação do diabetes, de envolvimento com a condição e de aprendizado.
Ou seja, nada de entrar na onda de comparar o tempo para alcançar o que você deseja!

Vamos de clichê? Disciplina é liberdade.
Quanto mais a gente entende, mais seguro fica. Olha aí um passinho pra aumentar a autoestima! 

Conversem. 
Perguntem. 
Esclareçam.


Pontuem por onde querem começar e até onde querem chegar.  

Comecem devagar, mas comecem.

Cada avanço conta!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crônicas do Isolamento -- A vida de viés...

É preciso estar atento e forte!

Crônicas do Isolamento -- Que me passe...