Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

21 janeiro, 2014

Procure saber!

 
Já falei isso por aqui recentemente e a constatação vem sendo mais frequente: cada vez tenho visto mais revistas e publicações sobre o diabetes em bancas de jornal e livrarias.
 
Acho muito bom, afinal a informação ainda é escassa. Mas por outro lado, me preocupo um pouco com o conteúdo.
 
As últimas revistas que comprei são legais, mas só comprei as 3 pela curiosidade dos assuntos e da maneira com que seriam colocados e em uma delas pude comprovar o meu receio.
 
Em uma matéria específica, um dos temas aborda as tecnologias aliadas ao controle do diabetes.
Eles falam de aplicativos para contagem de carboidratos e gerenciamento das glicemias disponíveis, mas em momento nenhum indicam quais são e como as pessoas interessadas podem ter acesso.
 
Para uma publicação focada no público com DM, o mínimo era que constasse todas as diretrizes.
Cá entre nós - e sem falsa modéstia - até eu, que comecei a escrever não tem muito tempo e não tenho o conhecimento técnico sobre jornalismo e comunicação, pesquiso e me informo antes de divulgar, procurando passar toda a informação possível, com as devidas referências.
 
Ainda na mesma matéria, com o título 'Qualidade de Vida', o texto começa da seguinte maneira:
"Sofrer de Diabetes, assim como de qualquer outra doença crônica, nunca poderá ser algo bom."

Pronto! Indignação de imediato!!
 
Sou da opinião de que essa maneira bruta de enxergar o diabetes está diretamente ligada à falta de conhecimento sobre a questão.
Enquanto não houver a correta e ampla prevenção e o esclarecimento adequado sobre as causas e consequências, isso não vai mudar.
 
Não tenho dúvida de que antes, quando a monitorização da glicemia em casa, por exemplo, só era possível através da fervura da urina, à qual se aplicava um reagente, era sim bem complicado. Além disso, não tinha a gama de produtos sem açúcar que se tem hoje.
 
Mas me desculpem, não sofro não!
 
O que me causa sofrimento é saber que pacientes não tem o tratamento mais adequado porque o sistema público de saúde no Brasil só cobre alguns tipos específicos de insulina e nem sempre fornece os medicamentos e os insumos de monitorização.
 
O que me causa sofrimento é ver que falta educação, informação e cuidado.
 
Será que se houvesse uma campanha de prevenção constante e direta a situação não mudaria?
Será que se houvesse uma campanha sobre os efeitos de um diabetes não controlado - que neste caso, até concordo, pode trazer sofrimento para o paciente - a situação não mudaria?
 
 
Que tal levantarem o tema que infelizmente pode ser responsável por um sofrimento?
Será que não ajudaria a chamar atenção para o que realmente precisa ser visto?
Será que assim não chegariam de alguma maneira ao conhecimento das autoridades (in)competentes?
 
Que pensem e repensem... principalmente antes de escrever.
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário