Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

26 setembro, 2012

Denúncia sobre a indisponibilidade de insulinas!

Deu no Jornal: "Fim de espera por insulina apenas após denúncia".

Em matéria publicada em 22/09/12 no Jornal O Dia (reproduzida abaixo), mais uma polêmica sobre a falta das insulinas, mas dessa vez denunciando a demora para uma paciente receber os medicamentos que são disponibilizados pela Secretaria Municipal de Saúde.

"Depois de 31 dias de atraso, menina que sofre com diabetes recebe os remédios 
da Secretaria Municipal de Saúde
Rio -  Depois de mais de um mês de atraso, Victória Pimentel da Cunha, 10 anos, que tem diabetes, recebeu a insulina NovoRapid da Prefeitura do Rio. A entrega foi no mesmo dia em que reportagem do DIA denunciou o atraso. Cada caixa com cinco refis custa R$ 120, e o gasto total para atender à necessidade da menina fica em R$ 1 mil por mês.
A ligação que trouxe alívio ao segurança Carlos Henrique da Cunha foi às 13h. A secretaria entrou em contato avisando que o remédio para a filha dele estava disponível. Mesmo aliviada, a família lamenta ter que recorrer a denúncias para conseguir os remédios. “Só com ajuda da imprensa. Muitos amigos já me ligaram hoje”, conta Cunha.
Cunha afirma que a constante incerteza afeta emocionalmente a família, principalmente Victória. “Ela fica nervosa, e a glicose sofre alterações graves. A dúvida atrapalha a rotina dela”, desabafa. Em 2007, a Justiça determinou à Secretaria Municipal de Saúde que forneça a Victória as insulinas Lantus e NovoRapid e tiras de dosagem de diabetes. Mas o fornecimento é irregular. De acordo com a família da criança, a demora se repete a cada quatro meses, tempo previsto para a entrega de nova remessa.
A receita de Victória tem duração de quatro meses. Cunha garante que volta ao posto da prefeitura no bairro do Rocha nas datas indicadas, mas sempre há dificuldade. Segundo o segurança, quando vai retirar o medicamento, e o posto alega que está em falta, ele o encontra nas farmácias. “Eles só precisam ter boa vontade para resolver o problema”, disse.
A insulina NovoRapid é a única que consegue controlar os níveis de glicose de Victória quando ficam muito altos. Sem ela, a menina pode sofrer graves consequências. “Minha filha precisa disso para viver. Se ela passar mal e nós não tivermos o remédio em casa, o que vamos fazer?”, diz Cunha, preocupado.
Apesar das reclamações da família de que o atraso é recorrente, a Secretaria alegou que a demora na compra foi pontual devido a problemas com fornecedores."

A questão agora é saber de fato o que aconteceu... Realmente houve um problema de falta de insulinas no mercado. Mas, se a situação é recorrente, como indicado pelo pai da paciente, o problema pode ser ainda maior!

Nenhum comentário:

Postar um comentário