Fiasp: a insulina turbinada!

O que é, o que é: "pode ser injetado no início de uma refeição ou até 20 minutos após iniciar uma refeição"?



Essa é a Fiasp, a insulina ultra rápida que chegou no Brasil no início do ano passado e já vem sendo utilizada por muitos. 

Eu, interessada nos benefícios que ela trazia, logo quis mudar da que usava - NovoRapid - para a Fiasp, mas só este ano isso aconteceu. 

O fato é que, por causa da pandemia, suspendi minhas consultas com a minha endócrino e ela, corretamente, me orientou a seguir com o tratamento como estava até que pudesse fazer meus exames e estar no consultório pessoalmente. 

A expectativa ficou rodando por aqui... 
Esperei (ansiosamente!!) e em fevereiro, depois de fazer os exames pendentes e me consultar, minha Super Endócrino autorizou a mudança. 

Com as insulinas ultra rápidas, a regra básica é esperarmos mais ou menos 15 minutos a partir do momento da aplicação para então iniciar a refeição, para dar tempo da insulina começar a agir.
Na teoria, meu entendimento sempre foi claro. Na prática, a história era outra! 

Fome e pressa eram os principais fatores para eu não esperar, na maioria das vezes. 
Além disso, o medo de aplicar insulina em um restaurante, por exemplo, e quando chegasse a comida a porção ser menor do que a quantidade de insulina necessária para a quantidade de carboidratos que eu havia considerado.

A Fiasp já me indicava uma perspectiva bem melhor em relação à (não) espera.

Aos poucos fui acompanhando os efeitos, principalmente no pós-prandial. 
Monitorei muito nos primeiros dias, queria ver de fato os efeitos dessa ação imediata da insulina. 
Massas, pães e até doces mostravam resultados melhores pelo simples fato de já ter uma insulina ativa enquanto eu comia. 

Com a NovoRapid, eu tinha medo de aplicar com a antecedência necessária.
Medo de hipo, medo de demorar para chegar o prato no restaurante ou o delivery em casa, medo de aplicar uma quantidade de insulina e depois não comer tudo que eu imaginei que comeria... 
Com a Fiasp me permito aplicar logo na hora que vou comer e, se entendo que vai ser preciso, aplico mais durante a refeição. 

A grande diferença da Fiasp é que na composição ela tem uma molécula de vitamina B3 que faz a ação ser maios rápida. É como se ela fosse uma NovoRapid turbinada. 

Viva a tecnologia em saúde, viva a pesquisa e o empenho dos cientistas que seguem buscando melhorias para o que é tão fundamental para a gente. 

A recomendação da Novo Nordisk (a fabricante) é de uso adulto e pediátrico a partir de 1 aninho e ela é encontrada em canetas descartáveis, frascos ou refis. 

E para quem tem interesse em usar a Fiasp, se informem. Consultem um médico e perguntem sobre as alternativas, mas não mudem seu tratamento por conta própria! 

Seis meses depois do primeiro dia com a Fiasp, meus resultados são claros!
Raras vezes tenho pico de glicemia depois de comer alguma coisa. Me sinto mais segura e mais confiante aplicando imediatamente antes de dar a primeira garfada. 
Também sei que esses melhores resultados glicêmicos vão me garantir um menor risco futuro de desenvolver qualquer complicação.

Alô, CONITEC! Alô, Ministério da Saúde! Quem sabe em breve não conseguimos uma mudança no Protocolo do DM1 para já incluir a Fiasp??






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crônicas do Isolamento -- A vida de viés...

É preciso estar atento e forte!

Crônicas do Isolamento -- O Bem do Mar