Meu IP, um doce pré adolescente...

Onze anos.
Cento e trinta e dois meses. 
Quinhentos e setenta e duas semanas. 
Quatro mil e quinze dias. 

Esse é o tempo de vida desse blog. 

Lembro que ouvi quando lancei o blog no ar - tímida, insegura, com medo de que alguém jamais teria interesse por algo que eu escrevesse aqui - um comentário geral sobre a 'moda' de blogs: "começar é fácil, difícil é manter".

No meu caso, foi quase isso, com um ajuste nessa afirmação: começar não foi fácil.
Foi apenas um ímpeto de coragem e de firmeza porque a motivação era maior do que tudo que me dava medo. 
Depois de me descobrir diabética, eu descobri uma nova forma de viver o diabetes. Nada semelhante àquilo tudo que eu entendia como sentença... 

E desde então, a motivação continua maior!
Porque ainda existem pessoas que pensam que vão morrer disso mesmo. 
Que pensam que o diabetes não tem jeito. 
Que pensam que insulina é punição. 

Mas não é.
Nem punição, nem algo sem solução. 

Me manter no ar não tem sido exatamente uma missão simples. 
Não sou dessas de seguir a onda do momento e por isso vejo chegar e passar tendências que não funcionam para mim. 
Mais: não abro mão do que eu ainto por aqui diariamente: confiança, empatia, cumplicidade, reconhecimento, representatividade. Acima de tudo, mãos dadas. 

~ Eu não sou da sua rua 
Eu não sou o seu vizinho 
Eu moro muito longe, sozinho
Estou aqui de passagem ~ 

Como muito bem entoado por Marisa Monte, esse mundo não é meu. 
Não é só meu. 
Por isso, o respeito impera na minha escrita, na minha fala, no meu acolhimento a cada um que passeia por essas palavras e por esses sentimentos há 11 anos. 
Meu IP faz 11 e hoje eu tenho a certeza de que a profecia estava correta: é difícil manter. Mas mais difícil ainda seria parar e deixar informações, aprendizados e esse espaço de convivência e empatia para trás.

Vamos em frente, eu, meu IP e cada um de vocês que passam por aqui.
Obrigada!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando falta educação, sobra preconceito!

Hipo sem crise!

Fiasp: a insulina turbinada!