Crônicas do Isolamento -- Mais uma dose?!!

Eu sou chata. Quer dizer, eu estou chata.
Desde o começo da pandemia venho me cuidando e me mantendo em casa.
Faço isso porque, além de saber que minimamente é o que pode garantir uma proteção a mim e aos que estão no meu entorno, sei também que isso é o correto no caminho para acabar com esse caos.
Se tenho a oportunidade trabalhar de casa, não tem razão para me expor além do necessário

E por muito tempo, me mantive assim.
Não saía.
Não encontrava. 
Não ia ao mercado. 
O que podia chegar na minha casa, ok. 
Se não tinha proteção e segurança, esquece. 
 
Isso não era frescura. Era um cuidado para além do meu umbigo. 
Era para manter um mínimo de controle de riscos. 
Era isso o que estava ao meu alcance fazer.
Era amor.

E por esse amor, sigo ainda à esta máxima. 

Me permito, depois da vacina, parar em um restaurante com mesinha em espaço aberto e sentar para almoçar.
Me permito ir ao hortifruti escolher meus legumes e minhas frutas pessoalmente. 
Me permito.
E me permito também não estar com quem eu percebo que segue sem cuidados, sem máscara, sem pensar no coletivo. 

Logo que foi divulgado que o distanciamento social era a medida mais segura de prevenção, me tranquei. Não fazia ideia que seria necessário esse distanciamento por tanto tempo! 
A vacina me trouxe uma tranquilidade, ainda que não absoluta, para voltar a circular e sair um pouco do casulo. 

Só realmente não consigo entender essas permissões para públicos em estádios, shows sendo realizados, eventos onde a aglomeração é certa e impossíveld e controlar. 

Até agora, o país alcança a marca de quase 25% da população imunizada com a dose única ou as duas doses da vacina. Com novos casos acontecendo diariamente, já se fala em terceira dose ou dose de reforço.
Nenhum problema nisso, afinal a maioria das vacinas tem doses de reforço anualmente ou com alguns anos de intervalo entre elas. Mas já vejo pessoas rejeitando e inventando que a vacina não é eficaz, que não foi testada, que isso e aquilo... um monte de achismos e bobagens desmerecendo o que já se comprovou como a medida mais garantida contra o coronavírus. 
Que preguiça! 

Minha glicemia e o bom controle do meu diabetes, neste caso, dependem de insulina, de muita monitorização e de entender que a pandemia não acabou!

Enfim, máscara e respeito continuam como artigos de primeira necessidade. 
O vírus continua se espalhando por aí e eu não sou besta de me meter a esperta com ele. 

Mais uma dose sim! Mais quantas forem preciso.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crônicas do Isolamento -- A vida de viés...

É preciso estar atento e forte!

Crônicas do Isolamento -- O Bem do Mar