Câmbio, desligo!

Mala fechada, a chuva tinha dado uma trégua... Tudo certo, hora do sono!
E aí, acordo no horário previsto, mas com a doçura abaixo do que deveria.
Hipo pra começar o dia. Levou um tempo até compensar e acabei me atrasando. Trânsito no caminho até o Galeão e resultado: perdi o voo.

Teve raiva, teve choro, e teve transtorno com a cia aérea (mesmo tendo sido a causadora do atraso e tendo total consciência disso, esperava que a Azul fosse pelo menos organizada e proativa na hora de ajudar...). Isso tudo à parte, comprei uma outra passagem e fiquei esperando. Para não correr o risco de outra hipoglicemia, fui fazer um lanchinho antes de embarcar.

Nesse meio tempo, a lembrança do sonho: tinha esquecido de levar o glicosímetro na viagem!! Praticamente um pesadelo!

Conexão corrida com tempo pra um sanduba qualquer e um café. Glicemia, a essa altura, já estava um pouquinho mais alta...

Enfim no destino - Recife: um mergulho pra recarregar.
Como bem canta Chico Buarque, amanhã há de ser outro dia.

Daqui sigo para Japaratinga e vou ficar duas semanas um pouco off.
Alguns flashes da temporada de mar e assim que voltar, novos posts sobre os medidores sem furinhos - ainda tem o que falar deles -, e sobre os demais temas pedidos.

Até já!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...

Pelos caminhos da vida doce...