Da doçura sob controle...

Fiz um desabafo tipo 'mea culpa' no domingo. Aquele dia que a gente acha que não precisa fazer nada  porque a glicemia vai se manter controlada sozinha. Acontece, né?
Por mais que eu saiba que não é assim, por mais que a gente saiba que não é assim... quem nunca passou por isso?

Mas os dias estranhos passam!
E de volta ao rumo, segunda-feira foi dia de fazer exame.
No intervalo de tempo desde o último feito teve teste com a bomba de insulina, que foi suspenso antes da previsão por conta de glicemias que não se estabilizavam, e também teve uma gripe que me pegou por duas semanas e com isso me trouxe mais glicemias descontroladas. Então, como se não bastasse toda a minha ansiedade natural pré-exames, esses eventos que mexeram no meu controle glicêmico estavam martelando na minha cabeça com força.

Como isso estaria refletido na minha saúde em geral?
A quantas estaria a minha hemoglobina glicada??
Ansiedade com o jejum, tensão com resultado!

Depois de um longo período reavaliando meus hábitos, analisando com afinco minha alimentação e onde eu poderia ajustar a rotina para conseguir manter a glicemia mais equilibrada, veio a resposta.
Esse ano a minha glicada finalmente tem ficado abaixo da linha dos 7%.
6,9%, 6,5%... Já estava numa felicidade só! Agora, mesmo com todos esses percalços, acabei de ver o número da vez: 6,2%!!!!
Olhei mais de uma vez para ter certeza de que estava certo... E sim, está certíssimo: 6,2% é o meu número!
O menor desde o meu diagnóstico. O melhor.
Sem hipos frequentes, sem grandes sustos.

(*Lembrando: a hemoglobina glicada representa a média de glicemia dos últimos 90 dias e é um dos fatores para avaliação do controle glicêmico*)

Não tenho qualquer dúvida de que esse resultado se deve tanto à adesão absoluta ao tratamento quanto à educação em diabetes. Quanto mais eu conheço a minha condição, quanto mais entendo os sinais do meu corpo, melhor é o meu dia a dia convivendo com a doçura.

O aprendizado é constante.
A atenção é constante.
A disciplina é necessária.
O autocuidado é fundamental!
E mesmo passando pelos "meios-dias feios", o foco permanece. Porque viver bem com o diabetes é possível.







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...

Uma dose de insulina, outra de confiança...