Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

14 novembro, 2016

ReAÇÃO requer AÇÃO...

Em 1991 foi instituído, pela Federação Internacional de Diabetes e pela Organização Mundial de Saúde, o Dia Mundial do Diabetes.

A razão que levou à criação desta data foi o crescimento constante de novos casos de diabetes diagnosticados. O 14/11, como eu já contei aqui, foi escolhido por ser a data de aniversário de um dos descobridores da insulina, Sir Frederick Banting.

O fato é que pouco se fala sobre o diabetes e pouco se aproveita a data como eu penso que deveria ser...

O Diabetes Mellitus é uma doença crônica que, por falta de atenção, cuidado e informação, pode acabar voltando ao status de fatal.

Não vou me cansar de repetir que é muito possível ter uma vida boa e normal - há quem dia que não -  com o diabetes. Mas com falta de conhecimento e entendimento sobre a condição, realmente fica difícil; com a falta de insumos e medicamentos, é impossível!

Atualmente a situação da falta de insumos e medicamentos no Brasil é alarmante. Muitas pessoas estão sem acesso à insulina e tem sido orientadas, inclusive, a reutilizar agulhas e seringas!!

O risco de uma infecção e até de levar uma dose errada de insulina é enorme. Mas nesse caso, a escolha é pelo que representa um risco menor. Como seria ficar sem tomar as doses da insulina salvadora? Mesmo sabendo que as agulhas devem ser utilizadas em uma aplicação somente, essa tem sido a solução pontual adotada.

Vejo os pacientes buscando ajuda, seja por doação ou por uma ação em conjunto, mas não vejo as tais autoridades competentes e as instituições ligadas ao diabetes diretamente envolvidas nesses casos.

Como seguir em frente? Como acreditar que pode ter luz no fim do túnel?
O túnel anda bem mais extenso...

Mais um dia 14 de novembro chega.
A meu ver, seria uma grande possibilidade de levar a quem não tem acesso informações que são essenciais para uma boa convivência com o diabetes e, ainda, pressionar as Secretarias de Saúde e o Governo acerca desses descasos.

Mas cadê?? Não vejo a mobilização de quem, em tese, tem mais força.
Cadê uma chamada pelos pacientes que sofrem a cada ida às unidades de saúde sem saber se desta vez terão suas tirinhas ou não?
Cadê uma ação na rua, num local de grande alcance, para levar o mínimo de esclarecimentos às pessoas?
Cadê a garantia de atendimento multidisciplinar e educação em diabetes?
Cadê o posicionamento para garantir a saúde às pessoas??

Tratamento para diabetes não se resume em dizer ao paciente quantas doses de insulina ele precisa tomar por dia. O paciente precisa ser instruído para ter força. Precisar saber o porque de cada passo e de cada etapa de tudo que é necessário ao longo do dia para manter o docinho sob controle.

Ter uma condição de saúde crônica e que requer cuidados não é simples; saber que existe um tratamento mas que ele não está acessível a todos que precisam é cruel.

Enquanto não tem uma grande movimentação de quem poderia ir direto ao ponto central desse caos, eu continuo como posso para, pelo menos, dar voz a quem não consegue o básico.

No meu IP eu busco mostrar o meu dia a dia com sorriso estampado no rosto. Levo a doçura comigo de peito aberto, aprendendo e dividindo mais e mais. Eu e meu IP também estaremos sempre à disposição, com nosso trabalho de formiguinha, para unir forças e lutar pelo que ainda precisa melhorar muito.

O Azul comemora as Bodas de Prata. 25 anos de relação com tantas pessoas com diabetes pelo mundo...
Pois que neste aniversário do Dia Mundial do Diabetes - que tem como objetivo educar e cuidar - esse país (que, coincidentemente, leva a cor símbolo do movimento na bandeira) passe a garantir, pelo menos, o mínimo para que essas possam ter uma vida de qualidade e tranquilidade.
Foto: Rocío Lara
Saúde é muito sério. Deixar a saúde de lado é muito grave.


Nenhum comentário:

Postar um comentário