Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2016

'Ô balança, coqueiro...'

Imagem
Já venho ouvindo falar sobre o açúcar de coco há um tempinho. Comecei a ir atrás de mais informações e provei recentemente, numa canjica feita por uma amiga querida.

Eu adorei! O sabor é levinho, não interfere no gosto do prato que foi preparado e minha glicemia não alterou em nadinha.
Claro que com a insulina de correção, isso é gerenciável. Só que um alimento novo sempre deixa um espacinho pra dúvida. Não foi diferente dessa vez, mas deu tudo certo.

A grande questão está no baixo índice glicêmico deste açúcar. Dá uma olhada nas informações nutricionais e na comparação com o IG dos outros tipos de açúcar mais utilizados:
Mas, afinal, o que é esse tal? Esse açúcar é 100% natural, "extraído da seiva da flor do coqueiro". 
Ele não passa pelo processo de refinamento e por isso conserva os nutrientes. 
Pois eu, que sou fã incondicional desta fruta e tudo que vem dela, agora tenho mais um motivo para amar. Não sou de usar açúcar ou adoçante... Café, chá e sucos eu bebo puro mesmo…

Os novos dias com a nova insulina!

Imagem
Minha primeira caneta da Tresiba acabou. Foram 12 dias e meio, um pouco mais do que a duração de cada refil da Levemir.
Com a Levemir a minha dose diária estava em 25 unidades; com a Tresiba, são 22. E a experiência tem sido ótima!

A primeira coisa que eu pontuo é não precisar tomar mais de uma dose por dia. Não ter que tomar insulina à noite é um alívio... Era uma coisa que eu realmente tinha preguiça. Sono, aquela hora de já estar jogada na cama com meu livro na mão e ter que levantar para aplicar. Claro que fazia de bom grado, sem reclamar, afinal é meu salva-vidas (e na semana em que se completam 95 anos da descoberta da insulina, um viva à Sir Frederick Banting)!! Mas, a praticidade sempre me conquista e uma dose única por dia é bom demais.

Apesar disso, fiquei apreensiva na primeira noite do primeiro dia da Tresiba. Esquisito depois de tanto tempo não precisar fazer nada a não ser dar uma checada na glicemia antes de dormir.

Eu estava ansiosa com o jejum sem ter que tomar uma do…

Sobre obstáculos e oportunidades...

Imagem
No início do ano a gente costuma fazer aquele balanço do que ficou pra trás e de tudo que carregamos com vontade para os próximos 365 dias.

Comigo não foi diferente e uma das coisas era uma dedicação maior na educação em diabetes.

Eu conheci este conceito sem nem saber que era uma coisa pensada, estudada e aprovada por quem mais entende do assunto. Para mim, o nome veio, a princípio, para explicar um pouco do que eu já andava fazendo.
Educação em diabetes, numa maneira bem simples e direta, significava dividir a minha experiência convivendo com a doçura, mostrar os passos dados na direção certa e os tropeços do caminho, falar de descobertas, de possibilidades e aprendizados, muitos deles! De uns anos pra cá, eu percebi que isso tudo tinha como base o conceito firme de educação.

Eu não sou educadora formada ou certificada e nem quero tirar o mérito desses profissionais que tanto respeito. Da mesma maneira, não sou formada em qualquer especialidade de saúde. Meu conhecimento vem do que…

As segundas impressões da liberdade!

Imagem
Depois de ter arrancado o primeiro sensor na porta da cozinha no quinto dia de uso, tomei mais cuidado com o segundo. Me policiei para não sair esbarrando nas coisas e evitei até passar hidratante no braço onde estava aplicado o sensor.... A pele ficou um pouco ressecadinha, mas valeu o esforço.

O sensor vai indicando quanto tempo de uso ainda resta...
A remoção é super tranquila. Meu braço ficou um pouco marcado no lugar onde estava colocado, mas nada que chegue a incomodar. O resíduo de cola do adesivo sai facilmente com água e sabão.





Foram 14 dias sem susto e de tranquilidade total. Se em 5 dias eu já tinha ficado encantada, depois destas semanas eu estava absolutamente convencida que o Libre é incrível.

A facilidade de poder fazer medições infinitas é a melhor e maior vantagem, sem dúvida. E nesse período em que eu troquei de insulina, inclusive, isso foi fundamental para acompanhar e monitorar os efeitos da Tresiba.

Com 4 dias do segundo sensor eu já parei de comparar as glicemia…

Quando a doçura azeda...

Imagem
Na última semana fiz meus exames periódicos e hoje foi o dia 'D': levar os resultados na minha super endrócrino.

A verdade é que mesmo antes de chegar lá eu já estava desanimada. A hemoglobina glicada subiu - 7,9% agora - e os meus hormônios da tireóide estão alterados.
A variação da glicada pode ter sido em função das mudanças na alimentação feitas em maio, para tentar fazer com que eu agregasse mais uns quilinhos. Sobre a tireóide, antes de confirmar qualquer suspeita ela pediu para eu repetir os exames daqui a 15 dias.

Em contrapartida disso tudo, ela alterou a insulina que eu uso. Eu estava com a Levemir e a partir de amanhã, começo com a Tresiba.

Nesse ponto dei uma animadinha! Isso muda bastante coisa no meu tratamento.

A Tresiba é uma insulina de longuíssima duração e em dose única, a cada 24 horas (com a Levemir, estava tomando duas doses por dia, uma em jejum e outra na ceia). Como ela age no organismo por mais tempo, as glicemias tendem a ficar mais estáveis. Outro a…

As primeiras impressões... e um pequeno incidente!

Imagem
Assim que a farmácia entregou fui logo ler o manual, ligar o leitor, analisar o sensor... A embalagem do sensor me assustou, é grandinha.
A orientação é para fazer pressão até que o sensor esteja devidamente colocado e fiquei tensinha achando que não conseguiria e que poderia até perder o sensor... Pois em um segundo e com uma pressão normal, sem esforço, estava tudo no lugar!! Não incomodou e parecia que não tinha nada no meu braço.

Depois de esperar os 60 minutos para ativação, fiz o primeiro teste e o resultado foi muito animador:
Na hora de ir dormir, uma ansiedade de leve, já que eu me mexo muito: - será que o sensor vai sair do lugar durante a noite?
A verdade é que apaguei e se ele tivesse saído eu acho que nem teria percebido.

Na manhã seguinte, uma hipo! Acho que errei a mão na correção do jantar e aí o docinho caiu bastante. No meu glicosímetro padrão (uso o Optium Neo), 47 mg/dL; no Libre, LO (de 'low', ou seja, baixo). Essa indicação no Libre significa que o númer…

Do tipo que cuida...

Imagem
Li um artigo publicado pela página GlicOnLine sobre as pessoas que amam alguém com diabetes (inclusive postei na fanpage do blog no Facebook...) que eu gostei bastante e concordo totalmente.

Para acessar na íntegra é só clicar aqui mas, em linhas gerais, o que se fala é que o cuidado de quem está próximo a algum docinho faz muita diferença no controle da glicemia e na maneira como encaramos o dia a dia com diabetes.

Eu não tenho a menor dúvida sobre isso e posso atestar. Desde o dia 1 da minha nova condição, todas as minhas pessoas entraram nessa comigo. Minha família, meus amigos do peito e até quem não era assim tão próximo.

"Os cuidados com diabetes exigem atenção para algumas atividades de rotina como contar carboidratos, medir a glicemia antes de comer, aplicar insulina, entre outras. Com o tempo essas atividades ficam mais automáticas e até parecem naturais. No entanto, por serem "24/7" como dizem (24h por dia 7 dias por semana) esses cuidados nunca terminam...&qu…