Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

13 agosto, 2015

Dividir pra multiplicar!

De 04 a 10 destes mês foi realizado o Educa Diabetes, organizado pelo Sidney Carmo, que  convive com o diabetes desde criança.

Antes de mais nada, deixo meu muito obrigada a ele, e os parabéns por ter se disponibilizado a organizar e fazer acontecer um evento que, na minha opinião, teve muita importância tanto para nós, docinhos, como para os familiares, profissionais de saúde e os amigos que estão por perto todo dia.



7 dias de palestras, diversos assuntos abordados e muita troca.
Esse, aliás, foi o ponto alto!

Ouvir dos palestrantes - que eram tanto médicos especialistas, como advogados, jornalistas e outros pacientes - tantos dados, tantas histórias, foi inspirador. Por mais que a maioria dos temas fossem conhecidos, ver opiniões e maneiras diferentes de lidar com cada um é essencial.




Não consegui assistir a todas, mas das que participei, deixo aqui um breve relato, com os pontos que mais me chamaram atenção em cada uma:

Palestra: A Educação em Diabetes é Fundamental
Palestrante: Letícia Martins, Jornalista e Editora da Revista Vida Saudável e Diabetes
Pontos de atenção:

  • Os principais pilares para o controle do diabetes sempre foram a alimentação saudável, o hábito de manter uma rotina de exercícios regulares e não descuidar com suas doses de medicamentos. Hoje, podemos incluir nesta lista a educação em diabetes!
  • Estes pilares consideram o estilo de vida do paciente. Com base nesta abordagem, o tratamento é individualizado e contribui para um melhor controle do DM e uma melhor qualidade de vida dos docinhos.
  • A educação em diabetes não é só para os pacientes. A família e os amigos também são o foco, no sentido de saber como agir se o seu docinho precisar, de saber reconhecer alguns sintomas de uma hipoglicemia, por exemplo, e - acima de tudo! - dar o seu apoio no dia a dia.
  • A Letícia levantou um tema bacana sobre a importância dos blogs de saúde, mais especificamente sobre diabetes. Com a velocidade de circulação da informação atualmente, é preciso tomar cuidado e saber filtrar o que a internet traz. Propostas milagrosas não são reais! Por outro lado, ela considera que os blogs sérios e que tratam o tema com a seriedade que merece, ajudam a difundir e mostrar o lado real e, ainda bem, mais leve da vida com diabetes.
  • Por fim, ela coloca que a educação em diabetes não significa ter que testar e correr atrás das maiores tecnologias ou recursos lançados no mercado. Trata-se de conhecer a sua condição, entender o que está acontecendo e compreender a importância do autocuidado.
Aí está o verdadeiro alvo da educação em diabetes, na minha opinião.
Buscar informação, saber o que causa ou quais as conseqüências de não levar tão a sério o controle fazem diferença na busca por dias saudáveis.
Digo e repito quantas vezes forem necessárias: diabetes não é sentença.

Mas é preciso que cada um assuma sua condição, encare de frente e siga sabendo que é possível gerenciar essa doçura em excesso e viver bem.

A cada dia vou falando por aqui sobre mais uma ou duas palestras que ouvi e, assim, sigo no propósito de dividir sempre mais o que aprendo!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário