Dividir pra multiplicar!

De 04 a 10 destes mês foi realizado o Educa Diabetes, organizado pelo Sidney Carmo, que  convive com o diabetes desde criança.

Antes de mais nada, deixo meu muito obrigada a ele, e os parabéns por ter se disponibilizado a organizar e fazer acontecer um evento que, na minha opinião, teve muita importância tanto para nós, docinhos, como para os familiares, profissionais de saúde e os amigos que estão por perto todo dia.



7 dias de palestras, diversos assuntos abordados e muita troca.
Esse, aliás, foi o ponto alto!

Ouvir dos palestrantes - que eram tanto médicos especialistas, como advogados, jornalistas e outros pacientes - tantos dados, tantas histórias, foi inspirador. Por mais que a maioria dos temas fossem conhecidos, ver opiniões e maneiras diferentes de lidar com cada um é essencial.




Não consegui assistir a todas, mas das que participei, deixo aqui um breve relato, com os pontos que mais me chamaram atenção em cada uma:

Palestra: A Educação em Diabetes é Fundamental
Palestrante: Letícia Martins, Jornalista e Editora da Revista Vida Saudável e Diabetes
Pontos de atenção:

  • Os principais pilares para o controle do diabetes sempre foram a alimentação saudável, o hábito de manter uma rotina de exercícios regulares e não descuidar com suas doses de medicamentos. Hoje, podemos incluir nesta lista a educação em diabetes!
  • Estes pilares consideram o estilo de vida do paciente. Com base nesta abordagem, o tratamento é individualizado e contribui para um melhor controle do DM e uma melhor qualidade de vida dos docinhos.
  • A educação em diabetes não é só para os pacientes. A família e os amigos também são o foco, no sentido de saber como agir se o seu docinho precisar, de saber reconhecer alguns sintomas de uma hipoglicemia, por exemplo, e - acima de tudo! - dar o seu apoio no dia a dia.
  • A Letícia levantou um tema bacana sobre a importância dos blogs de saúde, mais especificamente sobre diabetes. Com a velocidade de circulação da informação atualmente, é preciso tomar cuidado e saber filtrar o que a internet traz. Propostas milagrosas não são reais! Por outro lado, ela considera que os blogs sérios e que tratam o tema com a seriedade que merece, ajudam a difundir e mostrar o lado real e, ainda bem, mais leve da vida com diabetes.
  • Por fim, ela coloca que a educação em diabetes não significa ter que testar e correr atrás das maiores tecnologias ou recursos lançados no mercado. Trata-se de conhecer a sua condição, entender o que está acontecendo e compreender a importância do autocuidado.
Aí está o verdadeiro alvo da educação em diabetes, na minha opinião.
Buscar informação, saber o que causa ou quais as conseqüências de não levar tão a sério o controle fazem diferença na busca por dias saudáveis.
Digo e repito quantas vezes forem necessárias: diabetes não é sentença.

Mas é preciso que cada um assuma sua condição, encare de frente e siga sabendo que é possível gerenciar essa doçura em excesso e viver bem.

A cada dia vou falando por aqui sobre mais uma ou duas palestras que ouvi e, assim, sigo no propósito de dividir sempre mais o que aprendo!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MiniMed 640G: Cena 7 - A decisão de parar...

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...