Pra alimentar o riso!

Nada como bom humor!
O dia fica mais agradável, o relacionamento com as outras pessoas melhor, ajuda a resolver situações mais complicadas e por aí vai...

Por isso vale dar uma olhadinha nas dicas da Nutricionista Gislaine Luiz Bueno, em entrevista para o site Diabetes Nós Cuidamos, para aqueles dias em que o humor não está tão bom assim:


"(...) nem só o chocolate interfere no humor. Existem outros alimentos que também ajudam a estar de bem com a vida e não carregam, na maioria das vezes, um grande inconveniente do chocolate, que é muito calórico." 
- Peixes: alguns deles, como o salmão e o atum, são ricos em ômega 3, que melhora a circulação e estimula o sistema nervoso a produzir hormônios que dão força ao apetite sexual, constituindo reforço para a mente e o humor. O ômega 3 está presente também na linhaça e nas nozes.
- Açafrão: tem efeito comparável ao mais famoso medicamento antidepressivo, segundo pesquisas realizadas pela Universidade de Ciências Médicas de Teerã. Outros temperos que também ajudam contra a depressão: cardamomo, pimenta, sálvia, ginseng, canela, mostarda, cravo.
- Grãos integrais e feijão: carboidratos são essenciais, mas não deixe que eles comprometam a glicemia. Evite as versões brancas e processadas. Grãos integrais e feijão contêm fibras que deixam os níveis de glicemia estáveis e têm grande quantidade de vitaminas que se transformam em neurotransmissores relacionados ao humor.
- Cafeína: estimula os hormônios que regulam a excitação e interfere nas reações químicas que liberam a dopamina, neurotransmissor que dispara a libido no cérebro e também se reflete no bom humor.
- Chocolate amargo: quanto mais escuro melhor. O recomendável é que ele contenha 60% de cacau ou mais. Se houver disposição, tente a versão de cacau bruto. O cuidado, é claro, é consumir moderadamente.
- Vitamina D: a principal fonte dela não é o alimento, mas o sol. Vivendo num país tropical como o nosso, a dica é aproveitar o astro-rei também para a saúde e o equilíbrio emocional. Pesquisas mostram que pessoas com níveis baixos de vitamina D no sangue estão mais sujeitas a depressão. Bastam de 10 a 20 minutos por dia, de manhã cedinho ou no final da tarde.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

Pesquisa e Educação em Diabetes...

OneTouch Reveal: 1, 2, 3... testando!