A 'mágica' do autocuidado...

Já tem um tempo que percebo uma mudança de comportamento da atuação da insulina no meu organismo... 

Se antes precisava de duas unidades pra corrigir um lanchinho específico, agora são três. Se três unidades e meia eram o suficiente para o jantar, agora o mesmo prato leva umas cinco!
Isso vinha me incomodando um tanto, deixando uma sensação de que alguma coisa deveria estar errada para que fosse preciso mais insulina. 

Não é bem assim.

O que acontece é que o ritmo do dia a dia, o meu peso, o fato de estar ou não praticando alguma atividade física e até mesmo o tempo de diagnóstico e tratamento podem interferir diretamente na necessidade de insulina que o meu organismo demanda para uma mesma coisa. Um quebra-cabeças da vida de convivência com a doçura! 

Mas, segui com as doses até então "normais" conforme o meu esquema de correção.

Só que continuei vendo resultados que não representavam a minha meta glicêmica (definida pela minha endócrino).

Passei a prestar mais atenção e corrigir adequadamente os eventuais picos de glicemia que insistiam em aparecer. 
Decidi, então, fazer um ajuste na relação insulina / carboidrato porque entendi que a anterior já não estava mais funcionando.

Aqui cabe uma observação: minha médica me orienta em como fazer esses pequenos ajustes na minha rotina (e, da mesma forma, me orienta a buscar por ela se for algo não tão simples e direto assim).

Voltando...
No fundo, o que aconteceu é que eu estava me sentindo mal porque na minha cabeça, ter que aumentar a quantidade de insulina parecia uma 'multa', uma penalização, sabe? 

Eu sei que o diabetes não é uma ciência exata. Sei que estas alterações e ajustes são comuns e fazem parte do tratamento, mas eu estava resistindo em assumir que era chegada a hora de aumentar um pouquinho as doses de insulina por aqui. 
E foi só assumir isso, começar a corrigir e aplicar as dosagens ajustadas que a glicemia começou a voltar para o lugar. 

Um alívio ver o controle glicêmico de novo mais organizado e a doçura dentro da meta. 

A minha média de 90 dias estava assim:

Agora, já voltei pra esse patamar aqui:

E, para além de gráficos e glicemias com a visita de 'unicórnios', quando a glicemia está mais organizada o corpo sente, a mente também. 
A disposição aumenta, a energia é outra.

Preste atenção aos sinais do seu corpo.
Meça sua glicemia. 
Pergunte ao seu médico. Divida com um igual (eu, particularmente, amo a troca entre diabéticos... tem um entendimento aí que faz toda a diferença).

Saber sobre a nossa condição, buscar a educação em diabetes. Esse é o segredo há muito tempo desvendado...
Aprender para ter cada vez ais liberdade! 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Esqueci!!

Um balanço semestral...

A diferença que traz dúvida...