Todo dia é dia de viver

Ontem foi dia de venerar Milton Nascimento.
A voz
O carisma 
O amor pelo canto, pela música
Inconfundíveis!
Os tambores de Minas fazendo bater forte o coração.

Milton, do alto dos seus 80 anos, sentado no meio do palco como o Rei que é.
Por alguns minutos as canções me fizeram sentir como se estivesse no próprio Festival da Canção...
O presente que é poder assistir esse gênio cantando a pura emoção.
Ô sorte. 

Ele, diabético, hoje mostra sinais de neuropatia por ter passado algum tempo sem se cuidar devidamente. As mãos trêmulas, a dificuldade em permanecer de pé por muito tempo.
Eu, do time da estatística da doçura do diabetes, sinto. Uma mistura de tristeza com preocupação, de alívio por saber que hoje ele está sendo cuidado com o receio das complicações. 

Milton usa bomba de insulina. 
Não, a bomba não estava aparente enquanto ele cantava. 
Mas isso, honestamente, não me importa e nem me incomoda. 

Nós, que nos sabemos diabéticos, guardamos uma empatia pelos iguais. 
Do tipo 1
Do tipo 2
Do tipo caneta 
Do tipo bomba 
Do tipo frasco
Do tipo que busca uma nova forma de seguir depois do diagnóstico.
"Nada a temer senão o correr da luta
Nada a fazer senão esquecer o medo
Abrir o peito, a força numa procura"

Dia após dia assim.
A luta e a força em cada glicemia medida, a cada insulina aplicada, a cada troca de lanceta, a cada contagem de carboidratos.

Diabetes é coisa séria. 
Diabetes é coisa que não deixa espaço para a gente deixar para depois. 
   
Quando eu ouvi que o que tinha me levado a emagrecer tanto, a me deixar cansada, a me deixar sempre com fome era esse tal de diabetes, tive meu momento de desespero e medo sim. 
Na falta de conhecimento sobre a doença, só conseguia pensar que ia ter que 'parar' a minha vida...
"Já podaram seus momentos 
Desviaram seus destinos"
Essa era a sensação. 

Até que eu decidi aprender, estudar, perguntar, me dedicar. 
E, principalmente, não acreditar que a minha vida seria pautada só por aquela nova condição de saúde. 
"Renova-se a esperança 
Nova aurora a cada dia"

Assim foi.
Assim tem sido.

Letra e música sendo caminho sempre!
Letra e música inspirando e trazendo a lembrança de que a gente pode ser e fazer o que quiser. 
Porque todo dia é dia de viver. 

Obrigada, Bituca! 
Saúde.


Sigo aqui reverberando a emoção daquelas duas horas de show e tudo o que as canções fazem sentir... 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Esqueci!!

Um balanço semestral...

A diferença que traz dúvida...