Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

22 outubro, 2017

Pra aprender e fazer mais...

Às vezes algumas coisas acontecem com a gente totalmente de sopetão, sem dar tempo nem para a gente reagir. Comigo foi assim com o diabetes. Me virei do avesso e aprendi a lidar com a doçura da maneira que eu acho mais viável: aprendendo a fundo sobre tratamentos, comportamentos, glicêmicas, carboidratos. O que fazer para não deixar a vida ser interrompida por um diagnóstico? Mais: como fazer?

Eu tive o suporte absoluto da minha endócrino, da minha família e dos meus amigos. Mas tem gente que não tem. E que também não tem acesso às informações importantes que deixam o dia a dia com diabetes mais fácil, não tem acesso a medicamentos, insulinas ou insumos.

O que o mundo da doçura me ensinou é que para essas pessoas, tem quem lute junto. Mesmo sem sentir na pele o que é conviver com uma doença crônica, buscam fazer o (im)possível para ajudar a quem precisa.
A Ana Maria é dessas!
Conheci a Ana no curso Educando Educadores em 2015. Passei a acompanhar de longe as ações dessa assistente social que fez da luta do diabetes a sua missão. Agora, através do Daniel, amigo querido, DM1 como eu e que também faz a sua parte levando esclarecimento e motivação através da página Diabetes Esporte e Natureza, tenho a chance de trabalhar bem perto da Ana Maria.
Para ser bem clara, no mesmo time, defendendo a causa em conjunto: agora, faço parte do grupo de voluntários que representa a Associação de Diabéticos e Familiares de Tanguá - ADIFAT.
Para quem não conhece a Associação, recomendo. Em um município de 33.000 habitantes, são 2.400 pessoas com diabetes, 286 delas dependentes de insulina. E é na ADIFAT que eles têm garantia de apoio.
No momento do convite, o trabalho já trazendo responsabilidade com foco em quem realmente precisa ser ouvido e cuidado.

Agradecimento enorme à nossa super Presidente e à toda a equipe. Contem comigo para seguir aprendendo e para fazer mais!
Estamos juntos, firmes e fortes!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário