Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

04 janeiro, 2015

Uma sala e doces conversas...

Tudo começou com um café entre 3 mulheres convidadas por uma outra chamada Merle Gleeson para falar sobre como era (con)viver com o diabetes. Isso foi em 1997 e ali surgia o Type 1 Diabetes Lounge... Um movimento que - ainda que ela não  imaginasse - iria mudar a forma de controlar o diabetes.
Depois de 31 anos de diagnóstico, começava também o compromisso dela em ajudar e cooperar com outras pessoas com DM1.

Dentre os assuntos nas discussões abertas, o suporte à família, as variações das glicemias, questões comuns divididas em contrapartidàs consultas, que eram curtas e objetivas.

Os encontros cresceram e amadureceram. Educação em Diabetes foi o passo seguinte.

Atualmente, os programas educacionais incluem especialistas médicos, que além de falar sobre os avanços de tratamento e os cuidados que vão além das dosagens de insulina, apresentam os avanços das pesquisas e tecnologias que vem sendo estudadas e aprovadas, buscando deixar o dia a dia dos docinhos mais fácil.

Os encontros acabam funcionando para acolher quem foi apresentado ao diabetes e ainda não esta exatamente à vontade com esta condição.

O grupo de suporte do Diabetes Lounge funciona em Chicago e tem muitas atividades e reuniões on line.
A missão deles fala por si so: educar e fazer com que os pacientes de DM1 se comprometam, se tornem confiantes e independentes.

Esta, para ser ainda mais bacana, tem o apoio da JDRF, que eu ja apresentei por aqui e sou super fã!! 

Cada vez que vejo instituições e ações como estas, fico mais esperançosa de que é possível transformar a visão que existe sobre o diabetes e o que é conviver com ele.

Assim, de passo em passo a gente chega lá!




Nenhum comentário:

Postar um comentário