Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

30 maio, 2014

Palestra educativa e gratuita!


Amanhã é dia de palestra boa e de uma baita importancia na Associação de Diabetes Brasil (ADJ) em Sampa…


O foco é o controle e quem fala é o autor do Livro 'Tenho Diabetes tipo 1, e agora?', que eu comentei por aqui.
E o meio para o bom controle uma melhoria nos hábitos, que apesar de parecer uma chatice à primeira vista, tem um efeito positivo enorme.

A inscrição pode ser feita pelo telefone (11) 3675-3266, no ramal 11.

Para quem estará na terra da garoa, uma ótima chance de esclarecer alguma dúvida… 
Para a ADJ, deixo um pedido: que tal focar em atividades no Rio e em outras cidades do país?
Adoraria!!
 
 

29 maio, 2014

Dois pra lá, dois pra cá...

 
Resisti, mas passei do achismo para a consulta (ainda virtual) com a minha Super para questionar sobre algumas que andam fora da ordem...
 
Minha glicemia de jejum está boa, mas antes do almoço e, principalmente, do jantar estavam variando um pouco e para números nada bonitos de ver.
 
Como sempre, tentei avaliar o que poderia ter comido de maneira errada e que causasse essas variações... mas com isso acontecendo quase que diariamente, resolvi então perguntar para quem sabe de fato.
 
Nada de alarmante, a princípio, mas vamos investigar.
Os exames que seriam feitos no final de junho, foram antecipados e já vou fazer este final de semana.
Como ajuste preliminar, a dose da Levemir de jejum passou de 12 para 14 unidades.
(Nada mal para quem estava há quase 1 ano e meio com a dosagem constante!).
 
Um dia de cada vez e vamos colocar tudo de volta nos eixos.
Consulta marcada para daqui a 2 semanas!
Em breve, cenas dos próximos capítulos...


27 maio, 2014

"Help!"

Na onda das ações pelo coletivo que estão surgindo cada vez mais, dois amigos lançaram um aplicativo com o objetivo de criar uma rede de auxílio entre pessoas com DM.
 
A partir do momento em que você se cadastra no Help Around Diabetes Safety Net, passa a fazer parte de uma rede de ajuda.
Acabaram as tirinhas, está preocupado com uma variação muito alta de glicemia, não está se sentindo bem... é só dar o alerta e o aplicativo (que é gratuito) busca uma pessoa que possa te ajudar de alguma maneira.
Qualquer que seja sua dificuldade!
 
(Não é garantido que sempre haja outras pessoas disponíveis, mas imagino que em um caso mais crítico a primeira reação será buscar ajudar de um familiar, um amigo próximo ou mesmo um médico).
 
Achei bem legal a ideia.
É confortável ter outras pessoas a um clique nem que seja para um desabafo ou para tentar tirar uma dúvida rápida sobre a quantidade de carboidratos de um alimento, por exemplo.
 
 

25 maio, 2014

Pra ser de gula sem pecar!


Sem açúcar, com baixa caloria e gostoso?
Existe sim!

Descobri duas coisas boas ao mesmo tempo: uma é o Emporium da Gulla, uma loja online que vende produtos sem gluten, sem açúçar e outros mais com tudo isso…
Mas o lance é que traz todas as opções!

E dentre elas, encontrei a outra boa coisa da vez: uma massa feita a base de grão de bico e que é zero açúcar, zero lactose, zero gluten e  tem conservantes!!

São da marca Ceres e cada pacote custa R$ 13,90.
(comprei o tradicional e o com espinafre)

Hoje provei o tradicional e adorei!
É bem fininho e super leve.
Para acompanhar, fiz um franguinho no azeite, com rucula, tomate cereja, catupiry light  e  geléia de pimenta…

Bom demais!!
Apesar do frete ser bem altinho - em torno de R$ 14,00 - o pedido chegou super rápido e valeu muito pelo sabor da massa!

23 maio, 2014

Do caderninho...


La se vão 5 meses pós Congresso e ainda tenho tanta coisa para postar sobre ele…

Mas repassando meu caderninho esta semana, voltei em frases soltas que fui anotando nas palestras que eu assisti.

Foram ditas por diferentes pessoas e faziam referência a vários assuntos, mas agora, relendo e colocando todas juntas parecem que fecham um quebra-cabeça de motivação e força.

Aí estão elas.
Como dizia um querido amigo que virou anjo, cada um pega o que quiser!

"I am a romantic. For me what matters is to achieve my dreams, and not that I have diabetes."
(Eu sou um romântico. Para mim, o que importa é alcancar os meus sonhos, e não que eu tenho diabetes.)

"Diabetes is my partner, not an excuse".
(O diabetes é meu parceiro, e não uma desculpa.)

"I need to do some feedback of what I am doing. If it is effective to me, must be to others."
(Eu preciso falar sobre o que eu tenho feito. Se é eficaz para mim, pode ser para outros.)

"The forces that influence our choices = motivation."
(As forças que influenciam nossas escolhas = motivação.)

"It takes a revolution to make a solution."
(É preciso uma revolução para obter a solução.)

"Give them the education they need. We put a man on the moon and can't stop diabetes."
(Dê a eles a educação que eles precisam. Nós mandamos o homem para a lua mas não conseguimos parar o diabetes.)

"After diagnosis life still as it was. Diabetes didn't stop me for living my life."
(A vida continuou como era após o diagnóstico. O diabetes não me impediu de viver a minha vida.)

Tem uma que eu particularmente gosto muito e que, no fundo, é o que representa a minha vontade de continuar buscando e espalhando a informação:
"We walk out there and really change something".
(Nós andamos por aí e realmente mudamos algumas coisas.)

Para fechar, uma citação emprestada do escritor e filósofo Jean-Paul Sartre que pode resumir isso tudo e  também foi ouvida por lá:
"We are our choices."
(Nós somos nossas escolhas.)


Vida que segue!
Certeza renovada e esperança também!!

22 maio, 2014

"...e agora?"


Agora eu tenho mais informação ao alcance!! 

Outro livro focado para nós, doces do tipo 1:
"Tenho Diabetes Tipo 1, e agora?"
Ainda não li (por enquanto, a compra ainda nem foi efetuada…) mas pela sinopse - "Nele, Mark (Mark Barone, o autor) apresenta muitos dos aspectos mais difíceis para se viver uma vida equilibrada com diabetes. Sua educação, conhecimento e experiência com milhares de pessoas com diabetes no Brasil e em todo mundo, juntamente com uma suave tecelagem de sua vivência pessoal do diabetes, tornam este livro extremamente útil e memorável." - já me interessei.

Pelo que andei pesquisando, ele custa entre R$ 25 e R$ 40 e está a venda no Submarino, nas Lojas Americanas, na Livraria Cultura

Além do livro, dei uma rápida passada de olho no blog que ele escreve (com o mesmo nome do livro) e vi posts bem interessantes, que vão desde alertas sobre o compartilhamento de lancetas e canetas de insulina até dicas para quem tem DM e curte mergulho.

Não vou resistir e vou acabar comprando, mas preciso pelo menos esperar a fila dos que já estão aguardando diminuir.
(verdade seja dita, fico numa ansiedade enorme sabendo que tenho livros ainda por ler na estante, então se eu comprar mais um agora juro que vou pirar!).


21 maio, 2014

Pra explicar com música!

Tem tempos de ficar esquisita, de não ter paciência, de ter preguiça desse negócio de diabetes.
Geralmente quando estou assim, qualquer mínima variação da glicemia pode me tirar do sério (tipo hoje!).
Mesmo assim, não largo meu glicosímetro e nem (mesmo quando dá muita vontade) a consciência que preciso manter o meu docinho em ordem.  


Por tanto amor
Por tanta emoção 
A vida me fez assim
Manso ou atroz
Doce ou feroz…

Porque cada dia é de um jeito!

Preso a canções
Entregue a paixões
Que nunca tiveram fim
Vou me encontrar longe do meu lugar

Porque quero mais disso que nunca tem fim… 
Minha maior motivação!

Nada a temer senão o correr da luta
Nada a fazer senão esquecer o medo
Abrir o peito a forca, numa procura
Fugir as armadilhas da mata escura

Foi a minha decisão, a solução para a doçura que chegava.

Longe se vai
sonhando demais

Não duvido mesmo!
Acredito que nada acontece por acaso... o diabetes me trouxe um mundo que eu não conhecia, mas ao mesmo tempo me abriu um horizonte que eu jamais poderia enxergar.

Mas onde se chega assim
Vou descobrir o que me faz sentir 
Eu, caçador de mim.

A cada dia!

 

18 maio, 2014

Diabetes Blog Week - Dia 7: Pra terminar...


Uma semana de temas sugeridos. Uma semana de assuntos distintos mas ao mesmo tempo comuns.

Depois que fiz a minha inscrição no Projeto, bateu uma ansiedade, um medo de não conseguir dar conta.
Apesar de não haver a obrigação em postar todos os dias, eu queria fazer isso e queria que fosse bem pensado... Mais que isso, queria que fosse sincero.

O fato é que a minha expectativa foi superada!
Adorei participar, adorei conhecer novos blogs e ver novas percepções sobre um mesmo assunto.

 Para da uma ideia de como foi, até as 20h do primeiro dia esta era a lista de blogs que haviam postado -  meu IP ali entre eles:
(sei que a imagem está pequena, mas foi o máximo que eu consegui...)

Não consegui ler todos (na verdade, li muito poucos), mas vou tentar me inteirar de cada um.
Conhecer, ver do que tratam, porque postam, o que buscam.
Quero mais informação, mais histórias e mais experiências vindas de outros 'docinhos'.

Respondendo ao tema de hoje - o que mais gostamos sobre a experiência da DBlogWeek - esse certamente vai ser o meu maior ganho!!


17 maio, 2014

Diabetes Blog Week - Dia 6: Doces Registros!


Há alguns meses atrás precisei escolher fotos minhas para ilustrar o poster que ia comigo para o Congresso Mundial de Diabetes. O objetivo era mostrar que o DM não precisa transformar os dias num marasmo e que é viavel ter uma vida "normal"…
A tarefa foi difícil, mas depois de ajudas e opiniões da família e dos meus amigos queridos, consegui (conseguimos!) e aqui estão!

Viagens, trabalho, carnaval… um pouco do meu dia a dia convivendo com o diabetes.

Desfile Bangalafumenga - Carnaval!!
Obra da UHE Jirau, em Rondônia.

Península de Marau, na Bahia.

Fazendo amigos em Londres...

Pra testar os sabores do Jamie Oliver!

De encanto com o golfinho de Orlando...

Subindo as ladeiras de Santa Teresa, em mais um Carnaval do meu Rio!!

Em Liverpool, na 'casa' dos Fab Four!

 Let's make it happen!
"We can work it out"!!



16 maio, 2014

Diabetes Blog Week - Dia 5: Para (sonhar) esperar!!

O tema do post de hoje pedia que a gente falasse sobre os truques que podem deixar mais fácil o controle e o dia a dia.

Para que fique claro: nada que seja recomendação médica!
 São dicas, jeitinhos que tornam as coisas mais práticas.
Um exemplo que eles deram na página da DBlogWeek foi o de quem coloca o monitor do medidor contínuo de glicemia (farei um post específico sobre isso logo, logo) dentro de um copo durante a noite, porque assim, se o alarme que indica hipo ou hiperglicemia soar, o som fica potencializado e o paciente não corre o risco de não acordar.
Simples e funcional!
Como não tenho e não faço nada neste sentido, corri lá e peguei um dos temas surpresa: Diabetes Dream Device, que nos propõe a sugerir o sistema, o aparelho, o aplicativo - qualquer coisa neste sentido - dos nossos sonhos...
Primeira coisa que me veio à cabeça: chega de furinhos!
Para começar, um glicosímetro que medisse a taxa de açúcar de qualquer outra maneira que não o furinho no dedo (já temos algumas boas alternativas em estudo pelo mundo: saliva, infravermelho, lente, lágrima...).
Para ficar melhor, este 'aparelhinho' teria uma câmera integrada.
Com a foto do prato da próxima refeição, seria capaz de identificar os alimentos e calcular a quantidade de carboidratos.
Mais: como no sistema tem os dados sobre os tipos de insulina que usamos, já indicaria a dose adequada para correção (bolus), quando fosse o caso.

E, claro, neste caso a insulina também deixaria de depender de seringas, canetas e agulhas... em gotas funcionaria bem!
Como não sonhar com isso?? 
Alguém aí disposto a investir?
(Precisando de cobaia, contem comigo!)

15 maio, 2014

Diabetes Blog Week - Dia 4: O Antídoto e a direção!


Ontem eu falei que, apesar dos pesares que surgem vez ou outra, levar a vida com o diabetes não precisa ser assim tão complicado.
Mas e nos dias que teimam em ser?
Pra esses, a solução é apelar para tudo que já foi realizado e alcançado até aqui...
É lembrar que no início do tratamento, eu tomava 43 unidades diárias de insulina e hoje são só 23!
Lembrar que o meu peso no dia do diagnóstico (49kg - pouquíssimo para os meus 1,65m de altura) já foi recuperado e estabilizou (53,5Kg foi a última medida, em março).
Que quando estou muito bem centrada e focada, consigo manter uma glicemia de jejum quase constante, variando entre 89 e 91 mg/dL.
É rever fotos de viagens e passeios cheios de diversão e, por que não, de aventura!
Fotos dos meus carnavais.
Pensar nas inúmeras vezes em que eu passo de 2 a 3 horas com tamborim em punho e um sorriso rasgado no rosto.
 
 Mas acima de tudo, não esquecer que todas estas estripulias só são possíveis quando tudo está sob controle.




Na realidade, neste ponto eu já consigo lembrar claramente que eu preciso ter o controle sobre o diabetes, e não deixar com que ele me controle.
Ou melhor, que eu QUERO ter o controle!
Quem manda em mim sou eu, e não um mellitus qualquer!!
Este é o meu remédio!
Isso é o que devolve o meu Norte.
 
 
 
 
 
 

14 maio, 2014

Diabetes Blog Week - Dia 3: Porque ninguem é de ferro...


O tema do dia coloca pega numa questão delicada... "What brings you (me!) down?"
O que me derruba?!
 
Raramente me deixo abater pelo fato de ter que tomar conta do diabetes todo dia, toda hora.

Fura o dedinho, mede a glicemia, ajusta a insulina, fura a 'pancinha', mede de novo, de olho na alimentação, não esquecer de fazer exercícios… ufa!

Na verdade, para mim isso acabou entrando em 'piloto automático' um certo tempo após o diagnóstico.
Em um dia como outro qualquer, nada perturba. A rotina do diabetes flui sem problemas.

Mas é claro que em algumas momentos, isso cansa.
Cansa ter que prestar atenção nos rótulos dos alimentos, cansa a briga da consciência com a preguiça de acordar mais cedo para pedalar ou caminhar...
E ter que pensar nos lanchinhos e na quantidade de agulhas que tenho que levar quando viajo.
Sem falar na minha briga com a glicada, que anda teimosa e não baixa!
 
Por outro lado, tenho a consciência de que esses tempos de achar tudo uma chatice passam.
Independente do cansaço que muito de vez em quando pinta por aqui, tem a certeza muito mais frequente e que se segura na opção que eu fiz, há 5 anos, de me cuidar, seguir meu tratamento à risca e acreditar que sempre será possível!




13 maio, 2014

Diabetes Blog Week - Dia 2: a Terça Poética.



A proposta de hoje da DBlogWeek era escrever uma poesia, uma rima, um texto… qualquer coisa que seja de poesia e trate da nossa doçura…

Não sou poeta, não faco rimas, mas sempre tem a música para ajudar…

Por isso minha escolha para hoje foi uma música que tocou na nossa festa de Halloween ano passado e que meus amigos - os melhores do mundo! - cantaram para mim ("você é a nossa 'candy girl'!):

Sugar, Sugar (The Archies)
 
Sugar, ah honey, honey
You are my candy girl
And you've got me wanting you
 
I just can't believe the loveliness of loving ou
I just can't believe the wonder of this feeling to
 
Ah sugar, ah honey, honey
You are my candy girl
And you got me wanting you
 
When I kissed you girl I knew how sweet a kiss could be
Like the summer sunshine pour you sweetness over me
 
Oh sugar!
Pour a little sugar on it, baby
I'm gonna make your life so sweet, yeah, yeah, yeah
 
Ah sugar, ah honey, honey
You are my candy girl
And you got me wanting you
Oh honey, honey, sugar, sugar
Oh sugar, sugar (Honey, honey, sugar, sugar)
You are my candy girl.

A minha poesia de todo dia está exatamente em ter a força e o carinho das minhas pessoas na medida certa de diversão e da seriedade que eu preciso.

Por dias mais leves para todos que convivem com esse tal diabetes!  



12 maio, 2014

Diabetes Blog Week - Dia 1: Pra mudar o mundo do DM!


Hoje começa o desafio... O primeiro tema - Change the World - abre a Diabetes Blog Week!!
Estou super animada em participar e ver como os assuntos ligados ao DM são tratados em diferentes lugares...

Lá vamos nós... Dia 1!!
 
Mea culpa: eu não tinha mesmo conhecimento do diabetes, até ser diagnosticada.
Tudo que eu (achava) que sabia era que existiam dois tipos de DM, sem saber exatamente o que diferenciava um do outro, e que se precisasse tomar insulina, era porque a condição já era grave.

De lá pra cá 5 anos se passaram. De lá pra cá, meu conhecimento sobre o diabetes aumentou em uma proporcao incalculável. Passei não só a entender sobre cada pedacinho do meu tratamento, mas busquei entender sobre a condição que passava a fazer parte dos meus dias, pra que tivesse a mínima interferencia possível.

No mais, honestamente, não vejo muita mudança.
Hoje ainda ouvimos casos de pacientes que não conseguem os glicosímetros, que precisam brigar com as autoridades de saúde porque eventualemnte o medicamento ou a insulina estão em falta, pouco há de divulgação visando prevenção…

Em São Paulo sei que tem muitas ações em andamento, coordenadas pela ADJ Diabetes Brasil: encontro de crianças e adolescentes, palestras para pais e filhos, reuniões e workshops com nutricionistas. 
Mas eu só sei que isso acontece porque acesso o site deles. Acompanho a agenda torcendo por atividades aqui no Rio!
Divulgar mesmo, em rádio, rede nacional, jornais, nunca vi.

Sou a maior fã do Educador em Diabetes. 
Mas fui conhecer esta figura e entender bem o papel que eles tem quando estive no Congresso Mundial, ano passado.
Voltando, fui atrás e soube que também temos aqui cursos de certificação e formação de Educadores, o que me deixou bastante feliz! Mas, de novo, não há qualquer divulgação nem sobre os cursos nem sobre a atuação destes profissionais.

Aqui não temos um Plano como o 504 da ADA, que garante que crianças com DM tenham o mesmo acesso à escola que qualquer outra criança… Recentemente, a ADJ anunciou um projeto no qual selecionaria escolas com alunos com DM já matriculados para um projeto - Kids & Diabetes in Schools, em parceria com a IDF - que tem como objetivo orientar professores para lidar com as crianças e evitar problemas que possam vir das atividades rotineiras.  
Mas, novamente, eu só soube disso porque li na página da ADJ. Não foi matéria de jornal, não foi assunto do Fantástico ou do Jornal Nacional.
Não chegou a muita gente uma notícia tão importante.

E essa é a minha impressão de maneira geral: as informações não chegam às pessoas!

Não sou profunda conhecedora do funcionamento do sistema público de saúde no Brasil, não uso - felizmente ou infelizmente?!
Mas conheço pessoas com diabetes que usam e o que eu sempre ouvi é que não tinham glicosímetro porque nunca foram disponibilizados pela unidade onde são atendidos, as consultas tinham intervalos maiores do que 3 ou 4 meses, porque nunca tinha vaga para quando precisavam… o paciente, que deveria estar com um bom acompanhamento da evolução da sua condição, acaba desistimulado. 

Tenho receio de me passar por chata.
Tenho medo de não estar fazendo o suficiente para mudar este cenário.
Tenho pensado em maneiras de conciliar meu tempo para ver se sobram algumas horinhas para eu poder me envolver ainda mais... 

Entrei em contato com a ADILA - Associação de Diabéticos da Lagoa - para me inteirar sobre possíveis atividades para mim e como voluntária também, mas, para minha decepção, só funcionam de segunda a sexta em horário comercial!!
Aí fica difícil…  (sem querer desmerecer o trabalho realizado por eles, que tenho certeza, surte efeitos bem positivos para quem consegue participar).

É por isso que acho que ainda tem muito a ser feito! Muita mudança precisa acontecer.
E vou neste caminho. Tento fazer cada vez mais. Quero fazer cada vez mais.

Por mim, mas também por cada um que se descobre de repente neste mundo cheio de dúvidas e medos, para que eles possam descobrir, como foi comigo, que o diabetes é gerenciável.
E que apesar de passar a fazer parte do todo dia, sem nem ter pedido licença para entrar, não deve - não precisa - ser o ator principal.




11 maio, 2014

Da moça que "eu ponho a força da fé"...


Quem nunca ouviu isso quando tentou argumentar com a mãe usando a clássica "mas todo mundo vai"...

Na hora, não era nada legal ouvir esse tipo de resposta… imagina perder a festinha na matinê da boate da vez ou o jogo no Maraca que todo mundo ia, menos você?!

Hoje o significado é outro.

Hoje, isso significa que eu não preciso agir e nem seguir da maneira que todo mundo considera certa ou normal.
Que o que eu gosto, eu gosto e pronto. 
Mas, principalmente, significa que eu não tenho que pensar como todo mundo - ou como a grande maioria - que pensa que o diagnostico de uma condição crônica trava a vida, trava o riso, trava a diversão e a saúde.

Foi ela que me ensinou que eu não sou todo mundo e que "somos nós que fazemos a vida, como der ou puder ou quiser, sempre desejada".  

Te amo, mamy!
Feliz dia para você e para as mães da nossa vida. 




09 maio, 2014

Para manter atualizado quem cuida...

Hoje e amanha acontece aqui na Cidade Maravilhosa o 8° Curso de Atualização no Tratamento do Diabetes.

O evento vai colocar em jogo procedimentos que estão em uso, parâmetros para avaliação da condição do paciente, além de apresentar e discutir novas maneiras de prevenção.

Segundo os organizadores, os temas deste ano estão diretamente ligados à mudança que vem acontecendo na postura dos pacientes: "Nossos pacientes estão cada vez melhor informados e altamente questionadores."
Gosto assim, já que sou super defensora de que uma parte bem importante para o controle do diabetes depende do conhecimento e da participação de cada um dos docinhos na definição e no entendimento do seu tratamento!


06 maio, 2014

Pauta da vez: blogs!!


Custei a colocar este meu IP no ar, cheia de receios na época (alguns que ainda permanecem, mas que fazem parte do processo de 'blogar'…) e preciso confessar que a cada dia que passa eu vejo como me faz bem e como eu gosto disso!

O prazer de escrever foi algo que eu não imaginava.
O objetivo era mostrar que o mundo do diabetes não é 'escuro e sombrio' e que um tratamento e o controle de uma condição séria não tem que ser impeditivo para as atividades normais e de todo dia.

Mas aos poucos isto tudo se aliou à vontade de pesquisar, de estudar, de descobrir, de dividir ainda mais.
E é uma vontade que fica maior com os comentários ou agradecimentos por alguma dica ou por ter dividido alguma questão mais complexa pela qual eu tenha passado.

Penso no blog levando muito em conta aquela teoria de que "devagar se vai ao longe".
Mesmo que poucos leiam ou que porventura não haja grande interesse no que está escrito aqui, está escrito e pronto.
Um dia, se alguém precisar, ou quiser, vai encontrar um relato sobre um determinado assunto, uma descoberta sobre os estudos que já foram noticiados, sobre os avanços da medicina neste aspecto, e até mesmo como fazer um brigadeiro bem gostoso para acalmar o juízo!

Agora, o bacana é descobrir que como eu existem várias outras pessoas que jogam na rede suas histórias, seus sustos e suas conquistas, para que fiquem lá, disponíveis, até serem lidas e comentadas e divididas.

Pois a Diabetes Hands Foundation valoriza e muito nós, doces escritores de oportunidade.
Por isso, observando o efeito bom e super positivo de tudo o que se diz pelos blogs, como se fosse uma conversa direta e clara entre amigos, criou há cinco anos a Diabetes Blog Week.
A deste ano será entre os dias 12 e 18 de maio.  Não se paga nada para fazer a inscrição e não há limites de blogs inscritos.
Basta preencher um cadastro simples e seguir as regras do desafio: fazer um post por dia, cada um seguindo um tema especifico:

Dia 12 - Change the World (Mude o Mundo)
"Você está satisfeito com a Seção 504 e a segurança nas escolas (isto se refere ao 504 Plan, da ADA, que garante às crianças com diabetes o mesmo acesso à educação das demais)? A confusão de informações sobre o diabetes incomoda você? Você luta para que os planos de saúde cubram os monitores contínuos de glicemia, pela arrecadação de fundos para o Programa Especial de Diabetes (SDP Funding, que é um programa da JDRF) ou por uma confiabilidade maior das tirinhas?
Você trabalha buscando criar conexões e dar suporte a pessoas com diabetes? Sendo ou não uma pessoa que advoga formalmente pelo diabetes, indique quais as premissas consideradas importantes para você.

Dia 13 - Poetry Tuesday (Terça Poética)
Mostre o poeta que existe em você!
Escreva um poema, uma rima, uma balada ou qualquer texto poético sobre o diabetes.
Aqui eles ainda dão uma sugestão: depois de publicar no seu blog, compartilhe na página do No Sugar Added Poetry, da comunidade virtual TuDiabetes (vou falar sobre eles ainda esta semana por aqui) e aproveite para ler as outras já postadas (curti!!).

Dia 14 - What Brings me Down (O que me deixa para baixo)
Maio é o mês da Saúde Mental, então parecer ser uma boa época para explorar o lado emocional de viver ou estar próximo de alguém com diabetes. No que o diabetes faz você se abalar emocionalmente e como você reage?

Dia 15 - Mantras and More (Mantras e Mais)
Ontem abrimos a discussão sobre como o diabetes pode nos derrubar. Hoje, vamos dividir o que nos faz ter um dia ruim. Ou, mais especificamente, um dia difícil de diabetes. Tem alguma coisa de positivo que você repita a você mesmo? Há algum mantra que em que você se apoie para passar por isso? Há algo específico que você faça para quando precisa dar uma folga ao mau humor? Algo que possa ser útil para outras pessoas?
 
Dia 16 - Diabetes Life Hacks ('Truques' da Vida com Diabetes)
Compartilhe suas dicas (não médicas) que ajudam a ter um melhor controle no dia a dia com diabetes. Conte para a gente sobre a mudança na maneira de se vestir (um à parte: este ponto se aplica para quem usa a bomba de insulina), sugestões para fazer um prato equilibrado e/ou na contagem de carboidratos, truques para melhorar os alertas emitidos pelo medidor contínuo de glicemia e da bomba...
 
Dia 17 - Saturday Snapshots (Fotos Instantâneas de Sábado)
Vamos mostrar a todos como é a vida com diabetes!
Baseado no Projeto Diabetes 365 (Diabetes 365 Project - projeto onde foi proposto aos pacientes postar uma foto ao dia, que represente a realidade de conviver com o DM), vamos pegar nossas câmeras de novo e dividir novas fotos.
Coloque quantas quiser... você escolhe se quer falar sobre as fotos ou se prefere não escrever nada e deixar as imagens falarem por si.
 
Dia 18 - My Favourite Things (Minhas Coisas Favoritas)
Para fechar a Diabetes Blog Week, vamos dividir algumas das coisas favoritas da semana.

Pode ser qualquer coisa que tenha sido postada durante estes dias e que você tenha gostado, um blog fantástico que você passou a conhecer, uma foto ou comentário sobre seus posts ou sobre você que o tenha feita sorrir... Qualquer coisa que valha a pena ser dividido!

Só em ler as regras do jogo eu adorei!!
O objetivo é somente mostrar as diferentes perspectivas de determinadas situações relacionadas ao diabetes, como as pessoas reagem de maneiras distintas e chamar ainda mais a atenção para a importância da prevenção.

Alguém tem dúvida que minha inscrição já foi feita?!
Legal esclarecer que, mesmo postando em português (ou qualquer outro idioma que não o inglês), a participação é permitida.

Mãos à obra!!

 

05 maio, 2014

Fábrica de células!

 
Um estudo bem recente aumenta ainda mais a expectativa pela cura do diabetes!
 
Coordenado pela Fundação de Células-Tronco de Nova York junto com a Universidade de Columbia (USA) e a Universidade Hebraica (Jerusalém), um processo de clonagem foi testado, conforme detalhado pela Sociedade Brasileira de Diabetes, a partir de células de uma paciente de 32 anos.
 
Para entender um pouco mais do processo, uma breve explicação: "Após a clonagem, as células são cultivadas em laboratório, expostas a determinados fatores, até atingirem o estágio embrionário de blastocistos. Após esse estágio, são diferenciadas em diferentes tipos de tecido, entre eles o pancreático".
 
Os resultados mostraram que as células clones foram capazes de produzir tanta insulina como uma célula normal, saudável.
 
Apesar das novas células ainda dependerem de alguns outros testes até que possam ser reinjetadas na paciente, a previsão da equipe de pesquisadores é que o risco de rejeição não exista, já que o material genético é da própria paciente.
 
Uma observação muito relevante: a clonagem ainda é proibida em alguns países, entre eles o Brasil!
 
Tudo ainda precisa ser bastante discutido e regulamentado... há questões complicadas em voga (o receio de 'descarte' de embriões - forte isso, mas não há como negar que pode ser um problemão; o teste em animais...).
 
Não conheço o assunto tecnicamente a ponto de defender ou não qualquer posição...
Mas considerando somente o efeito positivo de ter novas células produzindo insulina, penso que superadas (e muito bem supervisionadas) as questões éticas, de modo que se garanta que a atividade seja para "fins estritamente terapêuticos", como coloca a Diretora Executiva da Fundação, é realmente um grande caminho em busca da cura.
 

03 maio, 2014

O prato saudável...

Final de semana chegou e a tendência de colocar o pezinho na jaca e liberar geral na alimentação eventualmente chega junto.

Hoje, no meu caso particularmente, ainda tem casamento na família, o que aumenta a chance de ceder a tentação!

Todo mundo já sabe que uma alimentação desregrada - para qualquer pessoa, mas em especial para quem convive com o diabetes - pode prejudicar bastante… 

Pensando nisso e buscando dar uma melhor orientação, a Universidade de Idaho desenvolveu, com apoio de nutricionistas e Educadores em Diabetes, o programa 'O prato saudável do paciente diabetico', "que ensina os pacientes a planejar, de forma simples, adequada e consciente, suas refeições". 

Durante 4 aulas presenciais, os pacientes recebem informações relevantes sobre o diabetes - sintomas, tratamentos, cuidados - e são apresentados aos grupos alimentares, aprendendo na prática como deve ser um prato saudável e completo.

O ideal é dividir as porções conforme esta ilustração aí embaixo:

Não é muito diferente do que já é praticado e sugerido pelos especialistas, mas o bacana está na metodologia aplicada: por não ser absolutamente teórica, faz com que os pacientes aprendam já  praticando.
Isso faz com que, depois de participar do programa, todos lembrem o que fazer e como se alimentar bem, garantindo um controle melhor e maior da glicemia!



02 maio, 2014

O evento: uma conferência. O tema: Esperança!


É a Diabetes Hope Conference, ou, Conferência de Esperança em Diabetes!!
O foco é esse mesmo: esperança para pessoas que (com)vivem com o DM.
 
Como se já não bastasse, a conferência vai ser transmitida online para o mundo todo!!

Serão discutidos três assuntos:
+ The Doctor will see you now (O médico vai ver você agora): você poderá fazer perguntas aos médicos e especialistas da Associação Americana de Diabetes (American Diabetes Association - ADA).

+ The value of Blogging in chronic illness (O valor de blogar' sobre doenças crônicas): interfere na qualidade de vida de pessoas que convivem com uma doença crônica?

+ Who's in charge? Who says what? And why? (Quem está no comando? Quem diz o que? E por que?): conversas sobre a relação médico-paciente.

O objetivo da conferência em tratar estes assuntos tão atuais e tão relevantes é buscar adequar qualquer processo que ainda seja um tabu e possa estar 'travando' um avanço, uma melhoria, no tratamento dos pacientes com diabetes.
 
O evento é só no dia 20 de maio, às 13h (horário do Brasil), mas as inscrições (gratuitas) já estão abertas (por aqui...).
Já garanti a minha e estou bem curiosa e animada!