Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

12 setembro, 2013

"Pediu pra parar..."


Desse jeito, direto ao ponto!

Esse é o mote da campanha Stop Diabetes, da Associação Americana de Diabetes.

O objetivo do movimento é só este: acabar com o diabetes - e as consequências que ele gera - no mundo.

Como?
Basta se juntar ao "Millions in the Movement", que nada mais é do que o grupo de pessoas dispostas a ajudar, em qualquer lugar do planeta. 



Na prática, eles dividem as ações em 5 quesitos:
1: Advocate (advogue pela causa)
2: Get walking (caminhe)
3: Get riding (pedale)
4: Volunteer (seja voluntário)
5: Donate (doe)





Apesar de não ter a intenção de ser um movimento somente americano, a verdade é que por enquanto quase nada foi feito abaixo da linha do Equador...

No fundo, ninguém depende de um movimento específico para agir da maneira que considerar melhor.
Mas com a força de uma instituição dando suporte, certamente seria mais fácil.

Adaptando as ações para nossa terrinha, minhas sugestões são bem simples:

1: começar informando à Sociedade Brasileira de Diabetes sobre o movimento. 
E aí SBD, que tal se integrar?
(ninguém duvida que eu já mandei um e-mail para eles sobre o assunto, certo?!)

2 e 3: Vai caminhar ou pedalar? Aproveite e use uma camiseta que chame a atenção para o DM... Encontrou um amigo no caminho? Diga porque você está lá na atividade. Quem sabe não ajuda alguém a espantar a preguiça também!

4: Uma das opções para esta ação é procurar instituições ou associações ligadas ao Diabetes (aqui no Rio eu já até identifiquei, mas o fato é que não fui em nenhuma delas ainda...). Outra opção é ser voluntário de maneira mais informal. Conhece alguém que também convive com o diabetes mas não consegue se entender muito bem com o tratamento? Ou que não sabe como medir a alimentação para garantir uma refeição balanceada? Explique. Se disponha a esclarecer as dúvidas. 
Alguém que não consiga manejar seringas, canetas, agulhas... mostre como fazer.

5: Doe seu tempo.
Doe insulina, doe tirinhas, doe glicosímetro.
Uma consulta médica a quem precisa, um remédio.
Doe!

O grande lance é fazer acontecer, não importa como!


Nenhum comentário:

Postar um comentário