Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2017

MiniMed 640G: Cena 7 - A decisão de parar...

Imagem
Consulta com a minha Super Endócrino, um aprendizado conjunto, as análises dos últimos exames feitos antes de começarmos o teste com o MiniMed640G, uma ansiedade grande pelo que o novo vinha trazendo.

Ela nunca me negou nada desde o dia 1, aquele que me colocou na estatística do diabetes tipo 1. Agora não ia ser diferente.
Leu, buscou informação, aprendeu, falou com especialistas, me ouviu um tanto! Me deixou segura para mudar o tratamento e testar uma baita tecnologia, acompanhando tudo bem de pertinho.
Relatórios encaminhados, o contato com a Educadora Lygia, as incertezas compartilhadas e cada ajuste sob supervisão.

O fato é que com tudo isso e mesmo depois das últimas alterações feitas nas doses de insulina, fiquei um dia mais estável e logo a situação de picos glicêmicos voltou. Antes das refeições a glicemia sempre na faixa dos cento e pouco; uma hora depois, ia lá para a casa dos duzentos.

Conversei com a Lygia e mais uma vez íamos tentar melhorar o cenário com uma nova dose de…

MiniMed 640G: Cena 6 - A troca do sensor e o balanço das horas...

Imagem
Novo dia de troca... Dessa vez, além do cateter, o sensor.
Diferente do cateter, o sensor requer uma mão de obra um pouco menor. O primeiro eu apliquei no braço porque estava contando com a ajuda da Lygia. Para o segundo, minha opção foi um lugar onde eu conseguisse fazer tudo sozinha.

Antes de começar, é preciso carregar o Guardian. Enquanto fazia isso, já fui preparando o sensor e o aplicador:
Ah, como muita gente tem me perguntado onde fica o reservatório de insulina na Bomba, é aí onde tem esta tampinha e de onde sai o cateter:
Escolhi aplicar o cateter de novo na barriga e o sensor, desta vez, foi no flanco.
E uma decisão importante: como eu tive alergia ao adesivo que prende o sensor na pele, optamos por não colocá-lo, deixando somente a kinesio tape como proteção (trata-se de uma bandagem elástica adesiva, usada principalmente por fisioterapeutas).

Sensor ativado, partimos para avaliar os dados dos Relatórios do período...

Fui direto ao ponto, já que alguma coisa anda estranha …

MiniMed 640G: Cena 5 - As Primeiras Análises de Resultados...

Imagem
3 dias depois da instalação, a primeira avaliação com a minha Educadora.
A Lygia veio na minha casa e fizemos a troca do cateter e reservatório da Bomba, baixamos os dados de tudo que aconteceu nessas 72 horas e ela me deu mais algumas orientações sobre a operação da Bomba, para melhorar os resultados do tratamento.

Me vi de volta ao dia da minha primeira aplicação de insulina. Lá atrás, quando cheguei em casa depois da consulta que revelou o meu diagnóstico, eu fiquei um bom tempo com a caneta desmontada na minha mão, tentando entender tudo que ia acontecer.
Agora, com a experiência da Bomba, essa sensação se repetiu quando chegou o momento da primeira troca do cateter.




O processo em si é bem simples. Um mini-roteiro a ser seguido, tudo muito claro.
A Lygia foi me explicando o passo a passo e fizemos juntas: rebobina a Bomba + remove o reservatório antigo + tira o conjunto de infusão do corpo + abre o reservatório novo (procedimento padrão de aspirar o ar até a quantidade de insulin…

MiniMed 640G: Cena 4 - as primeiras impressões...

Imagem
Primeiras 48 horas bombada!

No primeiro dia, assim que o sensor foi ativado (depois de aplicado, ele leva até duas horas para começar a se comunicar com a Bomba) comecei a me fixar no visor! Mexi no menu de trás para frente, olhei de novo todas as configurações e fiquei um tempão acompanhando a linha que mostrava as variações do meu docinho. Ainda estava meio desconfiada por não ter tomado a minha dose da Tresiba cedinho e por ter ficado algumas horas sem insulina. Força do hábito, toda mudança gera uma certa ansiedade.

O dia seguiu bem.
Calibrei a Bomba como devido, 3 vezes durante o dia. Mal precisei ajustar... estava tudo caminhando bem.
Sobre o sistema, sem dúvida que a praticidade de acompanhar minuto a minuto e lançar os carboidratos que serão ingeridos a cada refeição ou lanchinho traz uma tranquilidade em relação a manter a glicemia mais estável.

Hora do banho!! Tirar a bomba ou deixar? Já que esta pode molhar (os modelos anteriores não podem ser molhados) fui com ela. Medo de…

MiniMed 640G: Cena 3 - Valendo!

Imagem
E enfim chegou o dia: bomba devidamente "instalada"!!

Antes de tudo começar, a sensação de rebeldia: nada de aplicar a minha insulina de todo dia! Que agonia... 8 anos e meio fazendo isso praticamente no automático, assim que levantava da cama. Mas essa era a regra: no dia de colocar a bomba eu não deveria aplicar a Tresiba.

Tomei meu café da manhã e só apliquei a insulina de ação rápida - a NovoRapid, mesma que vou usar  na Bomba - para corrigir a quantidade de carboidratos que seria ingerida.

Assim que a Lygia - educadora querida - chegou, já comecei a entender o que era cada pecinha desse 'Lego' que serve para me manter insulinizada. Horas de conversa, muito papo, muitas perguntas, muitas anotações. Muita informação ainda sendo absorvida!

A instalação é simples.
O processo é delicado até encaixar cada pedacinho do conjunto de infusão - cateter + reservatório - mas sem maiores complicações.
Aplicação na barriga, para começar. Embora possa ser colocada nos mesmos lo…