Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2017

Alalaô!!

Imagem
Sou do carnaval de corpo, alma e coração!
Carnaval pra mim é muito além de ter quatro dias pra se desligar das responsabilidades. Vai além da Sapucaí...
Carnaval é coração aberto, alegria e amor.
Fantasia misturada com purpurina para um dia inteiro de encontros e abraços e música e bloco e alegria na essência.

Tocar meu tamborim com a minha bateria no meu Fogo e Paixão então é a catarse absoluta!
E apesar de já estarmos no nosso sétimo ano, a ansiedade bate forte!
São 4 horas de desfile no sol e com a adrenalina a mil (e assim é que é bom).

Nessa minha vida de batuqueira e foliã docinha, as perguntas chegam: - Mas você pode tocar tamborim? Você pode ficar tanto tempo no sol? Como você faz para se alimentar durante os blocos?
Não tem mistério. De verdade! O diabetes não me impõe qualquer limite.
Cuidado e planejamento e o resto é curtição.

Nesse período de folia, meu gasto de energia é muito maior que o usual. Por isso, faço um esquema de redução gradual da minha dose de insulina diári…

Alerta ou alarde?

Imagem
Uma notícia sobre mortes recorrentes de crianças na Índia chegou gerando muito alarde, por causa da possível razão:

A fruta de casca durinha mas bem suculenta está sendo apontada como a responsável, depois
de uma investigação feita por especialistas. O pânico tomou conta de muita gente, principalmente nesse mundo doce.

De acordo com o que vem sendo divulgado, há uma toxina presente na lichia que acaba impedindo a "produção de glicose" pelo organismo e levando, então, à uma hipoglicemia severa.
Opa, e agora? Quem tem diabetes corre risco comendo a tal frutinha?
Calma!

O assunto me chamou a atenção e por isso fui buscar opinião de quem conhece e entende... Conversei com a minha querida amiga e nutricionista Flávia Marques e ela traz alguns esclarecimentos, que compartilho com vocês:

"A matéria veiculada trata de uma publicação da revista Lancet (para acessar na íntegra, clique aqui), super conceituada academicamente e fala de uma nova doença que associa uma toxina present…

O papel de um jornal...

Não é de hoje que algumas manchetes de jornal vêm chamado atenção pela forma com que são apresentadas. Títulos confusos e mal escritos, seja qual for o tema.
Imagina só quando o assunto tratado é um que ainda precisa de muito esclarecimento por aí...

O diabetes por si só é uma doença crônica que ainda atrai o pensamento diretamente para 'morte' e para muitos 'não pode'. Eu não entendia muito sobre isso e de fato só fui aprender - do básico ao dia a dia de um tratamento - depois de diagnosticada.

Mas para divulgar uma matéria em jornal é preciso, no mínimo, coerência e pesquisa.

No início deste ano uma notícia trazia a informação sobre uma cirurgia feita pelo Romário para "reduzir diabetes".
Oi??!

Cautela e cuidado no que é dito, minha gente. Por favor!
Diabetes não é reversível, não tem cura e nem se 'reduz'. Diabetes se controla. E se convive bem com ele, obrigada!

A matéria da globo.com anunciava que o 'Peixe' havia perdido 10 kg após realiz…

Respostas para o Jack!

Imagem
Quando escuto qualquer coisa sobre um diagnóstico de diabetes tipo 1, imediatamente o que vem à minha cabeça é insulina. Insulina é o nosso elixir salvador, o que garante tranquilidade e sossego dia após dia.

Mas.... e quando esse tal salvador não funciona?
Já pensou nisso??
Eu nunca tinha pensado, até ouvir a história do Jack.

Ele é um docinho de 8 anos, que mora na Carolina do Norte, nos Estados Unidos.
O que ocorre é que ele tem alergia à insulina!
Pânico, certo?!

De acordo com uma matéria divulgada pela página Insulin Nation, isso acontece com apenas 2% dos pacientes com DM1.

A gravidade maior do caso do Jack é que mudar o tipo de insulina não resolveu. Chegaram a pensar até que poderia ser uma alergia à cânula da bomba de infusão, mas mesmo com as injeções as reações alérgicas se seguiram.

A família já contactou os principais laboratórios fabricantes (Novo Nordisk, Lilly e Sanofi) para tentar identificar o que exatamente pode ser o fator desencadeador da reação. Agora, enquanto o…