Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2015

Sociedade Brasileira de Diabetes em prol dos docinhos!

Imagem
A Sociedade Brasileira de Diabetes está trazendo agora mais informações com o foco nos pacientes e em quem convive, direta ou indiretamente, com a doçura.

Na página da SBD agora há uma sessão para o público com temas importantes e que, para nós, são de prioridade absoluta.

Desde 'O que é o Diabetes?' até orientações sobre a contagem de carboidratos e algumas receitas, passando por assuntos como as complicações que podem ocorrer e as interferências com a saúde mental e sexual.
Está ficando cada vez mais fácil ter acesso aos conhecimentos e aos cuidados básicos para manter o bom controle do diabetes.  Mais que isso, está sendo construído um pilar bem forte com base na Educação em Diabetes como parte fundamental do tratamento. 
Emponderamento, força, confiança com certeza serão os primeiros resultados a aparecer.  Que o foco se mantenha nesse caminho!! 



Novo monitor, maior cuidado e menos risco!

Imagem
Tem novidades na área!
Pela primeira vez desde o meu diagnóstico eu troquei de glicosímetro. A partir de agora meu companheiro diário vai ser o FreeStyle Optium. 
Minha Super sugeriu a mudança por se tratar de um aparelho com mais recursos, em relação ao AccuChek Performa.
Nesse, além de medir as glicemias, é possível também medir a cetona, que indica a cetoacidose diabética. 
Aqui um parêntese para explicar do que se trata: "Acontece quando os níveis de açúcar no sangue do paciente encontram-se muito altos e estão acompanhados do aumento da quantidade de cetonas no sangue também.  Mas o que são as cetonas?  O primeiro passo para que uma pessoa com diabetes entre em cetoacidose é a falta de insulina em seu organismo. (...) Quando há falta de insulina, duas situações simultâneas ocorrem: o nível de açúcar no sangue vai aumentando e as células sofrem com a falta de energia. Para evitar que as células parem de funcionar, o organismo passa a usar os estoques de gordura para gerar energ…

Tudo de novo!

Imagem
E lá se foi a academia... Não adianta, não gosto. Apesar de ter a certeza dos benefícios do exercício, não adianta ir para um lado que eu não curto.

Foram 3 meses matriculadas e posso dizer que o primeiro foi cumprido à risca. O segundo já foi mais ou menos e no terceiro se fui três vezes foi muito.  A solução então?! Voltar para o que, além de fazer bem, me dá prazer: o pilates!
Já estava há algum tempo sem fazer e ontem fui em uma aula experimental, num novo estúdio. Adorei!! Tudo: a aula, a energia, o ambiente.  Matrícula feita e hoje já segui na segunda aula. 
À tarde foi a vez da consulta com a minha Super. Tudo em ordem e dentro do esperado! E a minha irritação por causa da variação da glicada, que é "estatisticamente irrisória" e "não indica nenhuma alteração que traga preocupações" até passou.  (Mas que eu vou seguir na meta de baixar de 7%, ah eu vou!!)
Agora é ir em frente e trabalhar a mente - e o corpo - no que ainda preciso tornar um hábito, sem descul…

Pra serem meus!!

Imagem
Uns com muita afinidade. Outros nem tanto.
Uns tão parecidos comigo e outros absolutamente diferentes. Aqueles que falo praticamente todo dia e os que fico tempos sem falar. Os de mais de vinte anos de relação e os que nem tem 2!
Cada um de um jeito, mas do meu jeito.
Do jeito que ama e cuida. Do jeito que está junto na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. Do jeito que ri de chorar, até fazer a barriga doer. Do jeito de chorar abraçado, de falar o que é preciso ouvir e de nem precisar falar nada também.
De quem planeja uma viagem junto e de quem está sempre torcendo por cada um dos seus planos. Mais: de quem quer te ajudar a alcançar os seus sonhos.
De quem cuida se sabe que você não está numa semana muito legal, cuida quando você vira o pé na rua, cuida quando você está triste e quando está embalado na euforia também. 
Cuida do coração.  Cuida do docinho: "já mediu? já comeu? precisa tomar insulina agora?"
De quem sempre vai me dar a mão.
De quem faz parte de uma famíl…

O dia do prato...

Imagem
Se no último post o assunto foi o supermercado, hoje vamos para os restaurantes por quilo.

Com tantos deles espalhados pelas cidades, atualmente é até mais fácil achar os que se destacam e sempre tem diferentes saladas, algumas boas opções de legumes, arroz ou massa integral, os que usam produtos orgânicos.
Fazer um prato saudável não é assim tão complicado - aqui vale aplicar a regra do mercado: se estiver com muita fome, o racional desanda e o equilíbrio da refeição cai por terra!

Mas uma coisas que vem me chamado a atenção há algum tempo é o uso de açúcar no preparo dessas comidas. E a grande questão é que isso não vem indicado.

Sempre que vou comer fora de casa procuro evitar molhos de tomate, de carne, etc., porque sei que nestes casos é usual o uso do açúcar para tirar a acidez.
(Claro que também existe a opção de usar a insulina de ação rápida para correção desses carboidratos a mais, e quando acho que vale a pena, utilizo este recurso a meu favor... mas penso que não preciso f…

Pra encher o carrinho...

Imagem
Hoje uma postagem do Diabetic Connect fazia referência às idas ao supermercados, perguntando quais eram as nossas dicas, sendo pessoas docinhas.

Eu adoro ir ao mercado, justamente para ver o que tem de novo.
Sempre fico de olho no que pode ter sido lançado, numa marca conhecida mas que só agora esteja investindo em produtos sem açúcar, em opções mais frescas e orgânicas.

Mas realmente um passeio entre prateleiras com tantos tipos e marcas diferentes de alimentos sendo oferecidos pode acabar gerando algumas dúvidas...




Hoje em dia quase todos os supermercados tem um corredor ou uma seção específica para produtos diet, light e zero.

Apesar disso, é preciso ficarmos bem atentos, porque nem sempre uma embalagem que contém a palavra ZERO escrita significa que aquele produto é sem açúcar.
Ele pode ser 'zero' de gordura, por exemplo.

E muito além do que a embalagem apresenta, é preciso sempre ler os rótulos! Ali estão as informações mais importantes sobre o que devemos levar em consi…

Um, dois, três e já!

Imagem
O coração bate forte, a sensação é de que o corpo está tremendo, a mão suando frio... nada de encontros de amor: é o tal do resultado do exame!!

Seis anos e quatro meses de diagnóstico e é sempre do mesmo jeito.

A previsão era sábado, mas o resultado já foi liberado: os exames estão bons. A glicemia estava baixinha por causa do jejum (difícil acertar esse planejamento do docinho de jejum, ou vai para mais ou para menos do intervalo requerido) e a glicada... A glicada segue fora do número que eu gostaria.

Sim, eu!

Assumo totalmente esse querer.
O valor ideal para a hemoglobina glicada é de 6%; para quem convive com o diabetes, 7% é aceitável.
Venho há algum tempo numa gangorra instável onde os 7,'x'% me perseguem. Sei que isso não significa que eu não me cuido, mas também sei que uma boa glicada é um indicador de que há um bom controle glicêmico.

Dá pra confundir não dá?!

A atual foi medida em 7,2%, depois da anterior que foi de 7,1%. Grave? Não, longe disso.
O fato é que vem u…

Sobre a doçura em foco... um aviso!!

Imagem
O Educa Diabetes, que estava previsto para acontecer esta semana, de 14 a 20 de julho, foi adiado!

O motivo não podia ser melhor: um grande número de inscrições para participar.
Com isso, a estrutura precisou ser revista e ampliada, para evitar problemas de conexão durante as palestras.

O evento segue confirmado, porém agora de 04 a 10 de agosto.
Quem já se inscreveu, é só aguardar a nova data.
Para quem ainda estava em dúvida, mais uma oportunidade para participar! É só entrar aqui e fazer a sua inscrição!





Doçura e educação em foco!

Imagem
Que informação nunca é demais, eu já tenho mais do que certeza.

Mas obter informação referente ao diabetes não é tão simples quanto parece. Não há divulgação em mídia sobre os sintomas, sobre prevenção, sobre os cuidados...

O conhecimento não está - ainda - tão ao alcance quanto deveria. Mas nada impede que a gente busque aprender.

E quando tem evento focado para isso, temos que aproveitar!

Semana que vem, de 14 a 20 de julho, vai acontecer o EducaDiabetes, um ciclo de palestras sobre assuntos que nos são tão conhecidos, mas ao mesmo tempo podem trazer tantas dúvidas.
O melhor de tudo é que será gratuito e online. Para participar, é só entrar no site e fazer a inscrição.
Depois é só esperar o email de confirmação e aguardar pelos links para acesso às palestras.

Os temas são muitos, todos interessantes e bem importantes:
Caderninho na mão, agenda a postos e na espera!!


Pra seguir no caminho das células-tronco...

Imagem
Há alguns anos vem sendo realizado um trabalho pioneiro no Brasil em busca de melhor qualidade de vida em pacientes com diabetes tipo 1, através do transplante de células tronco.

Já mostrei aqui como são as pesquisas e o trabalho iniciado pelo Dr. Julio Voltarelli, hoje conduzido pelo Dr. Carlos Eduardo Barra Couri, no Hospital de Clínicas de Ribeirão Preto.








Dois pacientes deram depoimentos para a revista Vida Saudável e Diabetes no último mês, para falar sobre os 10 anos nos quais vem conseguindo se manter sem insulina após o transplante (infelizmente a matéria não está disponível para acesso online).

Eles seguem hoje com um acompanhamento diário das glicemias, alimentação saudável e prática de exercícios, mas um ponto que não deve ser esquecido é que não se trata de cura!

O tratamento é em caráter experimental, uma pesquisa. Por isso, faço questão de reproduzir o que um dos pacientes disse a respeito dessa vivência: "Eu não tomo nenhuma dose de insulina, mas não posso me esqu…

Da doçura e dos encantos na Chapada dos Veadeiros...

Imagem
De volta pra casa depois de uma semana sensacional.

Já queria conhecer a Chapada dos Veadeiros há algum tempo e agora, aproveitando o plano e o convite de uma amiga, fui junto na aventura! Decisão super acertada: voltei completamente encantada. Esse país tem tanta beleza, tanta exuberância.
Lá é tudo beirando mesmo o exagero: o visual, as cachoeiras, a energia boa e vital, até o cuidado com o docinho!!
Como na minha rotina ainda não consegui manter um bom relacionamento com as atividades físicas (estou melhorando...), o esforço por lá foi muito monitorado e calculado. O café da manhã caprichado era a base dos dias.
Para conhecer as cachoeiras, seguimos por trilhas com até 2 horas de caminhada. Não são difíceis e nem precisam de escalada, mas são puxadas por conta dos trechos onde só tem pedras e pelo sobe e desce que exige mais força e concentração ainda.
Claro que isso tudo era totalmente compensado quando a gente chegava nos destinos!
A primeira providência - antes de dar o mergulho…