Chegou o i-Port: a porta de entrada para a insulina!

Lá nos idos de 2015, foi lançado nos Estados Unidos um dispositivo que prometia ser a solução para as pessoas com diabetes que fazem tratamento usando múltiplas doses de insulina, que é o meu caso...

A novidade da vez era o i-Port. Falei sobre ele por aqui, já na expectativa de testar e saber como seria usar uma 'porta de entrada' para as diversas injeções de insulina diárias.


O dispositivo me chamou atenção pela praticidade que a proposta prometia.
A ideia veio de uma diabética incomodada com as 'picadas' necessárias.

Pois bem: ele foi aprovado pela ANVISA e em abril foi apresentado no Simpósio Internacional de Tecnologias em Diabetes, o SITEC. 
Tive a oportunidade de bater um papo com a Tainá Pizzignaco, da Medtronic, e saber mais sobre como ele funciona, como é aplicado e, claro, qual o custo! 

O objetivo da empresa para o i-Port é fazer com que os usuários de seringa ou caneta tenham mais conforto no dia a dia. A rotina de quem convive com o diabetes requer muitas tarefas para manter o devido cuidado e para controlar a doçura. Ter algo que possa deixar este processo mais simples é sempre bom. 

Da mesma forma que os sensores de monitoramento contínuo de glicemia, ele vem com um aplicador...




Depois de poucos passos, você já terá o i-Port devidamente instalado: 


O i-Port deve ser trocado a cada três dias. 
- Ah, mas eu achei que pudesse deixar por mais tempo...
Eu também. Isso seria ótimo, mas a verdade é que três dias já vão poupar muitos furos!

Os locais de aplicação são os mesmos onde podemos aplicar a insulina:


Um detalhe importante é sobre o tamanho das agulhas que podem ser utilizadas. Como existe um espaço entre a entrada do dispositivo e a superfície de aplicação de fato, agulhas pequenas, de 4mm, não conseguem alcançar a pele. Então, as agulhas devem ser de no mínimo 5mm e no máximo 8mm.

- Eu posso aplicar insulinas diferentes pelo mesmo i-Port?
Sim! A única observação é que deve ser respeitado o intervalo de uma hora entre a aplicação de uma e outra, para evitar que haja interação direta entre elas. 
A recomendação da fabricante é que primeiro seja aplicada a insulina de ação rápida e depois a de ação lenta.

Não existe restrição para praia ou piscina, viagens, prática de esportes... 

E sabe qual é a máxima dessa novidade?

Pode ser usado também para administração de qualquer medicamento que requer aplicação subcutânea, sempre respeitando o tempo de ação de cada remédio. 

O lançamento oficial é em junho. 
A venda será pela Drogaria Onofre e o i-Port não vai ser vendido por unidade, somente em uma caixa com 10 dispositivos - o necessário para um mês - por R$500,00.

É um valor bem relevante, quando a gente soma ao custo de tudo mais que precisamos para o tratamento. Mas sei da praticidade que pode proporcionar, principalmente para crianças e idosos, pessoas com maior sensibilidade à dor ou que não se sentem seguras na aplicação de injeções. 
Nestes casos, de fato o i-Port pode trazer tranquilidade e a garantia de que as aplicações não serão negligenciadas. 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Monitoramento constante... ligação direta!

"Menos Preocupação = Mais Alívio"

Naturalmente Doce!