Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2018

Diabético por tabela?? Diabético por amor...

Imagem
Recentemente estava no Chá de Bebê de uma amiga e, em algum momento, uma senhora me parou e pediu para prestar atenção ao que o marido dela me mostrava. Quando olhei, ele estava apontando para o braço para me mostrar que também estava usando um Libre. Ele tinha visto o meu e isso foi a deixa... Perguntou se eu estava bem, voltou para o papo com os amigos e a mulher dele puxou a conversa comigo. 

Ele tem diabetes tipo 2 e há algum tempo já faz o uso de insulina. Ela não... 
Mas é ela quem 'faz' o tratamento dele.

Num desabafo, ela me contou que geralmente ia a todas as consultas com ele, entrava na sala dos médicos, apresentava o histórico de glicemias e doses de insulina e ele mal comentava. Uma situação em que ela estava no papel principal - sendo a paciente - e ele como um mero coadjuvante. 

A questão é que para o bom controle do diabetes, não bastam insulinas e glicosímetros. É preciso assumir a sua própria condição, tomar à frente, focar no autocuidado! 
Eles chegaram a ter pro…

Último Ato: o ponto de interrupção...

Imagem
15 dias e só! Foi todo o tempo em que eu fiquei com o AccuCheck Combo...

A decisão por fazer um novo teste com o sistema de infusão continuo de insulina - a bomba - foi para tentar, mais uma vez, 'funcionar' com um tratamento inovador e que nos poupa de algumas injeções ao longo do dia.

Estava disposta a deixar a bomba cumprir o seu papel.
Junto com Larissa, a minha educadora, fui entendendo o sistema e acompanhando os resultados.
Ela e a minha endócrino, a Monique, estavam sempre em contato para fazer os ajustes necessários nas doses de insulina e as duas em contato diário comigo! Isso já trouxe, de imediato, uma segurança nessa tentativa de seguir com uma nova terapia.

Mas, por mais que eu estivesse absolutamente monitorada e orientada, a doçura não se comportou como a gente esperava.
Um ajuste aqui, outro ajuste ali, a certificação da contagem de carboidratos bem corretinha e nada parecia fazer efeito.



Minhas glicemias de jejum estava batendo a casa dos 180mg/dL, as glicemi…

4º Ato: os números do Combo da doçura...

Imagem
É pré, é pós, é na hora de fechar os olhinhos para sonhar, é no meio da madruga...

Um bom controle do diabetes está diretamente relacionado ao auto-monitoramento da glicemia.
Na prática, a gente sabe que nem sempre é possível medir a glicemia tanto quanto seria o ideal. Mas, em teoria, o glicosímetro é um dos nossos melhores amigos e, seja com sistema de monitprização contínua - sensor - ou com tirinhas e furos nos dedos, acompanhar a variação glicêmica é o passo fundamental para manter a doçura em ordem.

Com o AccuChek Combo, tenho conferido a minha glicemia entre 8 ou 9 vezes ao dia. E aí estão os meus números desde o começo da vivência em modo biônico:

Já fizemos ajustes nas dosagens de insulinas depois da análise de alguns deles e continuamos buscando uma adequação.

Pois bem, o que é uma grande vantagem no AccuChek Combo - a possibilidade de programar doses diferentes de insulina por intervalos de tempo (a cada hora!), é uma questão que acaba me deixando insegura. A cada dois ou t…

Do tipo que se importa...

Imagem
Há algum tempo fiz um post comentando sobre um desenho que eu tinha visto referenciando uma pessoa com ‘diabetes tipo 3’.
Brincadeiras à parte, achei a classificação justa e bem bacana.

Não posso falar por todo mundo, mas eu sei a diferença que faz ter alguém cuidando, mesmo sem a gente pedir, se preocupando, mesmo quando a gente sabe que está tudo bem, questionando, só por querer aprender o que fazer para ajudar a deixar a gente mais segura e confortável.
Faz um bem danado - no coração e na glicemia também, tenho certeza! - saber que alguém zela pela nossa saúde. Que alguém busca conhecimento, que pergunta, que questiona. Por mim, por vocês...

Eu posso dizer sem qualquer dúvida que meu time de ‘diabéticos tipo 3’ é grande! Bem grande!!
E eu tenho uma gratidão enorme por isso.

Hoje eu falo para cada um que é amigo, irmão, pai, mãe, tio ou tia. Para os avós, os amores, os filhos. Para os chegados, os que nem conhecem direito, mas que se importam.

A gente que convive com a condição vive em um …

3º Ato: As surpresas dos dias no modo 'bombada'!

Imagem
Até aqui, 9 dias com a bomba...

...e sigo embolada nas madrugadas. Seja com a bomba presa no short do pijama ou solta na cama (mas devidamente presa na cânula pelo cateter), eu me espalho e ela não me acompanha. Mas vou resolver isso com o tempo e a prática.

Ao longo da semana a glicemia até que se comportou bem.
Algumas variações além do esperado, alguns resultados pós refeição batendo a casa dos 200 mg/dL, que podem ter sido em função de correções erradas.

Explico: tenho muito medo de fazer hipoglicemia. E aí, em alguns casos, não levo tão na teoria a contagem dos carboidratos. Calculo como deve ser e - que fique bem claro - por minha conta, acabo descontando alguma coisa no valor total. Com isso, o erro pode acontecer.
Sei que eu peco pelo excesso, acabo sendo conservadora, mas com um tratamento novo, ao qual eu ainda estou me adaptando, prefiro assim...

A supresa nesses últimos dias foi a tal da bolha!
Uma bolha pequena, mas que tem um poder grande de interferir na correta liberaç…

2º Ato: As primeiras impressões da minha parceria com o Combo...

Imagem
Quatro dias completos com a Bomba e eu já fiquei embolada no cateter de madrugada e presa no braço da cadeira!
Nada grave, nada sério, só a falta de hábito mesmo.
Mas até aqui, tudo está indo bem.

Estou achando o Accu-Chek Combo prático de manusear. O fato de não ter que ficar mexendo na Bomba o tempo todo deixa tudo mais fácil... O glicosímetro do combo acaba funcionando como um controle remoto. A gente mede a glicemia, informa a quantidade de carboidratos que serão ingeridas e, com as configurações que já foram inseridas na bomba referentes às quantidades de insulina, ela calcula a dose necessária e a mágica acontece: a insulina começa a ser liberada.

Ontem fiz a primeira troca da cânula. Sem mistério! Foi bem tranquilo.
O aplicador é grande e apesar de parecer complicado, à primeira vista, é simples de usar.
 A agulha é retirada...
 ... e é este filamento que fica dentro da pele depois de aplicada a cânula.
Com os resultados das glicemias registrados nesses primeiros dias, consegui…

Modo biônico - pra começar outra vez: 1º Ato!

Imagem
Tentativa e erro... erros e acertos.
Diabetes é assim.

Um dia uma unidade de insulina funciona para corrigir um lanchinho. No dia seguinte, você toma duas para o mesmo lanchinho e pode não funcionar.
Depende de tantas variáveis!

E foi por isso que eu aceitei fazer o teste com a bomba de insulina da Roche.

- Ué! Mas você não se adaptou à esse tipo de tratamento.

Pois é.
Não curti e pretendia negar quando a Roche entrou em contato comigo. Marcamos um café para bater um papo e eu fui até lá pensando em como negar com gentileza e simpatia.

Cheguei, nos encontramos e em 5 minutos eu já tinha mudado de ideia.

Eu sou muito adaptada ao tratamento com as canetas de insulina. Não me incomodo em furar a pança para aplicar e a verdade é que não preciso usar muita insulina de correção.
Além disso, sou muito sensível à insulina de ação rápida... Recentemente minha dose de insulina basal foi reduzida e o passo seguinte seria mudar a minha caneta da insulina de bôlus para a que permite meia dose, em …

A continuação. Ou, o (re)começo...

Imagem
Diagnóstico. Blog. Um artigo... Congresso da IDF.
Educando Educadores. Influenciadora junto à SBD. Uma R-evolução Azul.
Movimento Diabetes Rio. Comunicação e Saúde... Fiocruz.
Uma Revista. Jornalismo. Outro Congresso.
Um Café. Associação de Tanguá...

A doçura me levou por um caminho novo, de cuidado e aprendizados constantes.
De uma busca por melhores condições e do viver bem diário.
Uma busca por mim e por outros tantos iguais.

Devagar, de mansinho...
A minha vivência sendo dividida; a confiança sendo conquistada.

A engenharia, companheira de tantos - bons! - anos, foi ficando mais devagar. A gestão de projetos e as minhas hidrelétricas seguem no coração, mas não mais na rotina do trabalho.

E agora?
Como agregar o conhecimento adquirido com a profissão ao conhecimento adquirido através da educação em diabetes? Tinha algum sentido pensar nisso?

Sim!!
E foi justamente na busca pelo que faz sentido que, agora, aos 4.0, chegou a hora de fazer tudo novo de novo.
Agora tudo recomeça!

Inscr…