Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

11 janeiro, 2018

Novos parâmetros para manter o rumo...

- Minha glicada está horrorosa!
- Calma!!

Mais um começo de consulta sem parcimônia. Eu já cheguei e antes mesmo da sentar já fui dando o veredito.

Depois de um longo tempo tentando sair da casa dos 7% de hemoglobina glicada, ano passado alcancei 6,5% e bati 6,2%! Estava muito feliz com isso. Sei o esforço para conquistar esses resultados, o que precisei rever e mudar no meu dia a dia. Então, pegar o primeiro exame do ano e me deparar com uma glicada de 7,1% não foi legal.
Fiquei bem chateada e, no fundo, sou a única responsável.

Mas esse número é ruim? Não!
Não mesmo.
E a Monique atestou isso comigo hoje.
Disse para eu manter a calma - e a paciência!!, que meus exames estão todos bons, que não me avalia por este número de forma isolada.
Eu já sabia que seria assim e é bom ouvir esse relato de uma médica que me acompanha desde o primeiro dia e hoje me traz confiança absoluta. Só que lá no fundo a sensação de decepção ainda me acompanha...

Agora fizemos uma reavaliação geral dos meus parâmetros de tratamento.
Minhas glicemias andaram variando demais entre altas e baixas e estava claro que alguma coisa precisava ser ajustada.
Para começar, a dose de Tresiba foi reduzida em duas unidades e o esquema de correção foi alterado, aumentando o intervalo de glicemia. Mexemos também na minha relação insulina / carboidrato. Eu estava usando uma unidade para cada 40g e passamos para 50g por unidade.

Já deixamos alguns outros ajustes pré-planejados, caso as glicemias não respondam adequadamente ao novo esquema.

Daqui a duas semanas eu vou ao consultório de novo. Enquanto isso, vou passando os registros de glicemia para a minha endócrino, para ela avaliar e confirmar sobre a adequação do que já mudamos.

O melhor dessa história toda, para mim, é que tudo foi decidido em conjunto. A cada passo ela ia me sugerindo e explicando os porquês, tomando como base o que eu estava relatando para ela sobre a minha rotina.
Assim, juntas, fica bem mais fácil.

Cabeça erguida, coração mais tranquilo, dedinhos a postos e alguns furinhos durante o dia para manter a doçura como deve ser!

Nenhum comentário:

Postar um comentário