Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2018

Rótulo: o direito do consumidor.

Imagem
Um dos hábitos que eu mudei depois do meu diagnóstico foi ler os rótulos de cada produto que eu compro. A validade eu sempre conferi, mas a atenção às informações nutricionais era deixada de lado.

Com o diabetes, as aplicações de insulina e a contagem de carboidratos, a informação nutricional dos rótulos passou a ser a primeira coisa que eu procuro em uma embalagem. Só que nem sempre é simples entender o que está apresentado ali...

Um ponto que ajuda é quando as informações vem indicando a quantas unidades do produto corresponde a quantidade de carboidratos, fibras, sódio e afins apontada.
Quando isso não acontece, pode ocorrer um engano na interpretação e isso significa um caos para a glicemia!

Por este fator e considerando que atualmente a alimentação dos brasileiros tem uma carga grande de alimentos industrializados, a ANVISA vem estudando há mais de três anos uma mudança na rotulagem de embalagens, com dois objetivos: deixar as informações mais claras para o consumidor, facilitand…

Ih... esqueci!!!!

Imagem
Início do ano é sempre movimentado por aqui. Além da energia normal de (re)começo que chega com o novo ano, de organizar e planejar as atividades e o trabalho, tem o carnaval!! Sim, não é novidade que eu curto e me jogo na folia. E aí tem os ensaios dos meus blocos, ensaios dos blocos dos amigos, tem as fantasias, os figurinos... purpurina guiando os dias!

Não deixo de prestar atenção na glicemia e na minha condição de gente doce. Mas ninguém é de ferro e no meio da correria eu acabei esquecendo meu kit de sobrevivência em casa ontem. Saí com tamborim e baqueta: se ia ensaiar, não podia esquecer o instrumento em casa...

Lá pelo meio do ensaio, decidi dar uma paradinha para checar a glicemia. Só aí é que eu percebi que estava tudo em casa. Não tinha glicosímetro, não tinha mel para corrigir uma hipo, não tinha insulina, não tinha agulhas! Cinco segundos sem respirar e quando passou aquele impacto momentâneo, acabei relaxando.

Eu estava me sentindo bem e tinha conferido a doçura antes d…

Febre Amarela - Orientações SBD.

Imagem
Foi publicado pela Sociedade Brasileira de Diabetes - SBD um comunicado com as orientações às pessoas com diabetes no que se refere à vacina para febre amarela.

Compartilho aqui, na íntegra:






VACINAÇÃO CONTRA FEBRE AMARELA EM PACIENTES COM DIABETES

A Sociedade Brasileira de Diabetes vem recebendo várias solicitações de um posicionamento a respeito da vacinação contra a febre amarela em pacientes com diabetes.

Um estudo retrospectivo, conduzido por R. Mad’ar e colaboradores (1), avaliou 402 pacientes com diabetes quanto à segurança de uso de vacinas com vírus vivos e concluiu que, com base nos resultados deste estudo retrospectivo, que a vacinação em pacientes diabéticos estálivre de qualquer risco, desde que não existam outras contra-indicações, por exemplo, alergia a componentes da vacina ou doença febril aguda grave.

No caso de glicemia instável e do sistema imunológico comprometido de forma significativa por diabetes a vacinação com vacinas vivas atenuadas deve ser cuidadosamente consi…

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

Imagem
Pode.
O diabetes por si só não é um fator impeditivo, mas cada pessoa deve verificar com seu médico sobre isso.

Eu trabalhei em área endêmica de 2001 a 2015, então já tenho as minhas doses mais que garantidas.
A primeira vez que me vacinei ainda não havia sido diagnosticada; na segunda vez, eu já tinha diabetes tipo 1 e não tive problemas.

Para entender o que é:
Conforme explicado pelo Ministério da Saúde, "a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão de pessoa a pessoa".

Diferente dos casos de dengue, onde o transmissor é o Aedes Aegypti, a febre amarela é transmitida por qualquer mosquito que tenha sido infectados. Simplificando, funciona assim: se um mosquito pica uma pessoa que já está com o vírus da febre a…

O diabetes e a maternidade: é possível!

Imagem
Houve um tempo em que mulheres com diabetes que engravidassem não podiam nem pensar em ter seus filhos através de um parto normal.

Uma gravidez em uma mulher diabética requer muito mais atenção. No diabetes gestacional, que é aquele que se desenvolve já durante a gestação, a rotina de monitorização de glicemia e injeções de insulina acaba se fazendo necessária também.

As histórias de gestação nem sempre foram de sucesso em mulheres com diabetes ou que desenvolveram o diabetes gestacional. Mas algumas pessoas partiram da sua experiencia, mesmo nos casos de perda e dor, para mostrar a tantas outras que a possibilidade de ser mãe não deve ser desconsiderada.

A Kath Paloma é uma dessas.
Através do Blog Maternidade e Diabetes, ela abriu o coração e dividiu a sua história para ajudar a esclarecer sobre o assunto e acabar com o medo que ainda ronda muitas mulheres e famílias.
Além de ter registrado um diário da sua gestação, a Kath fala, atualmente, sobre o dia a dia compartilhando a materni…

Novos parâmetros para manter o rumo...

Imagem
- Minha glicada está horrorosa!
- Calma!!

Mais um começo de consulta sem parcimônia. Eu já cheguei e antes mesmo da sentar já fui dando o veredito.

Depois de um longo tempo tentando sair da casa dos 7% de hemoglobina glicada, ano passado alcancei 6,5% e bati 6,2%! Estava muito feliz com isso. Sei o esforço para conquistar esses resultados, o que precisei rever e mudar no meu dia a dia. Então, pegar o primeiro exame do ano e me deparar com uma glicada de 7,1% não foi legal.
Fiquei bem chateada e, no fundo, sou a única responsável.

Mas esse número é ruim? Não!
Não mesmo.
E a Monique atestou isso comigo hoje.
Disse para eu manter a calma - e a paciência!!, que meus exames estão todos bons, que não me avalia por este número de forma isolada.
Eu já sabia que seria assim e é bom ouvir esse relato de uma médica que me acompanha desde o primeiro dia e hoje me traz confiança absoluta. Só que lá no fundo a sensação de decepção ainda me acompanha...

Agora fizemos uma reavaliação geral dos meus p…