Uns dias na bela - doce - e Santa Catarina!

Uma viagem recheada de guloseimas: foi assim a temporada em Santa Catarina!
A comemoração de 50 anos de casados de dois queridos que o coração escolhe como família, os dias de calmaria em Florianópolis...

Tio Pedro e Tia Zu reuniram os amigos e os familiares para comemorar as Bodas de Ouro. Entre esses, eu tive a honra de ser convidada. Que alegria!!
Conheci esses tios queridos há alguns - muitos - anos, mas a história começou em 1994, lá pelos cantos de Iowa, nos Estados Unidos.

Quando viajei para passar 6 meses fazendo high school, conheci 3 brasileiros por lá num encontro de intercambistas. Com a Ana mantive contato depois e seguimos assim até hoje, minha sister catarinense.
Eu do Rio, eles do Sul. Mas uma afinidade e uma amizade que cresceram, sem deixar a distância interferir.

Os tios do coração são os pais da Ana.


Estive com eles rapidamente numa visita pela cidade maravilhosa recentemente e agora passei 3 dias bem gostosos curtindo a festa e o aconchego lá no interior de Santa Catarina, em São Bento do Sul.

A mesa era farta: alegria, muita diversão e muitos quitutes irresistíveis!!

Cucas de todos os sabores, carneiro recheado, pinhão, docinhos e sobremesas de enlouquecer até quem não é assim tão ligado nos doces.

- Ah, mas não precisa comer isso tudo todo dia.
De fato, não precisa. Mas quem me acompanha por aqui, sabe que eu sou super comedida e não faço mesmo questão de mergulhar de cabeça em doces e afins.

Só que desta vez, a atmosfera de festa e as reuniões em torno da mesa fizeram com que eu me rendesse à todas as delícias do Sul. Não me fiz de rogada: media meu docinho e aplicava a insulina de ação rápida, aquela de correção.



'Caneta' e agulhas a postos e não deixei passar os camafeus que foram, com certeza, os melhores que eu já comi. As correções não foram certeiras sempre... Algumas a menos, outras a mais, mas tudo fica como aprendizado. A monitorização aconteceu com mais frequência para não deixar que nada atrapalhasse o final de semana de comemoração (e, cá entre nós, o Libre facilitou essa missão).
Nada de culpa, quando a gente faz as coisas com planejamento e consciência.

Acolhida grande e cheia de afeto pela família!

Beatriz cheia de conversa, canto e encanto...

Depois, mais uns dias de sossego, papo e riso em Floripa.
Frio de leve, sopinhas, vinho.
Livro, planejamentos, filme.
Lagoa da Conceição, que nunca me cansa...

Agora, de volta à capital carioca, hora de colocar o trabalho em dia!

Mais uma vez a prova de que o diabetes não me limita. Uma viagem sem sobressaltos nem sustos, com alguns furinhos a mais na pança e doçura sob controle.
Que venha a próxima!!





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...

Pelos caminhos da vida doce...