Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

12 abril, 2017

...nas asas de um passarinho, nos beijos de um beija-flor...

Um prédio bem do lado de uma área recheada de animais e árvores.
Um playground onde a meninada se reunia para brincar.
Um belo dia, um beija-flor se perdeu e quando percebeu, estava trancado dentro do salão de festas.
Rodopiou, rodopiou e caiu, sem forças.
A meninada se apavorou e quando o pai de um deles passou - um médico -, saindo para ir trabalhar, foi logo chamado, com a urgência da infância...

"O que poderia ser? Dr. Zinho pensou, pensou, pensou... Até que se lembrou dos pacientes diabéticos que, quando ficam com açúcar baixo no sangue, às vezes também desmaiam... Aí ele entendeu tudo! Entrou rapidinho no elevador e foi correndo para casa. E a criançada atrás..."

Não, não é ficção. Apesar do cenário lúdico e da narrativa sutil, esse é o trecho que retrata uma história real, que aconteceu há alguns anos e foi transformada em livro pela Educadora Tania Zagury.

"Corra lá dentro e coloque mais duas colheres bem cheias de açúcar na água. Rápido!"
(...)
"Tornaram a pingar na linguinha escura do beija-flor mais gotas do preparado. A meninada nem respirava, em suspense...
De repente, que maravilha! O beija-flor abriu os olhinhos, escancarou o bico e colocou a fina língua para fora como se pedisse mais!"

- Mas como assim? É baseado em fatos reais? E aconteceu com um beija-flor??
Bem assim!

O Desmaio do Beija-Flor é uma história que explica, de uma forma leve e lúdica, o que é uma hipoglicemia e porque ela deixa a gente sem energia.
Esse pássaro de bico longo e que encanta voando por aí é o animal que tem o metabolismo mais parecido com o dos humanos. Como cada um de nós, ele também precisa de glicose para viver!

"O que não pensariam seus colegas do hospital se lhes contasse que tinha tratado a hipoglicemia de um beija-flor?"

O que ocorre é que o beija-flor é a única ave que consegue ficar parada no ar; com isso, ele consegue se alimentar em locais que seriam de difícil acesso para outros pássaros. Para garantir essa proeza, o coraçãozinho dessa ave bate cerca de mil vezes por minuto (só para lembrar, o coração de um ser humano bate entre 60 e 100 vezes por minuto). Haja energia, certo? É justamente para manter toda essa energia que ele precisa se alimentar mais vezes ao dia, que nem a gente. Quando por qualquer razão ele não consegue, a glicemia baixa e a hipo acontece!

E, de repente, aqueles bebedouros pequeninos de plástico que ficavam pendurados em tantas varandas ou quintais (raramente vejo hoje em dia...) fizeram todo sentido!!

Eu, que adoro um livro, me encantei com a delicadeza em que temas sério como o diabetes e a hipoglicemia são retratados.
Recomendo para todas as idades, mas principalmente pode ser um grande recurso para explicar mais sobre esta condição aos pequenos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário