Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

22 março, 2017

Vivendo e (re)aprendendo!

"Vou tomar um sorvete normal, nada de diet! Depois eu meço a glicemia e, se precisar, tomo insulina."

Tomei, medi e não precisou.
- Uau! O açúcar não alterou em nada.

Mágica?
Não. Uma conjunção de fatores e a máxima de que não é o açúcar o grande bandido no controle do diabetes.

Entre alguns outros fatores (dosagem errada de insulina, falta de exercícios, um estresse no meio do dia...), são os carboidratos de modo geral que interferem na glicemia, sejam eles doces ou salgados, no prato principal ou na sobremesa.

Mas lá no começo, apesar de entender o que são os tais carboidratos, eu ainda tinha em mente que o açúcar era sim o vilão. Que só servia mesmo para ajudar a compensar uma hipoglicemia e que deveria ser evitado de qualquer maneira.

Ok, isso em parte é fato. Mas nos meus oito anos de vida doce, aprendi muita coisa. E uma das mais importantes foi que posso comer o que quiser. Para isso, preciso apenas de quatro coisas: responsabilidade, moderação, uma aliada chamada contagem de carboidratos e insulina.

Pronto! Lá se foi por terra a teoria de que aquele brownie maravilhoso tem que ser deixado de lado; de que a torta de limão que você ama nunca mais vai poder estar presente; de que o brigadeiro da festa do sobrinho vai ficar só enfeitando a mesa.

A gente pode tudo. A gente só precisa aprender a fazer tudo sem deixar o cuidado para trás.
Uma trilha pode, com reforço no lanchinho antes e durante. O doce preferido também pode, com uma refeição mais leve para equilibrar antes, por que não?!
Medir a doçura antes e depois e corrigir os carboidratos com a insulina de ação rápida são nossas maiores ferramentas.

O tempo me ajudou a aprender e entender mais sobre o diabetes e sobre como meu organismo responde à diferentes tipos de alimentos e situações.

Por isso de novo eu digo: entenda a sua condição.
Se informe.
Questione.
Opte por você e pela sua saúde sempre.
Se cuide.
Vá em frente!

E é assim, com o sorvete preferido do momento - com açúcar, nada zero! - que faço um brinde à vida doce.
Porque quanto maior o controle, maior a liberdade!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário