Alalaô!!

Sou do carnaval de corpo, alma e coração!
Carnaval pra mim é muito além de ter quatro dias pra se desligar das responsabilidades. Vai além da Sapucaí...
Carnaval é coração aberto, alegria e amor.
Fantasia misturada com purpurina para um dia inteiro de encontros e abraços e música e bloco e alegria na essência.

Tocar meu tamborim com a minha bateria no meu Fogo e Paixão então é a catarse absoluta!
E apesar de já estarmos no nosso sétimo ano, a ansiedade bate forte!
São 4 horas de desfile no sol e com a adrenalina a mil (e assim é que é bom).

Nessa minha vida de batuqueira e foliã docinha, as perguntas chegam: - Mas você pode tocar tamborim? Você pode ficar tanto tempo no sol? Como você faz para se alimentar durante os blocos?
Não tem mistério. De verdade! O diabetes não me impõe qualquer limite.
Cuidado e planejamento e o resto é curtição.

Nesse período de folia, meu gasto de energia é muito maior que o usual. Por isso, faço um esquema de redução gradual da minha dose de insulina diária (a basal), com o devido acompanhamento da minha Super Endócrino.

Tocar tamborim com meu Brega é só felicidade! Só que a gente toca, dança, corre e ri sem qualquer limite e é exatamente por isso que a insulina vem em menor quantidade nesse dia.

Já é tempo de usar meu case térmico para não ferver a insulina no calorão que anda fazendo nesse verão do Rio e os furinhos nos dedos são mais frequentes também, para garantir que a doçura fique em ordem.
Ah, mas por que você não usa o Libre, então?
Porque eu sou uma pessoa naturalmente estabanada (meu primeiro sensor eu 'arranquei' passando pela porta da cozinha...). Sei que a chance de perder no primeiro dia de carnaval é bem grande e prefiro não arriscar.

E a cerveja, pode?
Com moderação e muita atenção, pode sim. Novamente: minha médica sabe de todo o meu esquema carnavalesco e me orienta sobre todos os riscos. Cabe a mim ficar ligada pra não deixar a doçura atrapalhar. Manter a alimentação como prioridade é importante para o álcool não atrapalhar... Fica a dica!

De resto, muita hidratação - água, suco para garantir uma carguinha extra de carboidrato para dar conta das horas de bloco, água de coco, lanchinhos na bolsa, mel para segurar uma hipo que apareça no caminho e aí é só aproveitar!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MiniMed 640G: Cena 7 - A decisão de parar...

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

MiniMed 640G: Cena 1 - Bombando!