Seis!

Esse ano que está terminando não foi dos mais tranquilos. Um atropelo de sensações, de sentimentos, de acontecimentos.

Decisões tomadas, novos rumos que não me trazem dúvidas mas levam a questionamentos externos que, em algum momento, acabam desestabilizando.

Enquanto vou colocando tudo de volta no lugar, me vem uma canção que diz tanto:
"quantas chances desperdicei quando o que eu mais queria
era provar pra todo mundo que eu não precisa provar nada pra ninguém..."

Não sou de ligar para o que a 'sociedade' pensa, para o que é 'padrão', para o que se diz 'normal'.
Com o diabetes não podia ser diferente! Decidi que a nossa convivência seria pacífica e amigável.

De uma visão inicial engessada - que fique claro, pela total falta de conhecimento sobre a condição - para uma visão cada vez maior e mais clara de que esse tal diabetes não ia mesmo me impedir de continuar, sem amarras.

São 6 anos de um blog que começou com o ímpeto de fazer acreditar que era possível ficar bem, viver bem, ainda que carregando a doçura do diabetes.

Um tal que chegou me arrebatando, me levando a crer - por alguns minutos - que eu estava em 'estado grave' já que precisaria tomar insulina. Um engano que eu não queria que se repetisse para mais ninguém!

Com passinhos de formiguinha e uma vergonha sem tamanho, coloquei a palavra para jogo. A vontade de compartilhar o que eu ia descobrindo era o que me movia.

Nesse aspecto, nada mudou; esse ainda é o meu maior fator motivacional.
Só que agora, percebendo o quanto a informação, as conversas, as figurinhas trocadas e as descobertas me ajudam a ter dias cada vez melhores e manter o docinho controlado, o empenho cresceu.

Agora, além disso, eu tenho a real percepção de quanta gente passa por aqui todos os dias compartilhando, curtindo, perguntando, dividindo, caminhando junto.
E junto é que tem que ser!



Ouvir ou ler um agradecimento, uma mensagem sobre um post que ajudou a esclarecer uma dúvida, um comentário sobre um cuidado do dia a dia que não pode ser deixado de lado e até um "que legal, você é o Insulina Portátil!" é muito mais do que eu poderia imaginar.

Obrigada. Só consigo dizer obrigada... Muito obrigada!!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

Do tipo que se importa...

Pesquisa e Educação em Diabetes...