Querido Papai Noel...

Apesar de não ter mandado minha cartinha - desculpa aí a falta de atenção - meu presente não poderia ter sido melhor. Sem embrulho nem laço de fita: ter junto, perto e presente todas as minhas pessoas! Aqui vale uma observação: fisicamente ou não.

Sei que foi pago em 12 meses, mas gosto assim. Um pouquinho por mês, para calibrar o coração e deixar os dias bem melhores.
Ah, também sei que quem vê de fora acha isso bem piegas. Mas, quer saber? Adoro piegas!!!

Como não amar ter queridos do lado desejando junto o que eu aguardo e desejo mais?
Ai ai... 

A doçura até que se comportou... um pouco mais baixa ontem, um pouco mais alta hoje - e ganhei até rabanada sem açúcar!!
Como rolou uma hipo de leve cedinho, acreditei que a glicemia ficaria baixa ao longo do dia. Rá: esse tal diabetes que quer fazer gracinhas. Subiu, corrigi e tudo sob controle agora, para curtir o finalzinho desse 2016 estranho e esperar por um 2017 mais leve, mais humano (posso incluir esse pedido com pouquinho de atraso?!).

Por aqui, a noite foi feliz.
De riso, de amor, harmonia e de um querer tão grande!
Mas também foi de ter esperança por um mundo melhor... por que não?

Ah, posso dar uma dica, Sr. Noel?
Solidariedade é baratinho e tem um efeito enorme. Dá pra incluir mais esse na lista e distribuir, sem moderação?

Obrigada, mais uma vez!














Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

Do tipo que se importa...

Pesquisa e Educação em Diabetes...