Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

20 fevereiro, 2016

Câmbio, desligo!

Mala fechada, a chuva tinha dado uma trégua... Tudo certo, hora do sono!
E aí, acordo no horário previsto, mas com a doçura abaixo do que deveria.
Hipo pra começar o dia. Levou um tempo até compensar e acabei me atrasando. Trânsito no caminho até o Galeão e resultado: perdi o voo.

Teve raiva, teve choro, e teve transtorno com a cia aérea (mesmo tendo sido a causadora do atraso e tendo total consciência disso, esperava que a Azul fosse pelo menos organizada e proativa na hora de ajudar...). Isso tudo à parte, comprei uma outra passagem e fiquei esperando. Para não correr o risco de outra hipoglicemia, fui fazer um lanchinho antes de embarcar.

Nesse meio tempo, a lembrança do sonho: tinha esquecido de levar o glicosímetro na viagem!! Praticamente um pesadelo!

Conexão corrida com tempo pra um sanduba qualquer e um café. Glicemia, a essa altura, já estava um pouquinho mais alta...

Enfim no destino - Recife: um mergulho pra recarregar.
Como bem canta Chico Buarque, amanhã há de ser outro dia.

Daqui sigo para Japaratinga e vou ficar duas semanas um pouco off.
Alguns flashes da temporada de mar e assim que voltar, novos posts sobre os medidores sem furinhos - ainda tem o que falar deles -, e sobre os demais temas pedidos.

Até já!

17 fevereiro, 2016

Sobre as lentes do Google...

Uma das notícias que mais chamou atenção neste mundo do diabetes, nos últimos anos, foi o lançamento das lentes do Google.

As tais 'smart contact lens' são um medidor de glicemia que funcionam através das lágrimas. Com um micro-sensor nas lentes, as medições poderão ser feitas a cada segundo. Sem furos, sem dor, e sem desconforto, como uma lente de contato usual:
Pouco tempo após anunciarem a novidade, já havia uma parceria com a empresa Novartis para fabricação das lentes... a realidade mais palpável!

Busquei novas informações no site deles, mas não há uma atualização sobre o status.
Por uma notícia da página Tech Times, soube que a Novartis lançou um relatório de patente em Junho de 2015, no qual já descrevia como as lentes seriam embaladas e transportadas.
Ainda de acordo com esta matéria, a previsão é de que levarão mais 3 anos e meio até que as lentes estejam no mercado.

Confesso que eu imaginei que esse prazo seria menor. Mas só em saber que existem avanços e que as lentes seguem sendo testadas e avaliadas, já fico feliz.

Que o preço - de novo, a mesma preocupação - não seja um fator impeditivo!



16 fevereiro, 2016

Furinhos com os dias contados...

Recentemente pedi que sugestões de vocês para assuntos que gostariam de ver / ler aqui no IP.
Para lembrar, os escolhidos foram:
- Contagem de Carboidratos
- Receitas saudáveis
- Medidor de glicose sem furos
- Estudos e pesquisas sobre a cura
- Diabetes e depressão
- A prática de atividades físicas para o controle de diabetes
- Bomba de insulina
- Tecnologias no controle do diabetes

Então, aproveitando uma boa nova, vou começar pelo terceiro tópico, o medidor sem furinhos.

Em Outubro de 2014 falei sobre o Libre, o glicosímetro da Abbott que funciona com um sensor preso ao braço... Nada de furinhos várias vezes ao dia!
Para reler na íntegra, é só clicar aqui.
Em resumo, não tem lancetas e nem gotinhas de sangue para medir a glicose na ponta de dedo. O sensor do Libre é trocado a cada duas semanas e a leitura é feita apenas passando o monitor sobre ele.
Ah, quanta praticidade, com a vantagem de que fica mais fácil fazer várias leituras ao longo do dia.

Naquela época, a previsão é que chegasse ao Brasil até 2015, mas segundo foi divulgado ano passado, a demanda foi maior do que a prevista e eles não deram conta de atender a todos os pedidos num primeiro momento.


Agora o fabricante anunciou que, finalmente, o Libre está aportando em solo verde e amarelo.

Não foi divulgada a data precisa e nem o preço de venda, mas eles abriram um cadastro para os interessados (nesse link --> FreeStyle Libre) e garantem que vão avisar assim que o glicosímetro estiver disponível.

Cadastro devidamente feito!!

Curiosidade e uma certa ansiedade para testar... E, claro, na esperança de que o preço seja viável!

Em breve volto ao tema, falando sobre as outras maneiras alternativas de medir a doçura que vem sendo analisadas pelo mundo: as lentes do google, a tatuagem do MIT e a que vem pela música, lá da Alemanha.

15 fevereiro, 2016

Ação!!

Determinação: ato ou efeito de determinar; demarcação; decisão, resolução; indicação; definição exata; prescrição, ordem; resolução, denodo.

Seja qual for significado escolhido, a indicação é de ação, de meta, de foco.

O começo de um ano geralmente vem marcado por objetivos traçados, por novas promessas, por atualização das que não foram cumpridas durante o anterior...
Então vale abusar da determinação na hora de estabelecer o que vai ser prioridade nos novos dias.

E é claro que o controle da doçura não fica de fora!

Ainda não voltei ao meu pilates, mas garanto que o Carnaval (o oficial e o pré) contaram muito no quesito atividades físicas. A volta ao estúdio será em duas semanas, assim que chegar da viagem que começa no próximo sábado.

Minha meta pessoal e intransferível - a tal da Glicada!! - segue também. A cada consulta e a cada exame vou aprendendo mais e mais sobre a relação alimentação / insulina / controle das glicemias e sei que estou chegando lá.

Um outro passo importante e que entra como uma das prioridades agora é mesmo a educação em diabetes, mas muito além do autocuidado: ideias de projetos pipocando e um novo caminho surgindo. Nada certo ainda, mas a certeza de uma escolha. Saindo já para minha avaliação e, se tudo der certo, uma Pós-Graduação numa área que eu nunca poderia ter imaginado.
Por que? Porque a educação em diabetes me fez enxergar que se eu posso, muita gente pode também.  Informação aliada ao conhecimento e estes dois aliados ao tratamento compõe a grande fórmula para uma vida tranquila e plena convivendo com o diabetes.

Determinação.
Seja qual for a sua escolha, acredite e persiga.

Feliz Ano Novo, de novo!
A hora é agora.











11 fevereiro, 2016

Foi num Carnaval que passou...

Despertador tocando às 05h, se não for pro Céu na Terra não começa! Um pulo da cama na ansiedade em chegar logo lá em cima. Brilho, máscara, mas brilho, glicosimetro!

O encontro com as minhas pessoas. 
Ô abre alas!
Vamos passando. Muito riso, muita alegria.

Desce a ladeira e vai para a Praça. Mais encontros, mas riso, mais purpurina. Paradinha para o almoço, um check na doçura. Tudo certo, seguimos!

Mais 3 dias pela frente... 
Domingo foi dia de me perder e me achar - sempre à direita! - e depois, de ir no rumo da maior Avenida do samba. 
Teve palco com meu brega, estréia do meu apito numa cumplicidade de fogo e paixão. Teve deslumbramento com as escolas que passavam.

Segunda - tá acabando!! O bom dia foi mais tarde, mas compensado pelo dia de flor e de ficar na moita: o clássico dos carnavais marcado pelas marchinhas de todos os tempos.
Jantar antes de ir pra casa. Opa, docinho caiu!! Segura aí que ainda tem confete pelo ar.

O último dia (será?!) chegou. Especial!
A ladeira foi da Glória. A folia intimista e plena. O bloco angariando os batuqueiros pra poder começar, a gente sem querer que terminasse. 

A passarela foi extensa, o asfalto marcando os passos no rastro da purpurina. Quase uma maratona de diversão. E o docinho sucumbiu: duas madrugadas seguidas com uma hipo. A alimentação foi regular, com direito até a uns sachês de mel durante os percursos, mas uma coisa foi diferente dos anos anteriores: não reduzi a dose de insulina de jejum.
Mais um ano aprendendo. 

No final ficou tudo bem. 
Espera... Final?!
A quarta não teve nada de cinza. Teve roda, teve muito encontro e um clima de nostalgia de dias que foram de uma felicidade absoluta. Teve minha Estação Primeira de Mangueira campeã, com direito aos 40 pontos da minha coreógrafa preferida que brilhou exaltando o pavilhão da escola.

As fantasias ainda pelo chão parecem resistir em voltar para as caixas. As fotos que vão chegando trazem de volta cada momento embalado pela batida dos surdos e tamborins e deixam a certeza de que o diabetes faz parte da minha vida, mas jamais vai me impedir de fazer o que eu quiser.
Grito pra todo mundo ouvir: quanto mais a gente conhece sobre a condição, melhor vai conviver com ela.
Ah, sem esquecer: 'todo mundo cuida de Juliana'. 
Foi bem assim!!


04 fevereiro, 2016

"...pra ver a banda passar..."

Ando meio sumida daqui, mas está tudo em ordem.

Novos exames feitos, bottons postados para alguns cantinhos desse país esta semana, inscrição para prova de Pós em Educacão em Diabetes, tamborim afinado e tules e purpurinas em ordem para a folia que vem chegando - quer dizer, já chegou!

No último domingo foi dia de me jogar de corpo e alma no meu Fogo e Paixão. O sol estava a mil, castigando... Parecia que toda a água que a gente bebia e usava pra refrescar o corpo não era suficiente.
E como fazer essa conta de sol + 4 horas tocando + insulina + glicemia sob controle fechar?!

O dia começou com um sustinho: duas horas antes da hora prevista para pular da cama uma hipo severa: 38 no marcador!
Compensei e voltei a dormir. Quando medi de novo, 168 mg/dL. Não fiz qualquer correção e ainda reduzi a dose da basal de jejum, já contando com a quantidade de energia que ia gastar.
Café da manhã reforçado, figurino, instrumento e rua!

Mais umas horinhas e mais um reforço: meio sanduba de queijo, acompanhado de um copinho de suco de uva... Na hora do apito, um sachê de mel e meio copo de coca-cola.

Ri, dancei, me joguei. O tamborim ferveu, teve bolha na mão, nos pés, mas teve diversão e alegria. E no final, a fórmula deu certo e o resultado foi lindo: docinho em 126mg/dL!!

Quanto mais a gente se cuida e procura aprender e entender a influencia da alimentação, das atividades físicas e da insulina no nosso organismo, mais positivo vai ser o retorno.

Que venham então os dias - oficiais - de Carnaval!

Estou pronta e a postos, com apito, lanchinhos, brilhos e fantasias.

No mais, as dicas de todo ano: hidratação a todo tempo, pausa para almoçar, lanchinhos entre um bloco e outro (para garantir, sugiro levar na bolsa - podem ser barrinhas, castanhas, biscoitinhos...), tênis confortável para proteger os pés, fantasias leves e frescas e muita, mas muita diversão!