Um, dois, três e já!

O coração bate forte, a sensação é de que o corpo está tremendo, a mão suando frio... nada de encontros de amor: é o tal do resultado do exame!!

Seis anos e quatro meses de diagnóstico e é sempre do mesmo jeito.

A previsão era sábado, mas o resultado já foi liberado: os exames estão bons. A glicemia estava baixinha por causa do jejum (difícil acertar esse planejamento do docinho de jejum, ou vai para mais ou para menos do intervalo requerido) e a glicada... A glicada segue fora do número que eu gostaria.

Sim, eu!

Assumo totalmente esse querer.
O valor ideal para a hemoglobina glicada é de 6%; para quem convive com o diabetes, 7% é aceitável.
Venho há algum tempo numa gangorra instável onde os 7,'x'% me perseguem. Sei que isso não significa que eu não me cuido, mas também sei que uma boa glicada é um indicador de que há um bom controle glicêmico.

Dá pra confundir não dá?!

A atual foi medida em 7,2%, depois da anterior que foi de 7,1%. Grave? Não, longe disso.
O fato é que vem um sentimento de que estou fazendo alguma coisa errada.

E avaliando bem, talvez tenha relaxado um pouco com a alimentação nesse período sabático e de viagens que incluem algumas aventuras gastronômicas. Novamente, não é grave!
Na verdade, acho que é mais uma oportunidade para rever meus conhecimentos e aprimorar o que precisa: correções conforme quantidades de carboidratos ingeridos, quando saem fora do habitual, por exemplo.

Mais um ponto - e esse é bem claro: exercícios!! Melhor, a falta de uma rotina de atividades físicas.
Ai ai ai...

O saber não leva a gente ao fazer.
Como mudar isso? Atitude!
Quando? Já!!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...

Uma dose de insulina, outra de confiança...