Dos registros da rotina doce...

Frequentemente escuto de pessoas bem próximas ou até de amigos mais recentes sobre a maneira leve com que encaro o diabetes.

De fato desde o início me apeguei ao tratamento, já que é a possibilidade viável e ao alcance.
Esta semana, brincando, respondi a um deles dizendo que não sou eu que tive que me adaptar ao diabetes, mas ele é que teve que se adaptar a mim.

Falando sério, isso só é possível porque junto com o tratamento nunca me furtei em buscar informações e tentar entender absolutamente tudo sobre a condição.
E olha que mesmo assim tem dias que acontecem umas variações estranhas de glicemia, sem justificativas plausíveis e que as vezes até me tiram do eixo...

Mas a realidade é que dessa forma fica mais fácil encarar toda a rotina sem maiores consequências. E ainda que seja preciso bastante disciplina, o conhecimento leva à segurança.
Vale a pena, os resultados tem saldo positivo!

Como um retrato da normalidade do dia a dia convivendo com a doçura, o desenho da artista Erin Lux:
'Uma diabética no meio da multidão medindo a glicose.'


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...

Pelos caminhos da vida doce...