Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

22 janeiro, 2015

De sentir na pele!

A cada dia que passa, temos mais e mais pesquisas buscando melhores tratamentos, melhores medicamentos e formas mais precisas e menos invasivas de controle (sem falar da busca incessante pela cura) para o diabetes.

Entre tantos avanços, já se falou em lente, micro-chip e na tatuagem com tinta especial para medir a glicemia.

Agora a novidade é um adesivo que fica na pele como uma tatuagem temporária e foi desenvolvido pela equipe da Universidade de San Diego.
Através de uma corrente elétrica "suave", ele 'suga' o sangue até o sensor responsável pela leitura da glicose.

Os primeiros testes já foram realizados em pacientes e, a cada medida registrada foi feita uma comparação com o monitor tradicional: furo no dedinho!

Os primeiros resultados foram positivos e agora eles seguem com o desenvolvimento do dispositivo de modo que possa ser utilizado para o monitoramento contínuo da glicemia, refinando os pontos técnicos - sensibilidade e confiabilidade do sensor, ajuste do leitor e transmissão sem fio dos dados.

Por enquanto não tem previsão de comercialização.
Mas os estudos continuam e acredito que esta 'tatuagem' high-tech tenha bastante potencial para se tornar realidade na vida dos docinhos!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário