Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

18 setembro, 2014

Pra ser reação!

Todo diagnóstico médico que leve a gente para uma condição crônica, uma doença (não gosto de usar esta palavra, mas é assim que a medicina define o diabetes) séria e, até onde se saiba, irreversível em alguns casos, traz um primeiro momento de pânico e negação.

Comigo não foi diferente... a parte do pânico veio de imediato. 
A negação nem tanto - tive mais uma fase de ter a certeza que iria reverter esse DM1 (ainda acredito que isso possa acontecer, mas tenho o pé no chão e me pego nas pesquisas e estudos bem avançados de hoje).

O que fez com que eu não me apavorasse foi a informação. 
Junto com ela, a decisão de me cuidar, já que eu tinha a opção de um tratamento.

No artigo que a Dra. Mônica Amaral Lenzi (Educadora em Diabetes) escreveu, ela coloca de uma forma direta esta questão: "Diabetes: Crise ou Oportunidade?".

A abordagem dela é direta quando sugere que o DM pode ser a chance de transformar sua vida e viver de maneira saudável - "Este é o estilo de vida que todos nós deveríamos seguir".

As dicas para um bom controle do diabetes e para não deixar que ele domine seus dias de uma maneira pesada e complicada são claras e super válidas.

1. Faça uma análise de consciência e descubra o que você quer de seu tratamento do diabetes. Defina uma meta para você, uma meta que seja específica, mensurável e realista. Pense em uma meta que você tenha condições de alcançar.

2. Descubra, em sua análise interna, como está seu tratamento atualmente, o que você tem feito de acertos e erros. Como estão os resultados de seus exames? Qual a distância que você se encontra da sua meta? Se possível, faça um registro.

3. Tente encontrar quais as alternativas de que você dispõe para poder alcançar as metas em seu tratamento. O que você pode fazer para mudar a sua situação atual: o que posso fazer de atividade física? Quais as melhores escolhas alimentares que eu posso fazer? Minha medicação está adequada? Estou medindo minha glicose corretamente? Qual outra alternativa você teria?

4. Após fazer suas escolhas, crie um plano de ação que te permita alcançar suas metas e transforme seu diagnóstico de diabetes em seu aliado para uma vida saudável.

Não tem receita e pode não ser sempre fácil.
No caso do diabetes tipo 1, mais especificamente, existem fatores que influenciam diretamente na glicemia (estado emocional, por exemplo) e que mesmo com todos os cuidados podem causar variações indesejadas.
Mas ainda assim é bastante viável manter o açúcar no sangue dentro do que deve estar, prestando sempre atenção no que podemos gerenciar.
Vale a pena o esforço!!

2 comentários:

  1. já viu o resultado da consulta pública: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/setembro/05/Relatorio-Insulinas-tipoI-FINAL-114.pdf
    Triste demais!!!!
    Achei a justificativa para n incorporação contraditória...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, obrigada! Ainda não tinha visto.
      Uma pena que o parecer não tenha sido favorável. Enquanto o custo tiver papel mais importante que o bem-estar dos pacientes, vai ser mais divicil avançar no caminho de um tratamento melhor...

      Excluir