Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

08 março, 2014

5 anos de doçura...

Promessa cumprida! 
Os dias de sossego estão acompanhados de um dos livros da lista: Balancing Diabetes - Conversation about finding happiness and living well.

Comecei a ler e já nas primeiras 20 páginas adorei!
O livro é uma conversa direta. Depoimentos, descobertas, ansiedades similares.

E uma mesma pergunta para todos os que participaram deste bate papo em páginas: "No que a sua vida mais mudou em função do diabetes?"

Parando para pensar, além do fato de que agora eu me cuido mais e dou mais atenção à minha saúde, a grande mudança, no meu caso, foi em deixar minha família e meus amigos cuidarem mais de mim. 

Sempre tive um jeito meio independente, queria resolver tudo sozinha, achava que pedir ajudar, qualquer que fosse, era dar trabalho... 
Hoje vejo que não. Que o cuidado de fora é bem vindo e faz bem. Que a atenção e a preocupação me deixam mais segura e que não há nenhum problema em pedir ajuda quando necessário (e nem em pedir colo!).

5 anos se passaram desde o meu diagnóstico.
Dos primeiros meses para cá, uma redução significativa na quantidade diária de insulina, um upgrade no tratamento com uma insulina diferente, mais aceitação da condição, mais foco, glicemias muito mais estáveis.
E a certeza de que foi assim porque eu nunca estive sozinha.

Ainda espero sim pela cura desse tal diabetes, mas até lá, continuo fazendo a minha parte e dividindo o máximo que eu puder para que outras pessoas tenham cada vez mais acesso ao que ainda é pouco esclarecido e saibam que viver uma vida normal é absolutamente possível.



Nenhum comentário:

Postar um comentário