Sobre a doação de sangue por pessoas que convivem com o DM: novas informações!

Nunca tive problemas para fazer exames de sangue (ainda bem!) e por isso sempre que foi preciso doei sangue na maior tranquilidade.
Não desmaiava, não passava mal...

Com o diagnóstico do diabetes e de acordo com a determinação da ANVISA (pesquisei na época), não podia mais doar...
A informação era que pacientes com diabetes tipo 1 com uso regular de insulina injetável não podiam; paciente de DM tipo 2 podem, desde que a glicemia esteja sob controle.
(já falei sobre isso aqui no blog, inclusive)
 
O fato é que com novas conversas sobre o assunto e a ideia do projeto de um amigo para uma campanha de doação de sangue, resolvi buscar mais informações...
E além de pesquisar mais, também fui consultar a minha Super Endócrino.
 
Pois as notícias não poderiam ser melhores!!
Descobri numa determinação da Cruz Vermelha (onde são definidos os critérios para doação de sangue) que eu posso sim continuar doando, mesmo que tome insulina diariamente. A única condição é estar com a glicemia absolutamente controlada.
 
De posse desta informação, conversei com a minha Super, que confirmou e me orientou com os cuidados que devo tomar no dia da doação de fato: a preparação é tão somente reduzir a dose da insulina de jejum conforme estabelecido por ela (e isto é muito importante... já que cada paciente tem um tratamento único, a redução deve ser determinada pelo seu próprio médico, não pode ser estabelecida de forma geral).
Imediatamente após a doação, medir a glicemia e, se for o caso, corrigir com a insulina de ação rápida, conforme esquema usual.
 
(Os outros requisitos para doação - pesar pelo menos 50kg, ter entre 16 - com a autorização dos pais - e 68 anos, etc. - estão descritos na página do Hemorio)
 
Pronto!!
Dúvidas sanadas e questão resolvida!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MiniMed 640G: Cena 7 - A decisão de parar...

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...