Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

22 janeiro, 2014

De volta aos estudos!


Desde que cheguei não largo meu caderninho com as anotações do Congresso e outras coisitas mais sobre o tema.
 
Na verdade, desde o primeiro dia de palestras ele me acompanha.
 
Já li, reli, mudei algumas coisas, complementei várias outras (e as páginas em branco vem sendo preenchidas com novas ideias e novos pontos a pesquisar).
 
Com tanta coisa interessante para ver e ouvir, uma dificuldade (boa, pode-se assim dizer) era escolher a palestra da vez, quando havia mais de uma de interesse no mesmo horário.
 
Congresso é assim mesmo e por mais que eu tenha passado os dias todos lá dentro focada, não ia conseguir assimilar nem ter acesso a tudo.
 
Mas esse 'problema' está praticamente resolvido.
A International Diabetes Federation disponibilizou no site do World Diabetes Congress todas as apresentações feitas!
 
Você escolhe a data e o tema e a busca te retorna com os resultados:
Aí basta clicar na sessão de interesse e escolher a palestra que quer assistir, clicando câmera que aparece à direita:
Uma observação importante: no caso do vídeo não estar disponível, significa que o autor / palestrante não autorizou.
 
No geral, volta o gostinho de 'quero mais' e vem, de novo, o reconhecimento de que ainda tenho muito a aprender... 'Bora estudar!!
 
Mas vem também as percepções indiretas, da atenção dos organizadores e o cuidado com os participantes, da importância dada ao tema na Austrália, onde até em comerciais de TV são veiculadas pequenas campanhas de prevenção e alertando sobre os sintomas do DM.

A constatação maior e de mais destaque, no final das contas, é que ainda há muito a ser feito por aqui.
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário