"Viver é melhor que sonhar!"

No primeiro dia perdi a noção do tempo e não fiquei no pôster no horário determinado... No segundo, morrendo de vergonha, fiquei só uns 5 minutos e saí! Bobeira, mas não consegui.
Já no dia seguinte fiquei praticamente metade do período previsto (na outra metade fui dar uma olhada nos tantos outros pôsteres expostos - muita coisa interessante!).

A partir do penúltimo dia finalmente assumi a postura de autora(!): tudo fluiu.

E foi assim: teve japonês tirando foto minha ao lado do pôster, pessoas de Bangladesh, da Austrália e da Nova Zelândia se dizendo inspirados (a pergunta inicial sempre era qual a especialidade médica em que eu atuava...), representante da Sociedade Brasileira de Diabetes que se interessou pela maneira como levo essa tal DM e até um médico Egípcio que considerou "very impressive" - de novo a surpresa por saber que eu não sou da área de saúde - e disse que uma Endocrinologista especializada em Diabetes Tipo 1 da clínica dele vai entrar em contato comigo!!

 Feliz? Muito!
Se o que eu queria era que as pessoas conseguissem perceber que é possível para todo mundo, acho que consegui. 

Hoje, último dia, acabei focando um pouco nas palestras que mostram qual é o status dos tratamentos e pesquisas em andamento e como anda o caminho para a cura.

Valeu a pena ter vindo para o Congresso? Absolutamente!
Aonde isso vai me levar? Não tenho muita certeza ainda...

Mas volto com a bagagem cheinha de planos e coisa novas para contar!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MiniMed 640G: Cena 7 - A decisão de parar...

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

De um dia azul...