Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

29 novembro, 2013

Novidades do Canguru...

Ahhh, férias!! 
Como eu esperava por isso!

A viagem do Rio a Sydney foi bem tranquila, apesar de ser cansativa. Essa variação enorme de fuso complica... Voo com iluminação interna para garantir um bom sono, mas do lado de fora céu azul!!

Mas tudo correu bem. Chegamos - eu e o pôster - inteiros! 

Como cheguei aqui bem tarde a noite, foi o tempo só de ir na loja de conveniência comprar um iogurte e uma água e descansar até o dia seguinte.

Refeita depois de uma boa noite de sono, fui bater perna e explorar a cidade, mesmo com chuva... Turista que se preze nem liga pra isso.

Ao contrário do que imaginei, não foi tão fácil encontrar muita opção sugar free por aí, principalmente para o café da manhã, mas o almoço foi tranquilo (salmão com salada e fritas). O jantar foi bem no estilo preguiça: comida pronta no mercado e só... O cansaço venceu! 

De maneira geral, so long so good. Estou adorando a cidade e as primeiras impressões foram as melhores.

Quase 06h por aqui e como já estou de pé, vou começar a me organizar para mais um dia de turista!

26 novembro, 2013

Pra explicar o 'como'...

"Chegou a hora, chegou chegou! Meu corpo treme e ginga à qual pandeiro..."

Poster devidamente embalado e acho que agora é que estou me dando conta de verdade de onde eu estou me metendo!!

Um diagnóstico que me fez criar um blog que levou a um artigo que resultou num poster que me fez comprar uma passagem que vai me fazer chegar num Congresso Mundial de Diabetes.
Como assim??
Pois é, apesar de tudo, a pergunta ainda fica se repetindo na minha cabeça...

Mas agora é fato.
Seja lá porque ou para que, lá vou eu para a Austrália mostrar como eu trato o meu diabetes e como eu não deixo o DM reger os meus dias.

E não tem segredo nem mágica.
A 'receita' é fácil de seguir: assuma sua condição, tome conhecimento... O conhecimento tira o espaço do medo e aumenta o da confiança.
Siga o tratamento corretamente, tenha uma alimentação regrada e equilibrada, faça exercícios regularmente.

Mas tão importante quanto tudo isso é ser honesto. Com você e com seu médico. 
Se fez algo não recomendado e que tenha afetado a glicemia, conte! Não adianta guardar a informação e fingir que nada aconteceu... Essa omissão só prejudica e os resultados vão aparecer... Por isso a importância de dividir com seu médico, para se for o caso, ele tomar as devidas providências. Ainda que seja somente um puxão de orelha!

O recado, no final, é que é você quem manda. E que dentre outras coisas da sua vida, o bom controle do diabetes é só mais uma.

Mala trancada, passaporte na mão!
Vamos que vamos!!


25 novembro, 2013

Música de primeira na segunda...

 
Para lembrar do sentido do que começou depois do choro e do susto em descobrir que eu estava com o tal do diabetes e que 'levantar e sacodir a poeira' é a melhor solução!
 
"...Nem toda palavra é
Aquilo que o dicionário diz
Nem todo pedaço de pedra
Se parece com tijolo ou com pedra de giz

Avião parece passarinho
Que não sabe bater asa
Passarinho voando longe
Parece borboleta que fugiu de casa

Borboleta parece flor
Que o vento tirou pra dançar
Flor parece a gente
Pois somos semente do que ainda virá

A gente parece formiga
Lá de cima do avião
O céu parece um chão de areia
Parece descanso pra minha oração

A nuvem parece fumaça
Tem gente que acha que ela é algodão
Algodão as vezes é doce
Mas as vezes é doce não

Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Ah e o mundo é perfeito
Hum e o mundo é perfeito
E o mundo é perfeito

Eu não pareço meu pai
Nem pareço com meu irmão
Sei que toda mãe é santa
Sei que incerteza traz inspiração

Tem beijo que parece mordida
Tem mordida que parece carinho
Tem carinho que parece briga
Briga que aparece pra trazer sorriso

Tem riso que parece choro
Tem choro que é por alegria
Tem dia que parece noite
E a tristeza parece poesia

Tem motivo pra viver de novo
Tem o novo que quer ter motivo
Tem a sede que morre no seio
Nota que fermata quando desafino

Descobrir o verdadeiro sentido das coisas
É querer saber demais
Querer saber demais.
"
 
 (Sonho de Uma Flauta - O Teatro Mágico)

22 novembro, 2013

Pra levar por aí...

 
Dizem que só depois de uns 6 meses na casa nova é que começamos a de fato encontrar as coisas, saber seus devidos lugares.
 
Comigo já se foi quase um ano e até hoje não consegui encontrar os estojinhos dass canetas de insulina!!
 
Já procurei em todos os cantos e nada!
 
Mas o pior é que me faz falta...
 
Juntando minha ansiedade que não tem mais fim com a proximidade da data da viagem, mais o fato de que embarco no último dia de trabalho antes das férias, resolvi arrumar mesmo a mala de uma vez.
E ontem aproveitei para comprar o que faltava: doleira, necessaire para os quitutes que vão comigo no voo, etc...
 
E não é que achei um bom substituto para o estojo que nunca apareceu?!
 
Olha aí que praticidade...
 
É emborrachado (ajuda a proteger), tem de várias cores, custa só R$ 10 e as canetas ficam super bem acomodadas!
 
 
 

17 novembro, 2013

Tic-tac-tic-tac... 10 dias e contando!

O tempo voa!
Só faltam 10 dias para a viagem ao outro lado do planeta, o visto está na mão e o meu poster está praticamente pronto para o Congresso.

 A base foi a especificação dada pela IDF e pela equipe de organização do evento, o difícil foi decidir sobre o conteúdo...

Mas com a ajuda do meu grande time de amigos + família, o texto ficou pronto levando em consideração o que de mais importante eu poderia colocar: a MINHA experiência, o MEU conhecimento e aprendizado.

"Isso de querer 
ser exatamente aquilo 
que a gente é 
ainda vai 
nos levar além."
(Paulo Leminski)

Hora de começar a arrumar a mala... 




16 novembro, 2013

Um, dois, feijão com arroz!!

A fórmula parece complexa: cérebro movido a impulsos nervosos que transmitem sensações de cansaço / tristeza / euforia / ansiedade que são reguladas por neurotransmissores.

Por outro lado, daí também vem uma substância neurotransmissora chamada serotonina, que é responsável pelo sentimento de bem estar. 
E a boa notícia: a 'fabricação' da serotonina está diretamente ligada ao que a gente come!
Eu já tinha até falado um pouco sobre isso por aqui...

Segundo a autora do livro The Food and Mood Handbook, Amanda Geary, o ideal é seguir uma alimentação moderada, sem excessos de carboidratos, de modo que se mantenha o nível de glicose no sangue estável - a variação brusca da glicemia no organismo colabora para a variação brusca de humor.

Importante ressaltar que se a ingestão for em excesso, o resultado vai ser o oposto, causando preguiça e sonolência.

Para facilitar, uma listinha de alimentos recomendados e os efeitos positivos de cada um:

1. Chocolate - levanta o astral rapidamente.

2. Banana - 1 ou 2 por dia ajudam a melhorar o humor.

3. Massas e grãos integrais - sensação duradoura de bem estar.

4. Leite - um copo dele morno antes de dormir tem efeito relaxante.

5. Pimenta - libera endorfina, que também colabora para o bem estar e excitação.

6. Peixes - de preferência salmão, atum e anchova facilitam o trabalho dos neurotransmissores.

7. Alface - age como um calmante natural.

8. Café - estimulante, mas sem exageros na dose.




Agora é só adequar a dieta de todo dia e quando não estiver assim, tão tranquilo, ajudar a fabricar momentos mais leves e alegres!!


15 novembro, 2013

Pra aliviar a gulodice!!


A vontade de comer pizza apareceu, mas a razão falou mais alto... o que fazer??

Uma em casa!! 

Não, eu não sou dessas que se empolga e faz a massa... mas um Rap 10 light, sem açúcar, é uma excelente base.
Aí, é só montar com o que tiver e preferir.
Na minha foi molho de tomate (aquele caldinho do tomate pelado em lata), cream cheese, queijo prato light, da Polenghi, tomate cereja e palmito.

Depois de deixar tostar um pouquinho de um lado, vire na frigideira e já vá montando com os ingredientes (o fogo tem que ficar bem baixinho, senão ela queima).

O resultado delícia é esse:

E para sobremesa, um improviso também:

Um pêssego cortado em cubinhos, um pingo d'água, uma colher de sobremesa rasa de adoçante de forno e fogão (uso o Linea). 
Deixei no fogo bem baixinho, até quase virar um doce.
Enquanto isso, a panqueca Rap 10 estava na frigideira. Coloquei um queijo ementhal cortado bem fininho, deixei derreter, coloquei o pêssego e enrolei.

Resultado aprovado e que vai ter repeteco certamente!!

12 novembro, 2013

Pra ser o nosso próprio tempo...

Gerenciar tempo parece fácil, mas o fato é que quando a gente menos espera, ele passa sem deixar rastro e a gente nem percebe!

E de repente aconteceu comigo... 



Um dia tem uma coisa, no dia seguinte outra, no terceiro chove, no quarto acordava mais tarde, algumas coisas pendentes de serem terminadas... e lá se foi! 
O problema é que foi justamente o tempo que eu dedicava à pedalar, caminhar, ao pilates.

Adivinha a consequência?
 Glicemias já 'mostrando as garras' com pequenas variações, mas que ainda assim são desnecessárias e indesejadas!

Pois bem: (auto) puxão de orelha dado, sem preguiça e sem desculpas daqui para a frente!!

Quem acorda as 05h da matina para acompanhar o Céu de Santa no Carnaval e tal e qual madruga para pegar um voo cedo de trabalho, tem a obrigação de não deixar o tempo dedicado justamente à qualidade de vida e à saúde de lado.


11 novembro, 2013

Sobre a experiência Yacon: primeiras impressões...


Ainda não consegui colocar de vez a yacon no cardápio! As vezes esqueço de comer, comprei numa quantidade relativamente pequena, com medo de estragar, e não tive tempo de comprar mais....

Mas, vamos ao que interessa: ela não tem gosto de nada e é até bem levinha. 
Uma coisa importante a ser considerada é que ela não entra na contagem de carboidratos da refeição, seja qual for.

Estava em dúvida sobre o melhor horário pra comer a noite, se logo no jantar ou na ceia.
Conversei com uma querida amiga que é nutricionista e ela me passou algumas orientações: a sugestão é que a batata yacon seja consumida numa pequena refeição durante o dia (colação, lanche ou ceia) pura ou mesmo em forma de suco. Como ela tem muita fibra, também pode ser usada na salada, ralada crua. O ideal é o consumo até duas vezes por dia, para que seja verificada uma redução na glicemia.

Eu ainda não percebi uma mudança relevante, mas tem só uma semana que eu incluí - sem uma frequência muito certa - a yacon na alimentação.

Então, por enquanto a experiência segue na filosofia do "não se afobe não, que nada é pra já..."


08 novembro, 2013

"...alô, alô Terezinha, Rio de Janeiro..."


E apesar de tudo, "o Rio de Janeiro continua lindo, o Rio de Janeiro continua sendo..."
Olha meu Rio fazendo bonito na campanha do Dia Mundial de Diabetes!!

No grande dia - 14 de novembro - um dos maiores cartões postais da Cidade Maravilhosa (e o que eu mais gosto!!) vai mudar de nome para alertar sobre esta condição que ainda pega muita gente de surpresa.

O Pão de Açúcar, além de ser iluminado de azul, vai chamar a atenção com uma nova identidade:
Vale registrar que a ação tem o apoio da Sociedade Brasileira de Diabetes.

Dá vontade de bater no peito e gritar bem alto que eu sou carioca 'meRmo', com muito orgulho!


06 novembro, 2013

Do it!!

Gosto do que é simples, do que é direto.
Sem alardes, sem rodeios.
Sempre fui assim.

Prefiro a objetividade.

Bem aquela coisa de "Tá cansada senta, se pediu aguenta..." cantada pelo Lenine.

Se tem solução, procure. 
Não dá para ficar sentado esperando acontecer.

E ontem li um artigo que vai nessa linha e fala de escolhas e de como elas interferem na nossa vida. 
Basicamente a lição é que você pode e deve buscar o que é melhor para você, não importa se vai de encontro com o que a tal da sociedade acha que é certo.

Dois pontos específicos que eu curti bastante (vale a pena ler na íntegra):

"Sempre tem a hora de parar, entender o fim de uma missão e recomeçar."

"Entender a limitação como uma diretriz de criatividade é capaz de virar o jogo."

Até hoje escuto de vez em quando um "nossa, nem parece que você tem diabetes, você é tão tranquila, sempre alegre..." e por aí vai.

Mas por que não poderia ou mesmo não deveria ser assim?

Lá vem o Lenine de novo: "não tá bom, melhora...".

Esse é o ponto.

"Se é do mato, amanse
Trabalhou, descanse
Se tem festa, dance..."

Fica bem mais tranquilo assim!

"Não se submeta".


02 novembro, 2013

Pra tirar a prova...


Consegui achar a bendita batata yacon hoje no Hortifruti!! 
A partir de amanhã, a experiência será iniciada. Vou acompanhar a evolução das glicemias e depois conto tudo por aqui! 


01 novembro, 2013

"Tuuuudo Azuuuullll..."

Chegou a hora de deixar tudo azul!


Vista, decore, fale, estimule!

Pode ser claro, escuro, de céu, de mar... Qualquer azul.
Qualquer tom.
No seu tom.

Para conscientizar.
Para fazer lembrar.
Para divulgar.
Para prevenir.
Para cuidar.
Para esclarecer.

Sem moderação!

Não se reprima!!